Estilo #7 - Escolhas #2

556 74 24





Hoje voltamos ao conselho do premiado escritor Marcelino Freire: "Não escreva para se sentir melhor que alguém.". Por quê? Porque mesmo os escritores publicados, mesmo os best-sellers, daqui e do exterior, insistem em contar a história da maneira mais "elegante" para se sentir – conscientemente ou não – mais capazes.

Não é nenhuma surpresa que uma das características muito observadas em escritores é a introspecção. Menos ainda que pessoas introvertidas tendem a sofrer de falta de autoconfiança. E o que pessoas sem confiança fazem? Fazem de tudo para se mostrarem melhores, inclusive deixar o Ego afetar a sua voz de escritor.

Discorda? Então repare nesse texto de um romance americano publicado em 2015 e traduzido para o português em 2016:

"X e Y estavam aninhadas perto da base do domo maior, uma claraboia filigranada de onde se via a rotunda de entrada da embaixada.".

Aninhado não é uma palavra muito recorrente no português contemporâneo, ainda que derive de uma palavra simples – "ninho". De qualquer forma, aparece em vários textos fantásticos e significa estar alojado ou "protegido no ninho". Contudo, cabe a reflexão: será que a palavra "posicionadas" não exibiria a mesma mensagem (ou imagem) e evitaria alguma barreira a compreensão?

A segunda palavra é "claraboia" e, pela segunda vez, não representa um grande problema à compreensão. É um tipo de janela para a passagem de luz e ventilação. Mas porque não usar apenas "janela"?

E a cereja do bolo é a palavra "filigranada" (que significa "trabalhada com fios de ouro") seguida de "rotunda" que poderia ser substituído por "praça". Por que alguém escolheria filigranada ou invés de dourada ou rotunda ao invés de praça arredondada? Perceba que a primeira ou a segunda palavras sozinhas não apresentam grande barreira ao significado. Mas em conjunto com a terceira e com a quarta criam uma barreira à imersão. Duvida? Compare o texto original (que não tem importância alguma para a trama) com o texto simplificado:


Original: "X e Y estavam aninhadas perto da base do domo maior, uma claraboia filigranada de onde se via a rotunda de entrada da embaixada.".

Simples: X e Y estavam posicionadas perto da base do domo maior, uma janela dourada de onde se via a praça de entrada da embaixada.".

Qual foi intendido imediatamente? Qual ofereceu mais barreiras à leitura?


Contudo, Rubem Fonseca ressalta que "Não existem sinônimos". Ele diz isso porque cada palavra é única se consideramos as suas "cargas" (sociais, cognitivas, psicológicas...). Para ele "posicionadas" é bem distante de "aninhadas" e deve-se usar a palavra mais apropriada, que não necessariamente será "aninhadas". Faço, então, uma sugestão com o meio termo:

Sugestão: "X e Y estavam agachadas perto da base do domo maior, uma claraboia dourada de onde se via a entrada da embaixada.".


Obs.: Nesse caso, o editor brasileiro e o tradutor têm grande responsabilidade na escolha das palavras, ainda que as palavras originais fossem similares.


***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.

7p!9|

GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora