08 - Destruídos - Parte 2

322 25 0

- Eu preciso de vocês. - Lura enfatiza diante das remanescentes do tão profetizado grupo das sete.
- Isso aqui tá uma loucura, patroa. - Anne cruza os braços e olha rapidamente o caos ao redor.
- Eu sei que o treinamento de vocês apenas começou, mas preciso que algumas ajudem aqui e outras desçam, ajudem lá nos túneis subterrâneos e encontrem Micaela, que pelos relatos de quem escapou, parece ser a causadora de tudo isso.
- Micaela tá podendo, hein! - Só olhares quase repreensivos correspondem à piada da hacker. - E, Lura, não tem muitas opções aqui. Uma de nós vai sozinha numa dessas missões aí.
- Certo. - A líder pausa em reflexão com olhos apontados para o chão. A sua manta lisa em transversal balança ao vento frio da noite. Então, ela ergue a cabeça novamente. - Olívia, ajude as pessoas a sairem de suas casas, e guie as perdidas e desesperadas. Sirva na minha equipe militar que está tentando fazer esse trabalho todo. Você é uma líder natural. Use esse dom. As pessoas a ouvirão. Anne, ajude Olívia.
  Olívia retribui com um sorriso que ela mesmo tenta conter para que o largo tamanho dele não cause a sensação alheia de que ela está com imenso prazer pelo fato de liderar. O que na verdade, é o que se passa dentro da professora de Chicago: felicidade por estar oficialmente na chefia.
- Sônia e Alice, preciso de vocês duas ajudando a ala que foi afetada pelo desabamento, salvando Ruth e a equipe médica, e principalmente, resgatando Micaela. Muito mais dela mesma do que de outra coisa. Alice, use a sua empatia profunda. Eu já percebi que o seu relacionamento com a jovem Micaela é agradável e que você possui uma boa conexão com ela. Faça uso de tudo isso. Chegou a hora. Hmm, Ruma... - Lura chama e dá uma pausa para pensar mais um pouco - Vá com elas também. Parece que você tem melhores ideias de como lidar com a garota destruidora.
- Cara, a Mica é tão chorona que olha o que o chororô dela fez.
- Para, Anne. Não é hora pra isso. Ela deve estar sofrendo pra caramba. - Alice.
- Calma, mãezona. Eu só tento...
- Só tenta aliviar a tensão nas situações com um sarcamos leve e, por muitas vezes, infame, pois teme encarar as próprias emoções. - Olívia discursa e reluta para não demonstrar, tão claro como a luz do dia, o orgulho de suas palavras intelectuais.
- Puxa vida... - Anne corresponde evasiva e com os lábio inferior proeminente, formando um bico.
- Sem mais conversas. Vão antes que seja tarde demais. Ruma! - Lura chama, faz com que todas parem de andar e que a sua serva vá até ela.
- Já tá tudo certo com o Róru? - A governante local pergunta em voz baixa ao pé do ouvido. A sua discípula envolve o pulso esquerdo com a mão direita, no sinal de concordância. Os olhos das duas se encontram e se conversam, sinalizando perigo, advertência e a necessidade de ambas estarem prontas para o que há de vir. O tal de Peripátzy. Enquanto isso, as outras observam sem entender muito.
- Tudo certo. Agora vão! E sejam quem vocês nasceram para ser.
As 4 remanescentes das aclamadas 7, mais Ruma, viram-se e vão para dentro das trevas dessa noite de destruição.

***
Cheiro de poeira de terra no ar. Luminárias piscando em um espasmo antes da morte total. Alguns gemidos um pouco mais à frente. Sônia, Alice e Ruma adentram pelos túneis da ala leste, onde foi informado o início do desabamento e onde está o quarto de Ruth. A auxiliar de pele escura de Lura segura pela alça uma lanterna redonda e de metal negro.
- Vou atrás da Mica, ok? - Alice perguna inquieta enquanto tem na mão direita uma luminária portátil também. Ruma leva poucos segundos encarando a brasileira, mas logo acena, colocando alguns dos dedos disponíveis da mão direita no pulso esquerdo. O clássico sinal de concordância. Alice se agrada dessa resposta, demonstra ter recebido a permissão com movimentos rápidos de afirmação com a cabeça.  Ruma aponta com dois dedos para a esquerda.
- Para lá ela deve ter fugido. É o lado oposto dos quartos medicinais. Esquerda, Micaela, direita, Ruth e os médicos.  - Então, Alice se encaminha para a esquerda com pressa comedida e cuidadosa.

***

SETE - Volume I [COMPLETO]Where stories live. Discover now