Vinícius

51 3 0

No sábado, eu nem me preocupei em chegar na hora ao parque. Algo me dizia que esse encontrão daria errado para alguém e eu até cogitei não ir, mas Nick insistiu tanto – também não acreditei na hora, mas notei ele dando umas olhadas para a Hanna na escola – que acabei cedendo.

Pus um jeans qualquer, uma camisa com "I'm a genius!" escrito em letras coloridas e um moletom cinza escuro por cima. Desisti de tentar arrumar o cabelo depois de quinze minutos na frente do espelho. "Quer ir um ninho de rato? Vamos um ninho de rato!", pensei, enquanto calçava os tênis. Colei um bilhete na geladeira, avisando para onde ia, e saí de casa.

O vento frio e o céu cinza deixaram a tarde ainda mais preguiçosa que o normal, me fazendo diminuir o passo conforme tentava colocar o cabelo para dentro do capuz do moletom. O caminho até o parque, que era mais um gramado no meio da praça do que um parque, foi mais longo que o normal e parecia não acabar nunca.

Imaginei mil coisas durante o caminho, porém, nada parecido com o que vi quando encontrei meus amigos.

Lauren ria alto, deitada na grama e com a cabeça apoiada no colo do tal de Peter, enquanto ele mexia em seus cabelos e contava piadas. Nick e Hanna riam, juntos de Carlos, quando me sentei ao lado do último. Neste momento, Lauren se virou para mim e abriu um enorme sorriso gesticulando em minha direção.

-Peter, esse é o Vinícius. Vini, esse é o Peter - o rapaz me estendeu a mão e eu concluí o cumprimento, com um meio sorriso. O rapaz era bronzeado, tinha olhos verdes e cabelo louro escuro. Algo nele me deixou inquieto.

-O pessoal falou de você a semana inteira, ou o resto dela - ri com o comentário e desviei o olhar para Lauren, que continuava em seu colo. De algum jeito, aquilo me incomodava.

-Passei a semana ocupado. Foi mal não aparecer antes - disse, em tom de zombaria. A conversa foi fluindo a partir disso. Conversamos de tudo um pouco, futebol, escola, a vida. Peter era mesmo um cara legal, mas o jeito como ele agia com Lauren era diferente de como ele agia com Hanna e Julie. Ele era mais carinhoso com ela do que com as outras, e isso me deixou com uma pulga atrás da orelha a tarde toda, praticamente.

-Já são seis? Meu Deus, eu preciso ir! - Lauren se levantou da grama num pulo e pegou o casaco do chão. Antes que eu pudesse sequer pensar, Peter se levantou também.

-Eu te levo. Não quero ficar mau falado na sua casa.

-Tem certeza? Sua casa é para o outro lado.

-Sem problemas - eu fiquei ali, junto com os outros, apenas observando Peter e Lauren sorrindo um para o outro, saindo de perto de nós rindo e conversando.

-Fecha a boca, Cianelli - Hanna riu de forma sarcástica, cutucando meu estômago com o cotovelo.

-Fica quieta - respondi, me levantando. Hanna riu, de novo, dessa vez seguida por Nick e Carlos.

-Parece que alguém está com ciúmes.

Sonho de Açúcar Leia esta história GRATUITAMENTE!