Capítulo Único

73 7 6

Naruto não me pertence, se pertencesse o Itachi e o Neji não teriam morrido... Talvez só o Neji...

~*S2*~

Prêmio do Mutirão NejiHina para yin-yang, pela fic ganhadora do primeiro lugar: "What Are Words".

~*S2*~

Betada por sensei-Arê

~*S2*~

Algum dia

~*S2*~

Perto dos oitenta anos, Hinata sentia nos ossos, na pele, no corpo inteiro que os anos de lutas cobravam seu preço. E aquele era seu último ano; talvez seu último dia.

Amparada por sua filha mais nova Himawari e sua neta, de dez anos, agachou-se com cuidado no tatame, os olhos perolados observando o seu outro neto, de quinze anos, trocando golpes com o pai, seu primogênito Boruto.

Boruto tinha o cuidado de não ferir o garoto, embora não fosse necessário. O menor era um gênio e cada movimento era calculado. Havia nele muitas semelhanças com o avô materno: o cabelo e olhos negros, a expressão séria e compenetrada quando lutava e a facilidade em absorver o que lhe era ensinado.

Mas, o que Hinata mais gostava era o que o menino puxara do avô paterno. O treino acabou e o neto correu para abraça-la com força, com o mesmo calor e animação que os abraços de Naruto tinham.

— Venci o papai de novo! — Alegrou-se, o sorriso idêntico ao de seu falecido avô.

— Eu vi, meu amor.

— Só porque deixei... — disse Boruto, fingindo-se de ofendido ao aproximar-se da singela plateia.

— Não deixou não! — retrucou o garoto do mesmo modo que Naruto faria.

— Claro que deixei moleque. — Boruto colocou uma mão no cabelo negro do filho e o bagunçou.

O menino bufou irritado e Himawari riu.

— Como estão meus garotos? — Uma voz feminina e firme perguntou atraindo a atenção de todos.

Hinata sorriu para as três figuras que atravessam o pátio do clã Hyuuga. Sua nora, Sarada, esposa de Boruto, a filha mais velha deles, e o marido de Himawari, Shikadai Nara.

Sarada retirou o chapéu de Hokage, deixando-o cair ao receber o abraço empolgado do filho e do marido. Shikadai aproximou-se da esposa e da filha, ambas envolvendo a cintura do conselheiro da Hokage em um abraço carinhoso.

Aquela era a imagem de amor familiar que se desenrolava diariamente na vida de Hinata, desde que aceitara o pedido de casamento de Naruto. Anos de felicidade, amor e carinho, compartilhados com cada novo integrante de seu círculo familiar.

Porém, sempre sentira que uma parte de si faltava e, naquele ano, a sensação duplicava de tamanho toda vez que despertava para um novo amanhecer.

Logo, todos se despediam da distinta senhora para seguir em direção às próprias casas. Recebendo os abraços e beijos, a velha senhora apreciou o momento, pressentindo que seria o último em que veria sua pequena família reunida. Com mãos enrugadas e trêmulas acariciou com amor os rostos dos filhos, da nora, do genro e dos netos, guardando cada pequeno detalhe em sua memória, já um tanto debilitada pela idade.

Desde que enviuvara – dez anos antes –, mesmo contra a vontade dos filhos, retornara para o distrito do clã Hyuuga. Himawari e Boruto, que sempre apareciam no fim de tarde com seus filhos, insistiram para que fosse morar com um deles no começo, mas logo perceberam que a mãe sentia-se melhor e feliz no antigo clã. Hinata nunca revelara o motivo de sua decisão em respeito ao amor dos filhos pelo pai.

Algum DiaLeia esta história GRATUITAMENTE!