NEW: Introducing Tap. Addictive chat stories for your 📲 Now in 10 languages
DOWNLOAD NOW!

Capítulo 7

4.7K 604 46

Oi amores, tudo bem?

Quero agradecer pelas 11.000 leituras em DESEJO PROIBIDO.

Vamos saber um pouco mais sobre essa história? 

__________________

__________________


CAPÍULO VII

Assim que Miguel deixou o quarto, abandonando a porta escancarada, deitei-me em um lado da cama, portando-me de forma sensual, de lado, com o bumbum quase totalmente para cima. Homem nenhum resiste a um bumbum dentro de um fio dental. Quando retornou, ele usava uma camiseta velha folgada por sobre a calça do pijama e carregava lençóis e um travesseiro. Sem lançar sequer um olhar na minha direção, fechou a porta e me deixou decepcionada ao forrar os lençóis no chão.

— Aqui tem espaço suficiente para nós dois. — tentei, mas já ciente de que desta vez não o faria mudar de ideia.

— Não seria moral nem respeitoso se eu me deitasse na sua cama. — ainda sem olhar-me, deitou-se de lado no chão, de costas para mim.

— Eu não ia te agarrar, se é o que está pensando. — me fingi de ofendida, sem ter um argumento melhor para rebater o que ele disse, mas já elaborando o próximo passo.

— Não se trata disso. Ambos sabemos que tenho limites e por isso preciso fazer o que é certo. Agora vamos dormir. Amanhã cedo tem missa.

— Desculpe tentar te fazer ultrapassar os seus limites. — mentira, eu não lamentava nem um pouco, estava satisfeita por tê-lo ali.

— Boa noite.

— Boa noite.

Eu pretendia esperar que ele dormisse, para ir deitar-me ao seu lado. Ele não ia resistir se acordasse com o corpo seminu de uma mulher grudado ao seu, mas acabei pegando no sono.

Acordei com a sua voz grossa chamando o meu nome. Já era dia, os raios de sol me diziam isso ao penetrarem o quarto através da janela aberta.

— Manuela, acorda. Daqui a pouco temos a missa.

— Eu não gosto de missa. — falei, sonolenta e busquei o seu rosto com o olhar, me deparando com a sua expressão ainda dura, a face carrancuda.

— Você pelo menos já foi em alguma, para poder julgar se gosta ou não? — foi quase ríspido ao dizer.

— Por favor, Miguel, não tente me converter. Tenho outras prioridades. — movendo-me de forma sensual, levantei-me devagar, colocando-me muito perto dele. — Minha nossa, você deve estar todo dolorido por ter dormido no chão. Eu sei fazer uma massagem ótima que pode te ajudar. — sem pensar muito, levei minhas mãos ao seu tórax, fechando meus dedos nos músculos rígidos do seu peito, por sobre a malha da camiseta, deslizando-os até seus ombros, extasiada com a sua solidez e com o seu calor.

Desejo Proibido (AMOSTRA)Read this story for FREE!