Capítulo 60

14.2K 1.1K 48

Suas mãos fortes, apertam minha cintura de um jeito dominador.
Seus lábios mordem o lóbulo da minha orelha, logo vão até meu pescoço. Logo depois ele senta no sofá e estou me movimentando em cima dela, com as mãos apoiadas em seus ombro. Seu rosto, tão perfeito mostra o quanto está gostando. Seus lábios estão vermelhos de tanto que os morde. Para frente e trás, levo ele aos céus, pelo menos é o que parece. Suas mãos agarram meus seios. Movimento-me mais rápido.

- Você tá muito sensual - ele fala, enquanto tiro meus cabelos do rosto.

Mordo o pescoço o mesmo reclama.
Suas mãos agarram minha cintura ajudando-me a movimentar.

- Emma sabe o quanto me aliviei pensando em você? Inúmeras vezes - ele fala deixando-me mais a vontade.

Logo ele me pega em seu colo e caminha até a cama. Ele me joga e deita por cima de mim, apressadamente ja está se movimentando novamente. Arqueio minhas costas várias vezes.

- Emma, gemi para mim? - ele pede, então faço. Ele agarra meus cabelos, que estavam atrapalhando nosso beijo.

Eu sentia falta disso, sentia falta do seu toque, do seu cheiro, do seu humor bipolar. Eu sentia falta dele. Matthew. Era o homem que eu nunca iria conseguir achar igual, ele tinha seu jeito marcante, amável e detestável. Isso fazia dele atraente e sedutor. E eu mal podia acreditar, que estava novamente em sua cama.

- Matt, por favor não me deixa - essas palavras escapam ele me olha, parando.

- Emma, eu nunca te deixei, sempre estive por perto - ele fala afagando meu cabelo.

- Continua Matt, não para. - Imploro.

- Emma, eu só vou continuar se você disser que quer voltar comigo.

Voltar?

Voltar?

O que eu falo?

Merda.

Pensar em outra mulher na sua vida era, doloroso. Mas eu sabia o quanto iria ter que ser paciente, não era fácil conviver com Matt. Não mesmo.

- Matt, eu te amo - digo me mexendo, em baixo dele.

- Emma.. - ele volta a de movimentar.

- Te dou uma segunda chance, mas não faça com que eu me arrependa.

Não falou mas nada, apenas voltou a se movimentar, eu estava extasiada, era ardente e sensual, qualquer posição que fazíamos...

Ele estava de pé comigo em seu colo, movimentando-se, seus braços tatuados me suspendiam no ar para facilitar.

- Emma.. - falou meu nome ao gozar.

***

- Matt o que você foi fazer lá? - perguntei olhando para seu corpo nú.
- Emma, eu precisava ajudar o senhor Willians a.. pegar umas pessoas.

- Então tudo acabou? - pergunto.

- No momento sim.. mas - ele senta na cama, ficando de costas para mim. - Fizemos algo contra a lei, se descobrirem..

- Matt, o que aconteceu? - pergunto querendo saber a verdade.

- Não posso dizer..

- Se você querer novamente namorar comigo, tem que ser sincero - digo caminhando até ele.

- Fácil, para você. Que nunca fez nada de errado.

- Eu aguento.

Eu não sabia se aguentaria, o que havia feito. Ele não me dava pistas, sempre tentava esconder as coisas. Talvez fosse por isso que Katherine não confiasse muito nele. Gabe havia dito que ele era manipulador.

- Aguenta? Tem certeza? - ele altera a voz, sua expressão é de raiva.

- Aguento.

- Nós matamos os caras, pronto falei.

O que? Eu tava me envolvendo com um psicótico assassino?

- Você? - olhei assustada.

- Mas que droga, eu não sou assim - ele jogar o controle na parede.

- Matt, você.. nossa.

Inexplicável.

- Mas se não fizéssemos isso, seria nós agora naquele lago jogados.

- Sinceramente não esperava isso de você.

Caminho para a cozinha, chorando. Ele conseguia acabar com o bom momento, ele destruía o bom humor. Ele era o tipo de bad boy tatuado, que tinha raiva do "mundo". Isso seria o tipo de relacionamento abusivo, ele tinha uma lista de inúmeros segredos ao quais não gostava de compartilhar. Com o decorrer de todo o tempo que passamos, desde o início consigo ver que a vida dele é uma merda imensa, dando de ver o buraco psicológico que tem.

Percebo o quanto ele sente falta de carinho mas nega. Ele se distância das pessoas, pois sabe o quanto consegue destruir com elas. Não tem muitos amigos, pois é o tipo que guarda rancor e se vinga. Ele dizia que queria me ver independente mas nao gostava de termos distancia. Matthew precisava de alguém, precisava de companhia.

Se eu estivesse disposta a ficar ao seu lado, iria ter que aguentar tudo.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora