"Hey, Savannah! Vamos!". Não tive mais muito tempo para refletir, Nikaia já havia erguido a mão. - Professora, eu estou passando mal, acho que comi uma alga venenosa...

Mas Miriah estava tampouco prestando atenção, apenas fez um gesto com a mão, nos dispensando.

Juntei meus pertences na bolsa de concha o mais rápido que pude e saímos da sala de aula. Nossa escola ficava muito perto dos dormitórios, e o meu em especial, era colado com os aposentos de Petrus, meu pai, ou melhor, nosso pai. Vivemos no Casarão, uma construção gigantesca - mas não tão gigante quanto o Castelo - que conta com nossos dormitórios, escola, área de cultivo, arenas de treinamento entre outras coisinhas que nos é permitido fazer em nossa casa. Saindo da classe, percorremos inúmeras outras salas de aula. Pelas portas entreabertas reparamos nas mais novas aprendendo ainda porquê raios ganharam um garfo gigante, as adolescentes descobrindo sua força lutando nas arenas e nós, as sucedentes mulheres guerreiras do Reino, aprendendo pela milésima vez a teoria da arte da transfiguração. Todas nós temos uma grande característica em comum: nós lutamos e protegemos todas as outras. E nós, sereias, seja uma 1 , uma 2 ou uma 3, não temos sentimentos - pelo menos é o que dizem. Acredito ser essa a única coisa coerente que se ensina por aqui, afinal, como podemos contrariar algo que nos é dito desde que nascemos? Como podemos discordar se não sabemos nem contra o que contrariamos? 

Saímos da escola pelo corredor que conecta a escola à Praça Circular, dela saem vários corredores que desembocarão em diversos lugares diferentes. Seguimos pelo corredor da direita para chegarmos aos dormitórios. O Casarão fora construído pela Casta 3 há muitas eras, e é uma grande obra arquitetônica, que apenas perde em beleza para o Castelo. Assentado sobre as mais resistentes rochas, ele é feito dos mais nobres elementos que apenas uma 3 sabe identificar; seu poder para construção é singular, elas não lidam com magia como uma 1 mas constroem coisas seguindo apenas seu instinto - talvez porque seja a única coisa que saibam fazer. A Casta 3 é cheia de mistérios e quase sempre aparece camuflada por entre as sereias, por algum motivo que desconheço, ser uma 3 é vergonhoso.

"Você parece tensa.",  decreta Nik fazendo uma cara instigante que a deixa parecendo um caranguejo com o cabelo laranja caindo sobre a cara.

"Não é nada não, na verdade eu só estou refletindo sobre nossa organização política." Minha constatação fez Nik revirar os olhos e bufar em desaprovação.

"De novo essa história", e me deu um empurrão com a cauda "Não me diga que quer governar no lugar de papai?", Nik tinha esse costume de tratar Petrus por "papai"

"Mas nem se fosse possível! Acha que algum dia a Rainha Alethea deixará de governar? Ela é eterna!" Ela me respondeu com um olhar que escondia algum segredo e talvez uma pitada de ressentimento. "Mas deixa disso, acho que nossa Rainha faz um ótimo trabalho nos reinos. Eu só acho que existem muitas regras estranhas e acontecimentos sem explicação."

"Sim, ainda há muito para ser explicado." Nik resmungou entredentes uma frase tão simples, mas que saindo de seus lábios pareceu-me muito sombria.

Nós dividimos o mesmo quarto - talvez pelo fato de termos nascido praticamente da mesma bolha de Petrus, ou talvez por termos nos dado bem desde aquela primeira Cerimônia da Frutificação - o fato é que nunca nenhuma sereia conseguiu nos separar. 

Nik pegou seu espelho - que é todo decorado com flores marinhas em variados tons de laranja e vermelho - e jogou dentro de sua bolsa brilhante. Enquanto a mim, que sempre ando com meu espelho e com mais metade do meu quarto dentro da bolsa, me permiti estirar-me um pouco na cama aguardando Nik caçar entre as roupas do chão algo que ela estava procurando. Depois do que me pareceram 20 eras ela estava pronta e já me chamava para fora do aposento. 

Eu deveria estar calma, tinha tirado apenas notas acima de 8 em todas as matérias e sempre fui boa na arena - costumo derrubar minha oponente com apenas dois movimentos. Além disso, eu sempre compareci à todas as aulas - tudo bem que em algumas eu estava meio dormindo com sono - mas sei diferenciar prontamente uma foca de uma morsa e ainda, saber qual alga é boa para ser preparada e qual não se deve nem chegar perto. Mas apesar disso tudo, o peso em me transformar ainda caí forte sobre mim - qual seria o animal ideal? Por mais que meu espelho estivesse sempre comigo para me orientar, eu ainda me sentia insegura - e se eu me sentia insegura, como poderia o espelho se tornar confiável se ele é apenas um reflexo mágico e oportuno de mim?

Quando estávamos prestes a entrar em Mar Livre fiz algo que, eu sentia em cada escama,  eu não deveria fazer, apertei a mão de Nik e puxei-a para perto de mim, envolvendo-a com meus braços e a apertando contra meu peito, em um movimento estranho mas que me fez ficar mais serena. Ela ficou estupefata, seu rosto tinha o maior dos desesperos - mas que raios eu estava fazendo? Foi apenas depois que já tinha acontecido que eu percebi que errei, que eu estava fora de mim, afinal, nós sereias não nos tocamos dessa forma! Percebi Nik lutar com uma avalanche de pensamentos dentro de si - ela que sempre fora tão fiel às ordens e pensamentos do Reino. Então ela me deu um meio sorriso e saiu, nadando mais rápido do que eu nunca tinha visto e me deixando pela primeira vez profundamente só junto as bolhas deixadas pelo movimento de sua cauda. 

Meus sentidos advindos da genética da Casta 2 assomados às minhas aulas na escola me diziam que um barco estava se aproximando. A cada novo segundo eu sentia uma agitação dentro de mim me dizendo que chegara a hora. O que me esperava? Qual animal seria o escolhido? Hoje eu saberia - de uma vez por todas - qual animal guia um barco. 

@rosasarmadas é o Instagram da sereia que está ilustrando esse primeiro capítulo - sim, ela é a Ariel da vida real! Ela faz cosplays incríveis das princesas da Disney e mostra tudo no Insta e no Blog: http://www

Ops! Esta imagem não segue as nossas diretrizes de conteúdo. Para continuar a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

@rosasarmadas é o Instagram da sereia que está ilustrando esse primeiro capítulo - sim, ela é a Ariel da vida real! Ela faz cosplays incríveis das princesas da Disney e mostra tudo no Insta e no Blog: http://www.rosesonblack.com/

Oi oi mozão! Se você chegou até aqui é porquê gosta de sereias ou até mesmo porquê é uma delas - e ainda não sabe. Portanto, seja de qual Casta você seja eu quero te desejar boas vindas e muitas sorte nessa nossa jornada. O que será que Savannah vai encontrar? Será que ela conseguirá se transformar? Espero que tenha gostado desse primeiro capítulo curtinho. O que você achou? Conta pra mim aqui nos comentários! E se você gostou, deixe uma estrelinha do mar pra eu saber ein? Grande beijo!

Sociedade das Sereias - Reino de AletheiaLeia esta história GRATUITAMENTE!