Prólogo

Megan

Bati a mão contra o meu celular que estavasobre a pequena cômoda ao lado da minha cama. Eu odiava o som daquele despertador. Uma vez eu ouvi que para você passar a odiar uma música é muito fácil, basta você colocá-la como despertador no seu celular que em uma semana ela não será sua música preferida. O meu era um toque monofônico qualquer, mas eu realmente o odiava.

Seis horas da manhã e eu já estava completamente cansada. Depois de chegar do trabalho quase onze horas da noite eu ainda precisei estudar para uma prova para faculdade que eu teria pela manhã em uns dos primeiros períodos. Olhei melhor para o meu relógio e não era seis, faltavam vinte minutos para sete e eu pegava o meu ônibus a sete. Ainda precisava tomar café. Praguejei ofendendo o meu celular enquanto entrava em uma calça jeans qualquer. Joguei um moletom por cima da blusa que eu estava usando e calcei o sapato mais próximo. Para minha sorte era a minha confortável e favorita bota. Peguei a minha bolsa e corri para fora do quarto em direção do banheiro que ficava no corredor.

- Alguém dormiu mais do que a cama hoje. - Jojo estava sentada no sofá com os cabelos enormes e uma tigela com cereais na mão.

- Eu não sei o que aconteceu com o meu celular.

- Você deve ter colocado no modo soneca. Quer que eu faça café?

- Você me salvaria. - gritei antes de girar a maçaneta da porta do banheiro e encontrá-la fechada. - Por favor, seja quem for abra a porta. Eu preciso me lavar.

- Eu acabei de entrar, Megan.

- Por favor, Gracie eu faço o que você quiser.

-Que tal alguns burritos por sua conta durante uma semana?

- Com Coca-Cola como você ama, agora, por fa... - não foi preciso terminar. Gracie abriu a porta ostentando um sorriso imenso de vitória nos lábios carnudos dela.

Éramos quatro mulheres entre 22 anos e 25 anos que dividíamos uma casa de dois quartos e um banheiro minúsculo. Aquele tipo de confronto e que acabava em chantagem eram bem comuns. E como eu era a garota que trabalhava em uma franquia de fastfood especializada em comida mexicana até tarde, eu era a mais prejudicada com o horário e sempre perdia os bons dólares do meu pequeno salário trazendo comidas para elas.

- Começando por hoje à noite.

- Pode deixar. - corri para fazer a minha higiene.

Eu odiava sair atrasada. Ainda mais quando eu passaria o dia na rua. Banho era essencial, mas eu estava sem tempo. Eu nunca escovei e lavei o meu rosto tão rápido. Amarrei o meu cabelo em um rabo de cavalo e corri para cozinha.

- Café. - Jojo apontou a minha caneca térmica na ponta do balcão.

- Trago burritos para você também. Beijos até mais tarde.

Passei a mão na minha chave e corri. Eu não podia perder o meu ônibus.

oOo

- Você foi bem na prova? - eu havia encontrado a Nicole nos corredores do pavilhão dois da faculdade.

Nicole morava com a gente e era a mais organizada de todas. O nosso apartamento só não era um chiqueiro por causa dela.

- Depois que eu entreguei me lembrei das respostas que eu deixei em branco.

- Sempre assim, mas você irá se sair bem.

- Deus te ouça. Vou nessa. Burritos no jantar. - dei um beijo no rosto dela antes de correr pelo corredor.

RUBEN - Série Irmãos Rivera - Livro ILeia esta história GRATUITAMENTE!