14

4.7K 606 116


                Frederico Borges

Como dizia o sábio: Use as merdas que você faz, para adubar a vida. Na verdade não foi um sábio que disse, eu vi na televisão uma vez, mas esta frase se aplica perfeitamente.

E é isso que a Malu está fazendo neste momento.

Ela jogou uma concha na testa da Gabriela e se justificou usando um bordão mundialmente famoso.

Foi sem querer, querendo!

Se antes eu já não estava apaixonado por ela, neste momento eu fiquei.

Eu acabei de dizer que sou apaixonado pela Maria Luiza?

Oh, meus Deus! Eu estou apaixonado por ela!

Aceitar isso pra mim mesmo é tão estranho. Tão... Assustador.

Eu disse desde do começo que era um plano. Uma mentira. E mesmo eu achando a Malu linda, engraçada, simpática... É, eu fui um idiota. É óbvio que eu ia me interessar por ela. Com todos esses atrativos que ela tem, por sua inocência que me encanta, tudo nela me atrai. Desde do dia em que a vi na palestra. Ela se destacou entre as demais, e não foi só por conta da sua beleza, sua aura, seu brilho próprio já haviam me fisgado. E só eu não tinha percebido isso.

Afinal, por que eu chamei justo ela para me ajudar em meu plano idiota? Eu poderia muito bem chamar a Lorena, a gata que eu conheci no dia da palestra.

Mas não. Eu tive essa ideia justamente com a Malu porque, inconscientemente, eu já a vi como a mulher perfeita para ser minha namorada, mesmo sem a conhecer como a conheço hoje em dia, eu já estava apaixonado.

Completamente, irremediavelmente apaixonado pela Maria Luiza Soares.

E eu só percebi isso depois dela jogar uma concha na testa da Gabriela.

—Mas por quê você fez isso, minha querida?— Minha mãe está assutada.

—Porque ela é uma louca! Nair, ela é louca!—Grita Gabriela, pressionando o guardanapo na testa.

—É que eu fui pegar a lesmin... Digo, o escargô com a colher e a concha escapou indo parar na testa da Gabriela. — Mente.

UH! Então quer dizer que eu não sou o único mentiroso aqui.

Olho para ela rindo.

—Me ajuda— Sibila, me olhando desesperada.

—Eu vi, mãe. Foi sem querer. —Dou de ombros.—A Gabriela que está exagerando.  — E volto a comer tranquilamente.

—Exagerando? Exagerando? — Gabriela está indignada. E isso só me faz querer rir ainda mais. — A acompanhante de luxo que você contratou jogou uma concha na minha testa, e eu estou exagerando?

—Epa, epa, epa!—Grita Malu se levantando e espalmando as mãos na mesa.— Acompanhante de luxo é você! Sua bonequinha Annabelle!

Então eu não me contenho. Começo a gargalhar.

Annabelle! É igualzinha!

—Meninas, se acalmem!—Minha tenta apaziguar.

E eu continuo rindo.

Então o inesperado acontece:Gabriela joga uma concha em Malu.

E assim a guerra se inicia.

Imaginem a cena: minha mãe com um prato na frente do rosto para se proteger; Malu e Gabriela gritando xingamentos uma para com a outra; muitas conchas (que eu nem sei da onde estão vindo) sendo arremessadas; e eu rindo. Muito.

Mas eu tenho de dar um basta nisso. Não posso deixar elas continuarem com isso. Porque se não, eu tenho certeza, as duas vão estar se estapeando no chão. E eu não quero que a Malu se machuque. Evidentemente.

—Chega! — Grito. —Parem as duas agora! — As sua me olham, com o rosto vermelho, e ofegantes.

—Graças a Deus! —Suspira, minha mãe.

—Quem começou foi essa selvagem! —Vocifera, Gabriela apontando para Malu.

—Eu... Eu não sei o que deu em mim. — Fala Malu, agora mais calma. — Eu sinto muito. — E dizendo isso, ela sai correndo porta a fora.

—Já vai tarde. — Sorri vitoriosa.

—Quem tem que sair aqui é você, Gabriela. — Diz Dona Nair seriamente, me deixando surpreso. — E você, Fred? O que está fazendo aqui, com essa cara de tacho, que ainda não foi atrás da Malu?

Essa foi a minha deixa. Saio correndo atrás da Malu, deixando minha mãe discutindo com Gabriela para trás.

Chego na rua olho para ambos os lados e nada da Malu. Ela sumiu. Evaporou.

—Aonde você se meteu, pequena encrenqueira.



Espero que tenham gostado.

Amanhã tem mais.

Beijos 💕

Comentem e votemmmmmm.

Laís.

Mentira ApaixonanteOnde as histórias ganham vida. Descobre agora