Capítulo 02: Hayden

24.1K 1.9K 424

— Inferno! — esbravejei quando percebi que já estava suficientemente distante da Chloe, e ela não seria capaz de me escutar. Simultaneamente arremessei em direção a uma pedra próxima a garrafa de cerveja que segurava em minha mão. O material frágil partiu-se em vários pequenos pedaços.

— Ei, garoto! — Uma voz masculina, desconhecida por mim, chamou minha atenção. Virei o meu rosto na direção em que a voz soava e encontrei um homem vestindo um uniforme marrom com o nome do cemitério costurado em sua camisa. — Você não pode fazer esse tipo de coisa aqui. Vou ter que pedir que se retire.

— Eu... — tentei iniciar alguma frase apropriada para aquela situação, porém fui interrompido por uma voz que reconheci imediatamente.

— Desculpe o comportamento do meu filho. Você deve imaginar o quanto é sofrido perder alguém que amamos. — Minha mãe finalizou o seu discurso patético exibindo um sorriso amarelado. Nos últimos anos ela se aperfeiçoou em seus discursos ardilosos impregnados por uma proteção que não era exigida por mim, tornando eles assim desnecessários.

— Eu sei... — o funcionário, que agora exibia uma postura mais amigável, tentou iniciar sua frase que talvez fosse finalizada com um pedido de desculpas, porém adiantei-me e não permiti que ele assim fizesse.

— A questão, querida mãe, é que no momento não tem ninguém aqui além de você sofrendo com a perda de alguém amado.

Assim que finalizei minha fala percebi os músculos do rosto da minha mãe se contraírem e um vinco surgir em sua testa. Eu sabia o que viria em seguida, mas não me importava nenhum pouco com isso, por esse motivo me adiantei e preparei minha melhor postura. Afundei minhas mãos nos bolsos do meu jeans e em seguida coloquei os ombros para trás, deixando assim o meu tórax exposto.

— Você nunca mais repita isso! — Como o esperado minha mãe deixou de lado sua exímia postura e a modificou para uma ofensiva, caminhando e apontando o seu indicador em minha direção. — Eu não me importo com as suas atitudes desde que elas não ofendam o seu pai ou pessoas que não merecem serem atacadas injustamente por você.

— Pensasse nisso antes de ter a brilhante ideia de mudar para essa cidade, obrigando-me a deixar minha vida para trás — disse, e inevitavelmente meu tom de voz se tornou exaltado.

Minha mãe olhou para o lado esperando encontrar o funcionário do cemitério, mas ele não estava mais ali. Isso fez com que ela se sentisse mais a vontade para continuar o seu sermão.

— Hayden eu não... — ela iniciou, mas interrompi.

— Eu estou cansado das suas proibições e também estou cansado dos seus sermões morais — disse, controlando a agressividade em minha voz, tentando apenas soar mais decidido. — Estou tentando compreender as suas atitudes, mas é algo difícil quando elas me atingem diretamente, e sem o meu consentimento.

Minha mãe respirou fundo e passou a mão em seu cabelo ajeitando alguns fios rebeldes. Os seus olhos marejados migraram em direção à pedra e permaneceram fixos nela durante alguns segundos, até finalmente retornarem para mim.

— Eu entendo a sua situação, mas não concordo com a forma que você está lidando com tudo isso. Você diz que não quer que ninguém perceba a sua existência porque não quer ninguém implicando com a sua nova personalidade...

— Eu não usaria esse termo.

— Mas — ela continuou. — Será que você não percebe que agindo dessa forma você apenas atrai ainda mais a atenção de todos para você?

— E como eu devo agir? Como o Hayden antigo? — indaguei com a voz mais exaltada. Aquela cobrança já estava me deixando suficientemente irritado.

Chloe & Hayden (Em Pausa)Leia esta história GRATUITAMENTE!