Capítulo 10

6 0 0

UM PLANO INTERESSANTE

Seus olhos estavam inchados, ela podia sentir. Antes teria se importado muito com isso, mas agora isso já não tinha mais tanta importância. Levantou devagar, pois desconfiara que sua cabeça poderia latejar. Chorara muito na noite passada, ressaca sentimental é tão desagradável quanto à alcoólica. Como acordou antes mesmo do relógio despertar teve tempo e tranqüilidade de fazer sua higiene matinal antes de preparar o café de Lipe. Só quando ele já estava devidamente alimentando e limpo e ela também saciada foi que sua companhia diária chegou.

- Alice, vejo que estamos adiantados hoje! – A voz dele estava bem mais animada do que na noite anterior. Ela também estava, afinal, hoje era dia de festa.

- Não tive a melhor noite de sono da minha vida então resolvi sair da cama mais cedo. Lipe está bem inquieto também, como se soubesse que dia é hoje. – Deu um sorriso fraco acariciando os pequenos cabelos finos do menino.

- Isso é bom. Vim lhe dizer que já podemos descer. Nós dois vamos arrumar tudo lá no jardim para termos um almoço agradável. – Alice não disse nada. Apenas pegou o pequeno nos braços e se dirigiu até a porta.

- Vai me vendar novamente? – O homem abriu passagem.

- Não será necessário desta vez.

Ele foi na frente, uma vez que precisava guiá-la pelos corredores. Ao contrário de quando ia para biblioteca, viraram o corredor a esquerda, que era bem mais iluminado que o outro. Depois de passar por umas 5 portas viraram a direita e logo chegaram ao topo de uma escada grande de mármore em formato de caracol. O coração de Alice estava acelerado. Era primeira vez que ela conhecia o lugar onde estava presa há dois meses. Era uma casa muito grande e bonita. Desceram tranquilamente até chegarem em uma espécie de hall. Uma mesa redonda de vidro comportava um belo vaso de copos de leite. A cima no teto era possível ver um belo lustre de cristal. Quem quer que fosse aquele mascarado ele tinha muito dinheiro. Só tirou os olhos do teto quando percebeu uma luz a mais alcançando seu rosto. O homem havia aberto a porta e o sol pedia passagem. Respirou fundo e seguiu em frente.

- A casa é muito bonita. – Ela disse quando já estavam descendo o barranco que dava no lago.

- Muito obrigado. Sempre gostei daqui, apesar de vir pouco. – Lipe parecia muito mais feliz agora que estava ao ar livre. Balançava os bracinhos e fazia barulhos engraçados, no esforço de falar algo.

- Então possui outras propriedades?

- Sim. Vejo que já trouxeram tudo que será necessário. – Ele apontou para um lugar e Alice acompanhou com os olhos. No mesmo lugar que ela esteve há muitos dias, havia uma mesa com três cadeiras. Em cima dela, uma toalha dobrada, talheres e pratos, além de outras coisas que daquele ponto que estavam não eram fácies de identificar.

Em silêncio, ambos recomeçaram a andar em direção a mesa. Chegando lá, Alice percebeu que havia mais de uma toalha e supôs que a outra era para colocar no chão e deixar Lipe mais a vontade. Assim o fez. Enquanto arrumavam a mesa e enchiam balões verdes, o menino se distraía com papeis e bichinhos de borracha.

- O dia está muito bonito. – Já haviam terminado de arrumar as coisas e Alice se sentara no mesmo lugar que ocupou quando estivera ali. O mascarado estava com Lipe ao chão.

- Sim. Setembro é um mês agradável, por assim dizer. – Alice estava distraída olhando a paisagem e sem muita vontade de manter uma conversa. Foi quando percebeu que a aquela mulher ruiva vinha na direção deles. Hoje ela vinha com um vestido verde e trazia uma sacola nas mãos.

AliceLeia esta história GRATUITAMENTE!