Capítulo 46 - Rafael PARTE II

192 38 19

Pouco antes que a professora chegue Madison e Jessi passam pela porta e se sentam aos seus lugares na frente nos ignorando embora tenham nos visto em uma rodinha no fundo sala. Noto a troca de olhares e os risinhos de cumplicidade e me surpreendo com sua frieza. Depois da discussão acalorada que tivemos por causa de Aurora eu esperei no mínimo por uma cara fechada e alguns olhares enviesados. Mas não demoro a entender a piada. Assim que a aula tem início eu me levanto para procurar por Aurora porque me mata não saber se conseguiu chegar na sala de aula sozinha ou se ainda permanece escondida no banheiro, mas antes que eu chegue a porta meu celular apita com uma mensagem de Lauren: Me contra aqui fora agora, é urgente, sua amiga está com problemas.

Disparo porta afora procurando-a com os olhos de maneira afoita.

— O que aconteceu? — Pergunto quando a encontro recostada sobre uma parede roendo as unhas. Ela parece nervosa e preocupada e tudo o que eu mais quero é chacoalha-la para que me diga que porra aconteceu!

— O que foi princesa? — Pergunta Tommy atrás de mim com o celular nas mãos. Ele também parece ter recebido uma mensagem e rebocou Tristan Junto.

— As meninas aprontaram com a amiga do Rafa. Eu acho que prenderam ela em algum lugar. — Conta passando as mãos pelos cabelos escuros e depois estendendo uma mão que Tommy nem mesmo pensa antes de segurar. — Eu escutei Madison dizer que queria lhe dar uma susto e como não curto esse tipo de coisa, saí de perto e quando voltei não as encontrei mais. Mas sabe quando alguma coisa fica martelando na sua consciência? — assinto de maneira impaciente. — Eu fiquei me sentindo mau pela menina e fui conferir se está bem, mas não a encontrei na sala do primeiro ano e nem em nenhum dos banheiros, ela desapareceu.

Essas duas palavras ecoam na minha mente como um maldito dejavu e antes que qualquer um tenha uma reação estou correndo pelo corredor, abrindo portas e gritando seu nome mesmo que saiba que não terei uma resposta, porque não suporto pensar em Aurora desaparecida.

— Olha do lado de fora Tristan. — Grito por cima do ombro girando a maçaneta de um dos armários de limpeza no final do corredor com brusquidão, mas a porta não se abre. Então sei que a achei porque esses armários nunca são trancados. — Ela está aqui. — Aviso para que parem de procurar e não perco tempo em jogar meu corpo sobre a madeira vez após vez até que Tommy me segura.

— Não tem como arrombar essa merda assim, a madeira é pesada demais. — Mesmo assim ele faz uma tentativa e fracassa, assim como eu. Olho ao redor e vejo um extintor de incêndio preso a parede. Quando estou para tentar arrancá-lo de seu lugar, Tommy me impede mais uma vez. — Rafael, deve ter uma maneira mais fácil. Isso vai dar problema!

Penso por um milésimo de segundo sentindo a raiva e a impotência de não conseguir abrir a maldita porta me tomar e concordo porque sim, existe uma maneira mais fácil.

— Você tem razão. — Lhes dou as costas e me afasto pisando duro pelo corredor até nossa sala de aula. Não bato, apenas entro e sou recebido por diversos pares de olhos curiosos justamente no horário em que o sinal toca. Ignoro a professora parada diante dos alunos que já se agruparam e me esqueceram e me aproximo de Madison agarrando em seu pulso nem a menor gentileza arrancando-a da carteira com um puxão.

— Me solta, Rafael, você está me machucando! — Grita tentando se libertar e eu firmo mais ainda o aperto tirando-a da sala de aula sem me dignar a falar ou mesmo olha-la. — O que deu em você? Eu já disse, me solta!

Eu a arrasto até diante da porta ignorando seus gritos e os olhares preocupados de Tommy e Lauren e a solto, empurrando-a contra a madeira. Ela me olha com ódio enquanto alisa o punho avermelhado e por mais que eu saiba que minha atitude está longe de ser a adequada não me arrependo, porque Madison nunca será tão machucada quando a menina presa dentro daquele armário.

Enquanto seus pés não tocarem o chão - Aurora & RafaelLeia esta história GRATUITAMENTE!