13- A ENCOMENDA

Começar do início

Quando os sons e imagens voltaram, eu ainda me encontrava na mesma aldeia, ainda chovia, porém, não havia mais ninguém por perto. Estava sozinho. Vasculhei com o olhar para ver se encontrava alguém e pude ver um ser estranho em meio ás árvores. Ele vestia uma roupa reluzente, semelhante à de um astronauta. Assisti assustado o homem adentrar a floresta. Precisei saber quem ele era e sai em seu encalço, cambaleando vi um vulto se distanciando em meio às plantas. Continuei a perseguição até tropeçar e cair com força no chão. Enquanto me levantava, nu e enlameado, ouvi uma voz.

— Precisa de ajuda amigo? — tinha um sotaque da américa do norte.

Virei o rosto em direção ao som da voz. Um homem com roupa reluzente, de estatura mediana, bonachão, de pele alva, calvo, com uma barba acinzentada, um olhar simpático e um sorriso irônico estava bem a minha frente.

— Obrigado, estou bem — respondi com taquicardia.

— De nada, Bruno.

— Ei! Já não bastava você ser um estranho astronauta no meio da mata? Como você sabe meu nome?

— Não tive tempo de mudar de roupa. Vamos parar com a brincadeira, pois não temos muito tempo.

— Acho que isso é uma situação muito estranha.

— Acredite esse é apenas o começo.

O homem estava à cerca de três passos de mim, mas eu não tinha coragem de me aproximar. Fiquei como uma estátua tentando decifrar quem ele era. A voz parecia um eco.

— Vou falar quem eu sou e porque estou aqui. Por favor, não faça muitas perguntas, pois não terei tempo para suas dúvidas. O tempo te responderá quase tudo — falou o ser estranho.

Apenas gesticulei concordando.

— Meu nome é Hugh Everett e vim de um lugar distante, outro tempo, outro mundo. Grave bem o que vou te dizer agora. No ano de 2333 estarei a sua espera, não importa o que aconteça. Nesse ano, no dia do seu aniversário, vá até a cidade de San Pedro de Atacama, no Chile e procure pelo Vale de La Luna. Vou te passar agora as informações mais valiosas do mundo, com elas você poderá transformar o mundo. São dados de inventos, descobertas científicas, endereços importantes, códigos, mapas secretos, situação climática e ambiental, a biografia e detalhes de pessoas influentes ou que serão influentes, prêmios de loteria, as oscilações da bolsa de valores, os principais acontecimentos do mundo nos próximos trezentos anos, além de segredos dos mais diversos. Posso dizer que você é a única esperança de se ter um mundo melhor em 2333. Precisamos de você. Mude o mundo.


Fiquei incrédulo. O velhote então se aproximou. Recuei apreensivo. Ele sorriu e devagar esticou a mão sobre minha cabeça. Senti um choque elétrico e em seguida uma infinidade de informações entrarem no meu cérebro, não podia atendê-las de imediato, mas estavam entrando e eu percebia a grande variedade de assuntos. Não conseguia me mexer, sentia que estava sob o domínio daquele homem. Quando terminou despenquei no chão e o estranho desapareceu como uma nuvem se dissipando. Pareceu nunca ter estado ali. Senti sensações ruins como medo, constrangimento, angústia, desorientação e enjoo. Dores por todo corpo. Cheguei a desejar a morte devido ao ignominioso mal estar.

Um dia depois Scarface me encontrou, quase morto, desidratado, mas com um grande presente dentro de mim.

Quando restabeleci minha saúde contei quase toda a história para Scarface, omiti o diálogo com o homem. Queria entender o que havia se passado. Recebi uma aula sobre a bebida ayahuasca e as incríveis sensações que ela trazia. Tudo místico.

— Bruno, isso tudo foi alucinação. O santo daime, faz isso.

Eu sabia que a chamada hoasca, mariri, iagê, ou ayahuasca tinha efeito alucinógeno, mas daquele jeito? Trata-se de um chá feito a partir de duas plantas , um cipó chamado de cipó-caapi () e um arbusto nomeado chacrona (). Tem ampla utilização pelos povos indígenas. Mais de setenta e duas tribos utilizavam. Desde os Incas era considerada uma bebida que traz sabedoria, que expurga doenças, que tem poderes sobrenaturais. A utilização dela em rituais religiosos não era proibida por lei. Em 2333, a bebida é utilizada para fins medicinais.

Mariana, que era bioquímica, me explicou uma vez que as plantas misturadas potencializam a ação de uma substância chamada N,N-dimetiltriptamina (DMT), presente na chacrona, mas que fica funcional no corpo humano por mais tempo devido à ação de outra substância chamada harmalina presente no cipó-caapi.

— O chá funciona como um alterador da percepção e da cognição, agindo sobre os  em nosso cérebro. A substância DMT existe naturalmente em diversos tipos de plantas e animais, inclusive em humanos, porém, não se sabe sua função — disse Mariana em um dia, num laboratório, que não sei precisar da onde e nem por que estávamos lá. Ela explicava com prazer, gostava de saber que sabia algo que eu não sabia.

— Algumas pesquisas inconclusivas levam a crer que no ser humano ela é produzida pela glândula pineal, bem no centro do cérebro — ela colocou as mãos no meio do topo da cabeça — causando alucinações em situações limites. Por muitos místicos é vista como a substância que abre portais para vislumbres do que teríamos após a morte.

Foi tudo alucinação? Pensei. Então como se explica todas as informações que tinha nas entranhas do cérebro. Que ainda tenho. O meu próximo passo, era óbvio, seria testá-las.

Nota:

Este livro está disponível no Kindle, peço para aqueles que gostarem que por favor adquiram a versão digital (preço bem em conta), pois incentiva esse autor a continuar escrevendo e a literatura independente a crescer  (livro na Amazon.com - para Kindle - no link externo) .

Conheça a ONG Sociedade Chauá acessando: http://www.sociedadechaua.org/

Uma Encomenda para um Novo MundoLeia esta história GRATUITAMENTE!