37 - O grande dia parte II

Começar do início

Me levanto e ficamos nos abraçando durante alguns segundos quando ouço uma baque de porta abrindo e sinto um puxão na minha cintura. E como mágica eu já estou no jardim jogada na grama e com um peso em cima de mim, como eu vim parar aqui? Que furacão foi esse jesus. Olho para o lado e vejo Pietro abraças e beijar desesperado uma Julia tão atônita quando eu sinto algo molhar meu rosto.

- Minha Fada, pelo amor de Deus me diz que não está sentindo nada - Encontro um olhar desesperado do meu futuro marido e seu rosto molhado de lágrimas. - Não sei o que seria de mim se algo tivesse acontecido com você meu amor. - Segura meu rosto entre suas mãos e me beija como se não houvesse amanhã.


Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Tudo foi muito rápido, chegamos na minha casa desesperados e vejo meu pai e meu sogro na sala com meus filhos

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Tudo foi muito rápido, chegamos na minha casa desesperados e vejo meu pai e meu sogro na sala com meus filhos. Minha princesa se levanta vindo em minha direção mostrando as unhas pintas mas eu não consigo prestar atenção. A unica coisa que eu consigo fazer é correr em direção ao jardim onde fica a sauna e gritar.

- Ísis meu amor. Cade você? - Corro.

- Meu filho o que aconteceu, o que você está fazendo aqui. - Meu pai vem em minha direção mas eu o empurro pro lado e passo por ele.

- Cadê aquela puta da Marta? - Ouço Pietro gritar. - Não façam perguntas. Encontrem ela e não a deixem sair dessa casa! - E corre comigo.

A porta da sauna está fechada e vejo que ela já está ligada. Nããããooooo! Não pode ser. Deus não faria isso comigo. Entro de supetão e assim que vejo minha fada abraçada com a Julia não espero mais nada. Puxo com toda força e a tiro de dentro dali. Caímos na grama e meu corpo pesado está por cima de Ísis, meus olhos estão encharcados e meu peito sobe e desce.

- Minha Fada, pelo amor de Deus me diz que não está sentindo nada - Olho nos olhos da minha fada - Não sei o que seria de mim se algo tivesse acontecido com você meu amor. - Seguro seu rosto entre minhas mãos e a beijo como se não houvesse amanhã.

- Meu amor, o que está acontecendo. Era pra você estar na casa com o Pietro e não em cima de mim. - Ísis diz perdida. E por que está chorando? Está me deixando preocupada amor.

Me levanto lembrando que ainda tenho que matar a maluca da minha babá. Puxo a ruiva com cara de preocupação e a abraço com força.

- Meu amor, explico já para você! Antes temos que falar com uma pessoa. - Pego sua mão e a puxo em direção a casa. - Ligamos para uma ambulância e para a policia, eles já devem estar chegando. Você e Julia precisam ser atendidas urgentes, principalmente Julia que está grávida. - Vejo Minha futura mulher tencionar e apertar minha mão.

- Meu amor, por favor me diga o que está acontecendo. - Começa a chorar. - Preciso saber!

Logo chegamos na sala onde todos estão apreensivos. Me viro pra minha fada e beijo sua testa. - Irá ficar tudo bem meu amor. - A sento no sofá e me viro para encarar todos passando meus olhos por todos da sala até encontrar os olhos cinzas da Marta.

- Você! - Aponto. - Irá morrer na cadeia, está me ouvindo? - Cuspo ríspido e dou alguns passos ate que Pietro me segura.

- Meu neto o que está acontecendo aqui? - Meu avô diz. - Estava no escritório quando ouvi o barulho e você está deixando todos preocupados.

- Essa vagabunda queria matar a ísis. - Marta estremesse. - O que você achava? Que iria matar minha esposa e que eu ia chorar no seu ombro sua maluca? - Grito.

Marta querendo se fazer de inocente fala. - Eu? O que eu fiz Sr. Vinicius? - E uma lágrima cai de seus olhos. Lagrimas de crocodilo, essa ai não me engana!

- Deixe de ser dissimulada, Kellin e Matheus já me contaram tudo! - Seu plano de matar minha esposa pois é apaixonada por mim. - Começo a rir. - Você não acha que se eu sentisse algo por você, nem que fosse apenas tesão eu já não teria comido você? - Me solto do aperto do meu amigo. - Ela colocou uma solução no vapor da sauna e essa solução iria matar a minha fada! - Grito passando aos mãos nos meus cabelos.

Todos na salas fazem um barulho de oh. - Minho sogra desmaia e é amparada pelo meu sogro que está sem ação.

- E sem esquecer que a minha mulher ia morrer junto! - Pietro urge. -Sua vagabunda barata!

- HAHAHA. - Marta rir ironicamente. - Vagabunda barata? Quando você estava me comendo não achava isso. Pelo contrario, lembro muito bem de todas as palavras chulas que me dizia quando me comia gostoso. - A mascara de boa moça enfim caiu. E mais uma vez todos fazem o 'O' com a boca, até mesmo eu. Desde quando meu amigo comeu minha babá? - Eu teria tido você em meus braços se essa ruiva desbotada não tivesse aparecido nas nossas vidas. - Anda de um lado para o outro com todos a olhando.- Amanda me ajudou a ser contratada por você na seleção para babá, somos amigas e precisava de um trabalho mas não tinha referencias. Amo o Phillipe tanto quanto amo você e cuido dele como se fosse meu filho desde sempre já que sua ex esposa nunca deu carinho e atenção. - Rir. - Como pode você ser chifrado durante anos e nunca ter olhado com segundos olhos para sua babá gostosa.

- Eu não acredito nisso. - ísis sussurra. - Meu filho, meu Deus. - Como você pode fazer isso conosco? Você é mesmo que ser da família! - Funga. - Se tivesse acontecido qualquer coisa com o meu filho eu voltava do além pra matar você sua rapariga. - O que Ísis está falando? Estou perdido agora.

- Sua filha de uma égua. Como você pode fazer isso com minha menina. - Agora é a vez da minha sogra que já estava acordada apoiada em seu marido.

- Eu sei o que vou fazer com essa puta. - Julia rosna e parte pra cima da Marta.

De uma hora pra outra minha sala vira um pandemônio e agradeço mentalmente por as crianças não estarem presenciando isso. Ainda não havia reparado, mas eles não estão aqui. Julia soca Marta e puxa seus cabelos, Pietro tenta conter sua mulher, Marta grita e Ísis parte pra cima também. Meus pais antedem a porta de onde entram vários policiais e pessoas vestidos de branco. Parece cena de novela e eu ainda estou estático, pois agora caiu a fixa do que minha fada falou... ''Se tivesse acontecido qualquer coisa com o meu filho eu voltava do além pra matar você sua rapariga'' será que é o que estou pensando?

 ''Se tivesse acontecido qualquer coisa com o meu filho eu voltava do além pra matar você sua rapariga'' será que é o que estou pensando?

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.
DOCE LOUCURA - Quando menos esperamos aconteceLeia esta história GRATUITAMENTE!