Vinícius

60 2 0

A escola inteira cochichava sobre algo, mas eu nem mesmo parei para ouvir. Estava preocupado demais com o que poderia ter acontecido com Lauren para prestar atenção, até que Nick puxou minha mochila, quase derrubando-me de costas no chão.

-O que foi? - indaguei, fitando-o. Já havia avisado Hanna sobre Lauren, ela até abriu o Twitter na minha frente, mas logo tratou de bloquear a tela do celular, evitando que eu visse qualquer coisa.

-Já sabemos o que houve com a Lauren - Julie e ele trocavam olhares nervosos, até um pouco irritados.

-E o que é? - questionei, entrando na sala. Algumas garotas que sentavam na frente olharam para nós e soltaram uma risada baixa, como se compartilhassem uma piada interna.

-Soltaram na internet uma montagem da Lauren. Ainda não vi a foto, mas está todo mundo comentando. Ela é uma piada.

-Como assim "uma montagem"? Montagem de que?

-Silêncio, por favor - reclamou a professora. Como se o mundo estivesse conspirando contra mim, no momento em que tirei o celular do bolso para mandar uma mensagem à Lauren, a professora apareceu ao meu lado - Sem celulares na aula, Vinícius - ela me estendeu a mão e eu tive de entregar o celular.

A aula se arrastou para o fim. Duas aulas com a mesma professora é de fazer qualquer um pirar, ainda mais eu, que já estava ansioso. Cada minuto era uma tortura. Quando o sinal para o próximo professor tocou, quase pulei de alegria. Fui até a mesa da professora, pegar meu celular, que a professora Mariane me entregou com certa impaciência, e nem mesmo a esperei sair, antes de mandar uma mensagem para Lauren, perguntando da tal montagem, porém, não obtive resposta imediata.

Depois de voltar para o meu lugar, chequei as mensagens novamente e encontrei uma mensagem de um número anônimo. Abri a mensagem, curioso como sou, e me deparei com a tal montagem da Lauren. Era uma colagem, com várias fotos de uma garota de costas com garrafas de bebida e cigarros em mãos. A menor foto era dela encolhida contra uma parede e, pela posição em que se encontrava, ela parecia estar chorando, enquanto as roupas estavam cobertas de lama e algo vermelho, que parecia escorrer do seu rosto.

Aquela não parecia ela. Nenhuma das garotas da montagem, exceto a da foto em que ela estava chorando, pareciam com ela. Lauren tinha os cabelos negros e lisos, enquanto aquelas garotas tinham cabelos claros, no mínimo cor de mel. Ou estava enganando a mim mesmo? Eu, realmente, não queria acreditar que era ela. Que era a Lauren naquelas fotos.

Guardei o celular, ainda em choque e tentei prestar atenção na aula, porém, me concentrar era difícil. As imagens rondavam pela minha mente, onde eu tentava, de algum jeito, colocá-las em contexto.

Sonho de Açúcar Leia esta história GRATUITAMENTE!