Capitulo 1

16.9K 742 23
                                    

- Cada um pode pagar num ovo. Aqui têm, obrigado.

O Tribunal estava cheio de jurados, testemunhas e simples espectadores que não tinham mais nada para fazer se não presenciar um caso de crime como este.

- Agora podem bater com o seu ovo no ovo do seu companheiro ao lado, por favor.

Em menos de um minuto metade dos ovos entregues estavam partidos e as pessoas riam-se não compreendendo o que estava a acontecer. '' Ficou maluca a rapariga? '' pensavam eles.

- Espero que o que a Millena está a fazer, tenha alguma lógica, é que ninguém está a perceber o porquê dos ovos. - pronunciava a juíza mais fula do que nunca.

- Meus caros senhores e senhoras, o que nós verificamos aqui é um simples caso de fisíca. Quando dois ovos chocam, a casca de um deles parte-se enquanto que a casca do outro ovo fica intacta.

- Isso tudo é muito interessante, mas o que é que tem haver com o nosso caso? 

Viro-me para a juíza, observando o seu olhar zangado.

- Tem tudo haver. Se a nossa querida Helen tivesse sido morta com esta garrafa de vidro que temos aqui. - Pego num saco com a garrafa lá dentro - iria acontecer a mesma coisa que aconteceu com o ovo. O crânio de Helen foi fraturado, o que gerou a morte da nossa vítima, mas como todos vêm a garrafa também está partida, o que não tem qualquer lógica.

A juíza Armstong faz um ar pensativo.

- Por isso, podem ter a certeza que esta não é a arma do crime e nesse caso o Mr. Collin está inocente. Peço uma absolvição para o meu réu. Agora não ha nenhuma prova que nos indique que ele é o assassino da sua ex-esposa.

Faço uma pequena vénia e depois de mostrar o meu melhor sorriso, volto para o meu lugar ao lado do meu cliente. 

Liam Payne levanta-se do seu lugar e começa a dar a sua própria visão da história e a pedir para deixarem entrar na sala mais testemunhas de acusação, o que felizmente a juíza Armstong não permitiu.

- Peço considerar Mr. Collin como culpado, apesar deste espetáculo todo dos ovos - Olha para mim - nós ainda temos as várias cartas de chantagem recebidas por Helen no dia da sua morte com o nome e morada da nova casa de Mr. Collin.

Levanto-me e interrompo.

- Queria também dizer que não foram encontradas impressões digitais nos papeis e que foi escrito tudo por computador, podia ter sido qualquer pessoa a mandá-las.

A juíza bate com a martelo e mandanos sentar. Mando um olhar zangado a Liam. Argh como este Liam irrita-me!

- Os depoimentos e interrogatórios já encerraram! Peço por favor que esperem pela nossa decisão. Há alguma coisa mais que nos queira dizer Mr. Collin?

Dou um pequeno murro no braço de Collin pedindo-lhe para se levantar.

- Euuu só qee-riaa dizer qu-uee nunca tería coragem de matar a minha mulhe-eerr.

Puxo Collin de volta ao banco antes que ele diga alguma porcaria. Ele faz-me um olhar a pedir desculpas enquanto limpa a sua testa suada com um pequeno pano. Os jurados saem da sala e voltam passado quinze minutos já com a decisão tomada. Espero que se despachem, ainda tenho um almoço com a minha irmã....

Todos levantam-se e ouvem a longa sentença

- ( ... ) Autorizo o presente pedido para absolver o réu Collin McGoir qualificado nos autos, da prática do crime previsto no Art. 121 do Código de Processo Penal com fundamento na falta de comprovação de culpas do acusado e falta de provas. 

Armstong bate com o martelo na mesa e todos começam a sair felicitando Collin e a mim. 

(...)

- Lara desculpa pelo atraso! Tive um dia horrível, o caso era tão fácil mas apareceu aquele otário do Liam Payne. Aquele homem só dificulta-me a vida. - digo sentando-me na unica cadeira vaga à frente da minha irmã.

- Mas ganhaste o caso?

- Claro, não havia provas , o meu colega Liam não tinha hipóteses. - reviro os olhos.

A minha irmã faz um grande sorriso e os seus olhos começam a brilhar. Percebo logo que vem aí coisa. Da ultima vez que ela fez aquela cara esteve meia hora a implorar-me para ajudar o pai do namorado dela com uma multa que ele recebeu de 300 euros e que não queria pagar... Começo a sentir um certo medo.

- O que foi agora?

- Como sabes que eu ía-te pedir uma coisa? - Diz Lara fazendo-se de desentendida como sempre.

- Eu conheço-te. Diz lá...

Lara começa a retirar da sua mala da D&G uma fotografia. Olho para a foto pousado na mesa mesmo á minha frente e vejo um rapaz de mais ou menos 20 anos com um lindo sorriso e olhos verdes. Tem cabelo meio encaracolado e é bastante atraente. Querem ver que quer arranjar-me um namorado?!

- Querida, este é o Harry. Harry Styles.

O nome não me é estanho.

- Hum... Nick Styles? - diz ela, mechendo as mãos como se quisesse arrancar de mim uma resposta.

- Ahhh Já sei. Ele é irmão do Nick?

Eu sabia que ía ter alguma coisa haver com o Nick. Ela faz tudo pelo seu namorado.

- Não. Ele é primo afastado do Nick mas eles são melhores amigos desde a infância.

- E o que eu tenho haver com isso? -pergunto meio confusa.

- Milla, este rapaz está metido em sérios sarilhos. Ele esteve a esconder-se dos polícias por 2 semanas na casa de férias da família na Islândia, mas foi apanhado a sexta-feira passada. Milla, ele está agora em prisão temporária e o Nick anda à procura de um advogado para tirá-lo de lá. Ele provavelmente vai ganhar uma pena de prisão de 10 anos, ou mais até.

Franzo a testa.

- Milla, eu preciso que tu ajudes-lhe.

- Claro, era só dares-lhe o meu telemóvel - Pronuncio e começa a arrumar as minhas coisas para irme embora.

- Eles não têm muito dinheiro, tu sabes que eles andam com problemas... E o caso é mesmo difícil, há mais pessoas metidas nisto.

Sorriu e ponho a minha mala nos ombros. Dou um pequeno beijo na testa da minha irmã e peço-lhe de novo para dar o meu número de telemóvel aos familiares do Harry. É claro que eu ando a precisar de algums dinheiro estes dias mas se eu dissesse Não à Lara, ela cortava os laços de família comigo para sempre. Pelo menos vou-me divertir... Ouvi dizer que na família dos Styles, eles são todos meio estranhos...

O Crime - Harry Styles FANFICOnde as histórias ganham vida. Descobre agora