Chapter 43: Coincidências não existem

4.4K 479 117

Sean

Desperto de meus pensamentos quando Ryder finalmente chega. Sirvo a ele um pouco de uísque e depois disso conversamos por horas. Contratei seus serviços quando completei vinte anos. Ryder trabalhava como bartender em um pequeno pub perto da minha faculdade, mas seu negócio mesmo era tentar bancar-se como investigador, contudo como ainda era muito jovem – com apenas dezenove anos na época – não era levado muito a sério.

Descobri sobre seu trabalho quando acidentalmente o ouvi conversando com um de seus clientes, um garoto de sua fraternidade. Não consegui me conter e o procurei naquela mesma noite quando fechava o lugar. De início Ryder já aceitou me ajudar, achou a história "fascinante" e disse que daria uma bela guinada em seus serviços. O ofereci apoio financeiro total, não tinha tanto dinheiro, pois não aceitava nada que vinha de Úrsula, entretanto ainda tinha a herança que recebi de meu pai.

Ryder é a única pessoa que sabe a verdade, toda ela, e durante todos estes anos tentou encontrar respostas as minhas tantas perguntas.

Após um tempo a conversa superficial foi embora. Nós dois reparamos que já estava no momento de focarmos no assunto importante, no que Ryder veio me dizer.

- Estou um pouco intrigado. – inicio o assunto. – Tanto tempo se passou Ryder... – fecho os olhos massageando minha testa de imediato, sentindo um breve incomodo que indicava uma futura enxaqueca. – Não esperava mais notícias suas sobre este caso. Eu... – suspiro pesaroso. – Eu abandonei isso tudo há um bom tempo.

- Entendo o que quer dizer. – Ryder se aconchega um pouco mais em sua poltrona. - No começo fiquei muito animado com seu caso, afinal foi meu primeiro trabalho real como investigador, porém com o passar do tempo fui perdendo as esperanças. – revela.

– Já faz oito anos, Sean. Oito longos anos que, mesmo não acreditando, investiguei a fundo e em todo este tempo não encontrei nada, nem um vestígio. Todas as pistas que encontrava eram inúteis, sem nenhuma saída. – ele mira em meus olhos e sinto seu entusiasmo mesmo antes de completar. – Pelo menos até agora. – Vejo a expressão de Ryder mudar rapidamente.

- Não entendo... – paro de encarar minha bebida para olha-lo. – Como você pôde encontrar algo apenas agora? – indago confuso. – Não estou duvidando dos seus serviços, mas todos os dados do caso são antigos. Entreguei tudo á você, não consigo entender como apenas agora...

- Sim, eu entendo. No entanto, não fui eu que achei – informa sério – Foi você.

Por alguns segundos penso em rir do que disse. Como eu posso ter encontrado algo se passei todo este tempo tentando simplesmente esquecer? Ryder deve ter notado minha confusão, desta forma começa a se explicar.

- Alguns dias atrás você me pediu para investigar uma pessoa...

- Sim, era uma pesquisa básica, queria apenas algumas informações. – relato lembrando-me do pedido. Tenho esta mania de pedir á Ryder algumas pesquisas e informações sobre algumas pessoas, apenas aquelas que irei fazer algum negócio ou que trabalharão comigo. Não é nada muito grande, apenas gosto de me manter informado e saber com quem estou lidando. – Não entendo como isso pode estar relacionado a este caso. Você já realizou este tipo de pesquisa para mim diversas vezes.

- Mas é desta forma que nós encontramos a solução, - Ryder agora sorri. - procurando em locais improváveis.

- Não estou entendendo, explique-se. – exijo começando a me irritar com sua enrolação.

- Prefiro mostrar. – pega sua enorme pasta de couro, que estava no chão, e a abre revelando diversos papéis. – Estes são todos os documentos do seu caso. Tudo que encontrei, pesquisei e também não consegui resolver está aqui. – tira uma enorme pilha de papéis de sua pasta e me entrega.

Sempre sua Luce  (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!