Capítulo 65.

1.8K 139 31

6 meses depois..

     É, a gente tava certo quanto eu estar grávida. Mas quando meu pai soube, ele surtou. Brigou muito comigo, e eu chorei horrores. O Davi conversou com ele, falou muito, gritou muito, e acabou que no fim, deu tudo certo. Minha "mãe" soube que eu estava grávida, e bom, ela não disse nada sobre isso, na verdade, desde então, eu não vi ela mais. Adam ainda está naquela, e um pouco bravo comigo. Estou quase agredindo ele, mas tô me contendo por enquanto em só continuar sentada no sofá, por que é isso que eu quero fazer desde que fiquei grávida, e é a única coisa que o Davi me deixou fazer também. Saco. Mas o lado bom de isso tudo, é que o bebê está me dando força nisso, e me acalmando muito. Fico passando a mão na barriga (faço muito isso)

- Eu acho tão lindo quando você faz isso.- Olho pro Davi escorado na porta, e eu sorrio chamando ele com a mão.

- Ai porra.- Coloco a mão no rosto.

- Que foi?- Ele abaixa desesperado na minha frente.

- Essa criança só pode tá achando que meu útero é pula-pula.- Reviro os olhos e o Davi gargalha.- Meu filho, a barriga da mamãe não é pula-pula, tá?- Falo pra minha barriga e o Davi ainda tá rindo.- Tá rindo né? Vou jogar a bola que a Miley Cyrus usou no clipe dela, jogar na sua barriga pra tu ver como dói.- Ele ri mais.

- Ai.- Ele coloca a mão na barriga, e eu não aguento e rio junto.

- Obeso.- Empurro ele rindo, que cai no chão rindo (também). Ele levanta e senta do meu lado.- Amor, ele tá chutando.- Digo e ele coloca a mão na minha barriga. Ele sorri, e isso me faz sorrir também. Já vimos né amores: pai coruja.

- Ei meu amor.- Ele fala baixinho perto da minha barriga.- Papai tá aqui.- Um chute.- É.- Ele ri.- Papai tá aqui com você, a mamãe também, mas a mamãe não importa.- Eu dou um tapa nele, que ri alto, e eu também.

- Ridículo.

- Te amo.- Ele me da um beijo.

- Te amo também.- Deito a cabeça no ombro dele, quase dormindo com ele passando a mão na minha barriga. A campainha toca, e o Davi se levanta pra atender.

- Amor.- Ele aparece ali, e a Gabriela (minha "mãe") atrás dele.

- Posso falar com você?- Ela pedi e eu respiro fundo, concordando.

- Quer que eu fique?- Davi pergunta.

- É em particular.

- Eu perguntei pra ela.- Responde ignorante.

- Não precisa amor.- Digo e ele concorda.

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!