2 - O clã do Pacto

897 58 19

Sua garganta ardia demais, sentiu um tremor no corpo e um gosto metálico na boca. Ela estava sangrando e dava para sentir o gosto de sangue descendo por sua garganta. O que iria fazer? Onde estava?

A menina abriu os olhos e seu coração pulou tão rápido que pensou que ele sairia pela boca. Amie estava em uma floresta. Olhando para vários galhos a cima dela. Mas onde será que era isso?

Com muito esforço, conseguiu se sentar e olhou melhor.

Sua perna sangrava e seus braços estavam arranhados, doía muito. O vestido, que antes era formoso e belo, havia rasgado e o chapéu de bruxa estava há alguns metros de distância. A jovem bruxa se levantou e cambaleou até ele.

Amie sentia muita dor no corpo. Havia um ferimento exposto na perna direita e ela não sabia o que fazer. Será que um feitiço ajudaria? Mas que tipo de feitiço, Amie? Você acabou de se teletransportar para um lugar desconhecido! Menina burra!

A bruxa caminhou com muito esforço até uma das árvores mais próximas e se sentou bem perto da raiz. Queria chorar. Como ela poderia ter feito algo desse tipo? Quando estava fazendo o feitiço, desejou sumir e não passar por tudo aquilo e então, sumiu! Ela estava em uma mata, perdida. Como poderia ser tão inútil daquela forma?

A menina se sentia cansada demais. Amie fechou os olhos e deixou que seus pensamentos viajassem para longe. Por um momento, temeu, não poderia simplesmente dormir naquele lugar. Talvez fosse perigoso demais, mas mesmo assim ela não sabia o porquê, estava com sono e adormeceu.

ALGUMAS HORAS ANTES, NO CASTELO...

Alek não parava de andar de um lado para o outro na esperança de encontrar Becky. O jovem príncipe não a via desde a última festa que tiveram no castelo. Becky era a filha do Rei de Safira. Todos sabiam que o Reino de Safira ainda não tinha nenhuma aliança com o Reino de Ônix, mas o pai de Alek estava tentando conseguir e ele tinha esperança que depois da apresentação de Amie o Rei concordaria que eles poderiam ser aliados.

Isso seria perfeito para o Reino de Ônix. Eles não eram seres tão poderosos, mas com uma aliança como essa, talvez ganhassem mais prestígio.

Becky era uma sereia e desde a primeira vez que Alek a tinha visto o seu coração tinha batido de uma forma incontrolável.

Os seres dançavam de um lado para o outro e então ele viu aqueles olhos que brilhavam mais do que todos os outros.

O coração de Alek estava aos pulos. Becky era extremamente bela e hoje usava um de seus vestidos formosos. Ele era azul e tinha alguns brilhos que a deixava ainda mais encantadora. Ela tinha enormes cabelos verdes cacheados e tinham muito volume. A sereia era muito branca e sua pele tão macia que Alek desejava se perder eternamente nela. Seus olhos eram grandes e ás vezes mudavam de cor, uma característica das sereias de Olivarum. Agora eles estavam amarelos, meio esverdeados. Quando Alek se aproximou, ela sorriu.

— Olá, princesa. — Alek a cumprimentou enquanto pegava a mão dela e a beijava.

A jovem era charmosa. Talvez por ser sereia. Esses seres eram dotados de poder na sedução e encantamento.

— Meu amado príncipe de Ônix. — Respondeu com sutilidade na voz. As sereias tinham dons com relação a voz. Becky cantava tão bem que até mesmo quando ela falava as palavras saíam como várias notas de uma arpa. — Me sinto tão honrada em vê-lo novamente.

As sereias tinham duas formas. Nesse momento Becky estava usando suas pernas normais. Mas quando ela desejava a sua cauda aparecia e ela podia nadar. Alek nunca tinha visto, mas sabia disso porque passou um tempo de sua vida lendo livros sobre sereias, apenas para conhecer melhor sobre ela.

A Princesa de Ônix - (Degustação) Leia esta história GRATUITAMENTE!