[PRÓLOGO]

811 75 10

Primeiramente: sim, estou escrevendo de novo. Na verdade não sei porque parei em algum momento. Claire sempre disse que escrever me fazia bem, que me ajudava na terapia e no dia a dia. Bom, me sinto compelida a contar o que aconteceu enquanto eu não escrevia, afinal algum dia alguém pode achar esse diário e querer publicá-lo em algum lugar, não é mesmo? Ok, Maggie, não sonhe tão alto.

Parei de escrever há quase 6 meses, logo após o "incidente". Eu disse que não sei o porquê de ter parado, né? Mas, fazendo uma análise rápida, é, na verdade, por um motivo bem simples. Sim, foi por causa dele mesmo. Caleb. Independente do que eu colocasse nas páginas em branco, eu ia acabar tendo que escrever sobre ele, e isso eu não queria fazer naquele momento. O que eu relatei aqui já foi doloroso demais para mim. Aquela ainda não era hora. Eu não me sentia pronta para isso. Agora falar sobre o que aconteceu não dói, não assusta tanto. Eu não revivo mais aquilo diariamente. Eu tenho outras coisas para falar, mas se o assunto me vier não vou ter problema em comentá-lo.

Agora vou atualizar um pouco sobre como andam as coisas por aqui. JJ já está com quase 8 meses de gestação e, seguindo as indicações médicas do obstetra, não viaja mais com a BAU. Ela ainda se recusa a parar de vez com o trabalho (já foi difícil conseguir convencê-la de parar com as viagens, Hotch teve de ameaçar afastá-la de vez), então ela fica com Penelope auxiliando da forma que pode nos casos novos em que a equipe trabalha.

Will não pode estar mais feliz com a chegada de "mais um garotão", como ele sempre fala. O nome do bebê ainda não foi decidido e eu procurei não saber quais eram as opções. Não queria de forma alguma influenciar na escolha, essa deveria ser uma decisão inteiramente dos pais.

Henry está cada dia mais lindo. Apesar de agora estar na fase de não querer mais tanto carinho das titias "babonas", ele continua adorando brincar comigo e, principalmente, aprender truques de mágica com Spence. Acho que nós dois meio que voltamos a ser crianças quando perto dele.

Penelope ainda está firme com Sam e Derek com Savannah. Confesso que acabei de afeiçoando muito a Savannah. Ela trabalha como médica no pronto socorro de um dos maiores hospitais da região e talvez por nossa profissão em comum, ao mesmo tempo em ramificações tão diferentes, acabamos nos aproximando bastante.

Já que estou atualizando sobre os casais, Anna e James continuam na mesma. Eles estão juntos, mas não assumiram nenhum tipo de compromisso. É o jeito deles e eles fazem funcionar assim.

E com Beth e Hotch eu nunca entendi direito o que aconteceu. Aparentemente, ela teve que se mudar para Boston e eles decidiram que seria melhor não manter um relacionamento assim. Hotch continua sendo bastante reservado, então isso é tudo que sei sobre a situação.

Agora sobre mim: estou assistindo algumas aulas de psicologia na universidade daqui e a verdade é que estou gostando muito. Aprender sobre a mente e o comportamento humano tem me fascinado cada vez mais. Comecei logo após a viagem para Las Vegas. Conversei um pouco com Spence e ele me motivou muito, disse que tinha certeza que eu iria gostar. A parte engraçada é que uma das minhas professoras, Dra. Alex Blake, é uma grande amiga de Spence que já trabalhou com o FBI também (não cheguei a conhecê-la na época) e acabou o convidando para participar de algumas aulas durante a matéria. Então sim, Spence será meu "professor" por alguns dias e eu serei aquela aluna que tem um caso secreto com um professor.

"Um caso" seria simplista demais para a nossa situação. Spence está basicamente morando comigo. Ele ainda tem o apartamento com as coisas dele, claro, mas metade das suas roupas já estão aqui. Ele já tem sua chave, seu cereal, sua escova de dentes... E, bem, eu estou feliz com isso, afinal, eu fui deixando que acontecesse. É bom o ter por perto, a gente continua se dando bem mesmo estando quase sempre juntos. Eu ainda conto os minutos para vê-lo depois do trabalho, eu ainda sinto um aperto no peito quando ele viaja para resolver algum caso e eu ainda fico ansiosa esperando sua volta.

Atualizações feitas, vou retornar ao meu jeito habitual de escrever. É claro que teriam muitas outras coisas para contar, mas são oito da manhã (ai que sono) e preciso ir me trocar logo. Prometo (olha pra mim, fazendo promessas para um diário) que vou contando mais conforme for escrevendo. Nunca fui muito assídua, de escrever todos os dias, mas tudo de mais importante que aconteceu na minha vida está escrito em diários como esse. Vou tentar melhorar essa periodicidade. Então até amanhã (eu acho).

Um amor inesperado II (Criminal Minds)Read this story for FREE!