Capítulo 8

34 3 0

Boa madrugada, gente!

Tive problemas com o WattPad hoje. Não estava conseguindo postar nada! Por sorte, tudo voltou ao normal agora. Para comemorar o fato - e também para me desculpar pelo atraso - vou postar 2 capítulos hoje! Espero que curtam. Comentem! :*

---

Dad, não é justo aquela sem graça ter ganhado o papel e eu não! – Aline andava de um lado para o outro, as mãos na cintura. – Você disse que tinha tudo sob controle e que eu seria a protagonista!

– Eu não tive escolha, filha. Angelique e Manolo adoraram Elena como cisne branco. Ela tem cara de inocente, pura e besta. Você, por outro lado, é segura e ousada. Perfeita para o papel de cisne negro e, a meu ver – ele pausou, antes de se sentar de frente para a filha –, muito mais interessante. Sem esse personagem, não existiria história.

Aline revirou os olhos.

– Eu sei, daddy. Mas Odile é a antagonista da história, e eu queria ser protagonista – insistiu birrenta. – Você disse que conseguiria. Que me daria tudo o que não deu esses anos todos.

Cruzou os braços e fechou a cara. O pai nunca resistia às suas chantagens emocionais de filha abandonada. Sabia que Ronald, apesar de seus defeitos, queria ter feito diferente. Agora, tentava ser um pai melhor e dar tudo o que ela queria – mesmo que não pudesse reconhecê-la formalmente como filha; do contrário, seu casamento e sua carreira estampariam revistas e jornais por semanas. A mãe de Aline era uma cantora pop mundialmente conhecida.

Ronald suspirou cansado.

– E o que você quer que eu faça, dear?

– Uhm... – Aline voltou a atenção para ele novamente. – Você podia fazer um daqueles seus feitiços que usa para conseguir fama – sugeriu.

Ronald avaliou o pedido da filha. Não achava necessário fazer feitiço para tirar Elena do elenco. Eles poderiam armar alguma ou ele poderia simplesmente dizer que Elena não conseguiria. Mas quem acreditaria? A menina fora ótima nos ensaios. Boa demais até. Olhou mais uma vez para a filha, que estava com a cara da expectativa. Não podia decepcioná-la de novo.

– Está bem, Aline. Tive uma ideia. Acho que vai gostar.

Aline pulou, feliz como criança comemorando a ida para a Disney.

– Obrigada, daddy! Você é o melhor pai do mundo.

---

POSTEI UM CAPÍTULO EXTRA ESSA SEMANA. CONTINUE LENDO!

:)



O Canto do Cisne: Um conto de fadas modernoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora