Beatrice com 7 anos

91 10 8

VERÃO!

Quem não gosta de verão ? Bom, muita gente não gosta, eu sei. Mas verão é época de praia, sol, curtição, e sei lá mais o que.

Era bem nesse clima de verão que lá estava eu na casa do meu primo Darlan.
Meu primo Darlan sempre foi um melhor amigo pra mim. Tínhamos a mesma idade, assim como a Juliana e todos os nossos outros primos.

Darlan me ensinou a desenhar, me ensinou a como enrolar as meias, me ensinou a forma correta de segurar um lápis de cor na hora de pintar e, com toda certeza, me ensinou a gostar de dinossauros. Éramos bons juntos. Fazíamos merdas como toda criança faz, mas fazíamos merdas saudáveis, se é que isso existe.

Num dia desses de sol, a mãe do Darlan resolveu montar a piscina dele.
Nunca moramos em casas grandes, condomínios ou coisa parecida, então não tínhamos uma piscina de verdade, só as de plástico mesmo. E acreditem: a gente ostentava!

Depois de toda a euforia pra ajudar a montar a maravilhosa piscina azul, fui pra minha casa feliz e contente pedir a minha mãe pra tomar banho de piscina com ele.

Cheguei bem calma na cozinha, primeiro esperei que ela me pedisse pra fazer alguma coisa, porque tem sempre que esperar algo pra se tirar vantagem, certo ? Certo.
Depois de um tempo bem quietinha sem fazer bagunça nem atrapalhar em nada, soltei de uma forma bem persuasiva (talvez essa não seja a palavra certa).

- Mãe, minha tia pediu se posso tomar banho de piscina com o Darlan. Pode ?

- Sua tia que pediu, Beatrice ? - Ela me olhou com aquela cara de que já tinha sacado toda a minha estratégia.

- Foi, mãe! - Olho pros meus dedos.

- Agora não, Beatrice. Agora voce já vai almoçar. - E então ela voltou a olhar a comida no fogo.

- Mas mãe...

- Não vou repetir. Voce já sabe.

Nem precisou olhar pra minha cara.
E foi então que voltei emburrada e com cara de choro pra casa do Darlan (que por sinal já estava na piscina) e disse que eu não poderia pois iria almoçar.

- Minha mãe não deixou, tia. - Fiz cara de choro e um drama meio atriz de novela mexicana.

- Por que não ? O sol nem tá tão forte hoje, Bea.

- Porque tá na hora de almoçar, tia.
Minha tia olhou o relógio.

- Nossa, é mesmo! Darlan, sai e vem almoçar. Depois a Bea vai poder ir com você.

Olhei pra cara do Darlan que me olhou como quem dizia "te mato!" e ri baixinho.

- BEATRICE, VEM ALMOÇAAAAR!! - Minha mãe me gritou.

- Tia depois eu venho. - Fechei o portão e saí correndo pra casa.

Chegando em casa encontrei minha mãe com meu prato de comida arrumado esperando por mim na sala.

- Se não comer tudo, você não vai. E tem que comer a beterraba.

- Mas beterraba é ruim, mãe. - Faço cara de sofrida.

- Não é! Coma! - Ela me entrega o prato, eu sento e começo a comer.

Almocei engolindo os pedaços de beterraba bem rápido pra não sentir o gosto (faço isso até hoje) e entreguei o prato pra minha mãe ainda com a comida na boca.

- Mãe, pode ir ?

- Você mal terminou, Beatrice. Sossegue!

Termino de engolir a comida.
- Mas mãe, você disse depois do almoço. - Fiz logo minha cara dramática de atriz mexicana.

- Você tem que esperar um pouco. Não pode entrar de barriga cheia. Enquanto isso vai colocar o biquini. - Minha mãe pegou o biquini e deu a parte de baixo na minha mão.

Fui no banheiro e coloquei e voltei só com a parte de baixo. Suspendi os cabelos e ela logo amarrou a parte de cima e me passou protetor.

- Vá escovar os dentes.

- Tá.

Fui no banheiro e peguei minha escova rosa e minha pasta Tandi de uva e escovei bem meus dentes.
Volte pra sala como uma santa e sentei do lado da minha mãe por alguns minutos.

- Pode ir. - Ela disse. - Mas espera um pouco antes de entrar! E vê se não se afoga e nem mata seu primo.

- Ta bom!

Levantei e saí correndo de biquini pela rua. Entrei na casa do Darlan com um sorriso provavelmente maior que o do Coringa.

- VOLTEEEEI!

Do nada uma cabeça saiu de dentro da piscina juntos com duas boias de braço de sapinho verdes e um óculos de natação. Era o Darlan!

- EAEEEEE

Entrei na água.
- Ui ta frio - Ri e ele jogou água em mim. Começamos uma guerrinha d'água daí e depois de um tempo paramos.

- Bea ?

- Que foi ?

- Por que voce usa biquini e não sunga ?

- Porque eu sou mulher!

- E o que tem demais nisso ? - Ele se senta na piscina.

- Quando eu crescer, meus peitos vão crescer. Sua mãe tem peitos grandes, eu também vou ter. - Me sento de frente pra ele.

- Mas você também tem pinto, né ?

- Pinto ?

- É, ué. Na sua sunga.

- Não é uma sunga, é um biquini! E eu tenho piriquita!

- Deixa eu ver ?

- A minha piriquita ?

- É! Eu deixo você ver o meu pinto.

- Ta bom.

Ajoelhei na água na maior inocência e abaixei um pouco o biquini.
Darlan fez a mesma coisa e ficamos olhando.
Um olhando o do outro.
Era estranho.
Até que Darlan põe a mão em mim.

Sim!
!

- Ei, não faz isso, sua mão ta gelada. - Subi o biquini.

- É estranho. - Ele se endireitou e sentou.

Me sentei novamente e ficamos nos olhando.

- Você já viu aquela coisa que os atores e as atoras fazem na novela quando tão namorando ? - Perguntei.

- Eles beijam.

- E voce já fez ? - Me sentei do lado dele.

- Não. E você ?

- Juliana fez comigo. - Ri e ele riu junto.

- Me ensina ?

Concordei, e lá estava eu na piscina de plástico beijando outra vez. Um beijo de verdade.

Na verdade era um beijo com mais ar do que qualquer ar que possa existir na face das galáxias.
Se os biscoitos beijassem, seria tipo um beijo entre dois pacotes de Doritos. Ou talvez até de Ruffles.

Mas enfim, o beijo acabou!

E nós nos encaramos, olhamos pros lados, rimos e fomos brincar na água.
Como se nada tivesse acontecido.

No dia seguinte quase apanhamos por fazermos cigarros com o meu cabelo e por cortarmos minha franja e darmos de comida pra alguns dinossauros de brinquedo.

Fala sério! Não dava pra fazer nada de legal naquela época sem levar esporro. '-'

Relatos de Uma AdolescenteLeia esta história GRATUITAMENTE!