Observo as roupas que Harry escolhera, uma camisa branca com alguns botões abertos, calças pretas e suas típicas botas igualmente pretas. Harry me fascina, desde o olhar até a maneira única de se vestir. E novamente estou aqui, tentando descobrir o que acontece comigo e faz com que eu me sinta diferente ao seu lado. Nossas mãos entrelaçadas dizem mais do que algum dia minha boca admita o que realmente sinto por ele.

"O que foi?" As palavras de Harry me tiram dos meus pensamentos confusos e só então percebo que estava o encarando desde o momento em que entramos no carro.

"Nada." Meus lábios se curvam em um sorriso nervoso e Harry leva minha mão até seus lábios antes de deixar um beijo nas costas da mesma. Sinto os famosos arrepios pelo meu corpo e isso faz com que meu sorriso fique maior. Ainda sem desentrelaçar nossas mãos, ele continua olhando para frente e eu apenas espero chegarmos ao nosso destino.

"Há algo errado com você." Harry afirma e logo seus olhos procuram pelos meus.

"Por que diz isso?" Seus olhos estão entre o caminho e os meus.

"Por que não faz perguntas? Onde está a Emma que eu conheço? A Em curiosa que sempre consegue tirar sorrisos de mim?" Observo seu semblante mudar com cada palavra dita.

"Então você gosta de mim assim?" É inevitável não sorrir ao perguntar isso.

"Gosto, não gosto quando fica calada por muito tempo." Ele admite e meu sorriso se alarga mais, se é que isso é possível.

"Então vamos falar sobre o lugar que você vai me levar!" Sorrisos são tirados de ambos de nós e consigo sentir a ansiedade correr em minhas veias.

"O que quer saber sobre o encontro?" Sinto meu coração bater mais rápido com suas palavras. Então é isso? Meu primeiro encontro será com Harry. Minha cabeça diz que isso não é um bom sinal, mas meu coração diz que é assim que deve ser. Se eu seguir meu coração, vou me arrepender depois? "Emma?" Harry me chama e, outra vez, ele me tira dos meus pensamentos confusos.

"Desculpe." Sorrio na tentativa de esquecer por um momento o que minha consciência grita "Falta muito?"

"Não, na verdade, já chegamos." As palavras de Harry fazem com que eu olhe através da janela do carro o lugar em que estamos.

É como o campo, mas há algumas árvores fora do espaço aberto. Algumas pessoas estão aqui, desde adultos até crianças. Vejo alguns casais sorrindo e caminhando, algumas crianças estão com seus pais e ambos brincam. O que me chama atenção é uma toalha xadrez sobre a grama, pratos para duas pessoas e uma cesta.

"É aqui?" Um sorriso se forma em meus lábios e Harry assente sorrindo também antes de desentrelaçar nossas mãos, sair do carro e abrir a minha porta, como sempre faz "Obrigada e, esse lugar, é incrível!" Harry sorri mais largamente com minhas palavras, mas a verdade é que ele tinha razão, eu amei tudo isso.

"Eu sabia que iria gostar!" Ele diz animadamente, sorrio e olho para minhas mãos, uma mania boba que eu tenho. Noto que o corte em minha mão esquerda desapareceu, não há cicatriz ou qualquer vestígio de sangue. A lembrança volta para o dia em que Harry, milagrosamente, tirou os cortes das minhas pernas e braços. Harry.

"Obrigada." Passo o polegar sobre a palma da minha mão que antes estava machucada, Harry parece entender o que eu quis dizer e sorri novamente antes de entrelaçar nossas mãos mais uma vez. Caminho ao seu lado, sem nunca deixar de sentir meu coração bater mais rápido e vejo que ele se aproxima cada vez mais da toalha xadrez sobre o chão. Vejo ele parar quando estamos ao pé da toalha e olha para mim "Isso é para nós? Como você fez isso?"

"Digamos que eu tive uma pequena ajuda..." Ele diz enquanto sorri e se senta ainda sem soltar minha mão, faço o mesmo querendo guardar cada pedacinho disso na minha memória.

My Solitary Angel | H.SLeia esta história GRATUITAMENTE!