Capítulo 1

67.3K 3.3K 657

Essa é a primeira história sobre a família Stefanos, está em degustação com apenas os dez primeiros capítulos. Em breve vai estar a venda na Amazon. 

 


Pov - Leon


Reunir os quatro Stefanos nunca é fácil, mas sempre necessário. Tomo um gole do vinho enquanto escuto a conversa dos meus três irmãos. Todos eles mais jovens do que eu. Desta vez nos reunimos no escritório de Nova York, mas podia ser em qualquer outro continente.

― Então acha que chegou a hora? - Heitor me questiona. É o segundo irmão, não muito mais novo que eu, sabe tudo que passamos melhor que ninguém.

― Sim! Acho que a hora da vingança finalmente chegou. - Fico de pé. Caminho em direção as vidraças panorâmicas, uso um caríssimo terno Armani, tenho tudo que o dinheiro pode comprar. Venci.

Meus olhos recaem sobre Manhattan e sua poderosa vida pulsar, o rio Hudson e suas águas tranquilas.

Não foi fácil, para nenhum de nós chegar aqui. Uma das dez maiores fortunas do mundo segundo as revistas especializadas nessas tolices. Minha memória volta para a infância. Para o dia em que eu, meus irmãos e meu pai fomos expulsos de nosso lar.

Kirus era só uma pequena ilha grega, esquecida no mapa, perdida em meio as belezas exuberantes do arquipélago grego, mas era o lar dos Stefanos, tudo que conhecíamos, tudo que tínhamos estava ali. Quiron Kalimontes, eu jurei que ele iria pagar por aquilo e agora posso finalmente cumprir minha promessa. O homem que destruiu nossa família, aquele crápula vai conhecer o peso de minha vingança.

― Então vai retornar ainda hoje para Kirus, Leon? - Ulisses questiona. É o irmão do meio, o terceiro, não se lembra de tudo em detalhes como eu e Heitor, mas não sofreu menos.

Abandono meus devaneios e volto para o elegante sofá de couro negro. Me sento próximo a meus irmãos. Respiro fundo, tomo mais um gole do vinho.

―Volto. Quero dar início a nossa vingança. Acabar com isso de uma vez. - Encaro Ulisses, ele afirma. - Kirus é agora totalmente nossa, cada pequena parte da ilha, todo comercio, casa, tudo que existe nela nos pertence, inclusive a mansão de Quiron e todas as suas dívidas, claro que o arrogante nem desconfia, continua se comportando como um playboy milionário, ostentando uma fortuna que perdeu há muito tempo.

― O plano é expulsa-lo como fez conosco? - Heitor pergunta guardando documentos em uma pasta preta de couro. Um lampejo de ódio passa por mim, sorrio. Aquele homem me ensinou a odiar.

― Farei com ele exatamente o que fez conosco, comprei duas passagens de avião na classe econômica, para ele e sua amante, depois de me certificar que ele vai deixar a ilha com nada além da roupa do corpo vou providenciar sua partida.

― Duvido que Samara o acompanhe, depois de descobrir que ele não tem mais nada ela vai manda-lo para o inferno. - Ulisses diz sorrindo.

― Isso pouco me importa, ela pode fazer o que quiser, seria mesmo muito melhor se ela o deixasse. Qualquer um pode ver que a mulher só quer o dinheiro que ela acha que ele tem.

Paixões Gregas - Um amor como vingança (Degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!