Minha História

123 4 2

  Oque você faria se tivesse 19 anos e... fosse apaixonada pelo seu tio, um K-idol famoso, de 28 anos, que alem de ter um sorriso lindo, ser um ser maravilhoso e ser um puta de um gostoso, te criou como uma filha desde os 15 anos...talvez uma pessoa normal se sentiria culpada por ser incesto, más eu não ligo pra isso, nunca fui muito de seguir regras...bom, quer saber como lidei com isso? Então eu te conto!
Más antes, vou te contar como fui parar na casa do meu tio, em Seul...bom meu pai nasceu em Seul, ou seja toda minha família paterna mora aqui, ele conheceu minha mãe na faculdade, ela veio fazer intercambio, minha mãe era brasileira, mais especificamente capixaba (nascida no ES), meus pais decidiram se casar no Brasil, foi ai que eu nasci, desde pequena meu pai me ensinava coreano, porque ele queria que eu fosse estudar na Coreia, então aos meus 15 anos ele me mandou para Seul, para morar com meu tio enquanto eu completava meus estudos.Eu fazia questão de manter contato com eles, então quase toda noite eu ligava ou mandava mensagem para saber como estavam as coisas, ate que uma noite a mensagem não chegou, decidi ligar e ninguém atendia, achei estranho más deixei para mandar uma mensagem no dia seguinte...dois dias depois, eu estava completando 16 anos, quando recebi uma ligação, eu estava animada, achando que era minha mãe, más assim que atendi a ligação e ouvi a voz da minha avó materna, fiquei feliz, más algo estava errado...
~FLASHBACK~
>telefone toca<
-Alô?
-Alô s/n?-Sua voz estava estranha, como se ela estivesse acabado de chorar
-OIii vó! Saudade de falar com a senhora...-eu sorria um pouco inocente do outro lado do telefone.
-Também estava com saudade, minha pequena, feliz aniversário...-pelo suspiro leve que ouvi ela parecia sorrir, más ainda com o pesar na voz
-Vó ta tudo bem?-vejo meu tio se aproximar da porta do meu quarto e o olho sorrindo, vejo o mesmo retribuir o sorriso e se aproximar para tentar ouvir oque se falava no telefone.
-Minha querida, sua mãe tinha uma surpresa para você hoje, ela e seu pai, más eles não vão poder te dar essa surpresa...-sinto o tom de sua voz ir de mal a pior.
-Como assim? Do que a senhora está falando?-meu tio pega o cllr da minha mão e poe no viva voz, curioso como sempre, olho para ele com cara de deboche e vejo ele rir baixo.
-Por favor não chore, eles não iriam querer vê-la triste no seu aniversário.-olho para o celular curiosa e ao mesmo tempo preocupada.
-A senhora está me assustando!-ouço um suspiro pesado por parte da mesma.
-S/n eles estariam ai com você hoje, más...aconteceu algo...
-Oque aconteceu com meus pais?-digo já totalmente aflita.
-O avião que eles pegaram, passou por uma tempestade...não se sabe oque aconteceu exatamente, más...-ela diz e já sinto as lagrimas em meus olhos-...não houveram sobreviventes...apenas corpos, e os deles foram identificados...eles...
-NÃO!NÃO E VERDADE! A SENHORA ESTÁ MENTINDO!-grito ja chorando.
-S/n calma!-ouço meu tio falando e me abraçando em seguida.
-Me desculpa s/n...n deveria ter te contado...acho que você não esta bem...mais tarde a vovó liga...-ouço o barulho da ligação sendo encerrada e sinto meu celular ser jogado na cama pelo meu tio q se matinha abraçado a mim enquanto eu me debulhava em lagrimas no seu ombro.
-Vai ficar tudo bem My Little...-sinto um beijo ser depositado em minha cabeça.
~FLASHBACK~
Sim foi difícil pra mim, na verdade é até hoje, depois desse dia nunca comemorei meu aniversario, até que conheci meu ex-namorado e melhor amigo jungkook, sim, o membro do Bangtan, também sou amiga dos meninos, más não tenho tanta proximidade como tenho com o kook, meu tio nunca aprovou meu relacionamento com o kook, e ate hoje não aprova nossa amizade, más eu ignoro isso, afinal foi o kook que segurou minha barra quando eu mais precisava...eu ainda não disse quem e meu tio né?! Meu tio e ninguém mais ninguém menos que Kwon Ji-yong ou como ele prefere ser chamado, G-Dragon, líder da BIGBANG...muitos diriam que é sorte, más se você chama de sorte o fato de eu não poder passar muito tempo com ele porque ou ele ta com alguma garota, ou ta escrevendo musicas e também o fato que só de sair na rua vai ter um zilhão de fãs querendo abraçar ou tirar foto, fazendo com que eu não consiga nem conversar com ele direito, bom então eu tenho sorte. Algumas pessoas quando me ouvem falando isso vem com "Ah mais o seu tio e famoso s/n, tem dinheiro pode te dar oque você quiser" sinceramente, a unica coisa que eu quero que ele me de, ele nunca vai poder me dar, porque além de ser errado é capaz dele nunca sentir isso por ninguém, muito menos pela sobrinha pirralha dele, más isso não vem ao caso...meu tio e muito ciumento comigo, ao ponto de ter ciumes até da minha amizade com o Dae (Daesung), algo desnecessário porque o Dae e gay, más fazer oque neh, estamos falando do GD, nunca vou entende-lo...
Meu dia hoje foi horrível, fiquei o dia todo no celular, já que o kook tinha viajado com os meninos e o Dae saiu pra fazer não sei oque, como não tinha nada para fazer fui dormir mais cedo, tomei meu banho...rápido diga-se de passagem, algo que não é normal, ja que como diz o Dae eu gasto metade da minha vida debaixo do chuveiro e a outra metade na frente do celular...rio fraco de frente ao espelho ao lembrar disso, depois de me organizar, para dormir, deito na cama e ponho os fones, sim eu só consigo dormir de fones...após alguns minutos olhando o nada e ouvindo musica eu adormeço.Sou acordada por gemidos vindos do quarto ao lado, "de quem será que são?!", penso irônica comigo mesma, me levanto com raiva e olho o celular, são 3:00 da madrugada, bufo e me levanto da cama totalmente sonolenta.
-Não acredito que ele me acordou as 3 da madrugada com os gemidos das putas dele...-resmungo e desço pra sala, ouço os gemidos aumentarem e já puta de raiva, empurro algumas coisas na cozinha fazendo um barulho estrondante, rio fraco ao ouvir os gemidos cessarem e 5 minutos depois ouço eles descendo as escadas rapidamente como se alguém tivesse entrado em casa, rio pelo desespero dos dois.
-Que porra é essa?-ele me olha totalmente ofegante, olho a piranha que estava com ele, parece aquele tipo de loira medrosa de filme americano.
-Sla deve ter sido um rato, eu tava na sala...nem vi oque aconteceu...-seguro o riso, assim que vejo ela pular no sofá.
-Como assim um rato? Aonde? GD eu tenho medo de rato!-ela o olha como uma criancinha com medo de uma cobra, vejo ele segurar em sua cintura e me olhar com uma cara seria, arqueio uma sobrancelha o olhando sínica.
-Calma meu bem..-ele tira os olhos de mim e a olha-sobe e descansa...daqui a pouco eu vou la encima-ela afirma com a cabeça, desce do sofá e sobe.
-GD? -rio irônica e vou para a cozinha arrumando tudo.
-Porque você fez isso s/n?-termino de arrumar tudo.
-Não fiz nada, já disse deve ter sido um rato!-bebo água.
-Você não me engana...!
-Não sou obrigada a ficar ouvindo os gemidos de vocês dois, vão para um motel!-bufo e lavo o copo.
-Está com ciumes!-ele me encara rindo irônico.
-Claro que não, só que eu estava dormindo e seus gemidos e os gemidos da sua putinha, me acordaram, já que o seu quarto e do lado do meu!
-Aish, saiba que você atrapalhou uma ótima foda!-sinto o tom de ironia e provocação em sua voz e viro as costas pra ele, já sentindo as lagrimas querendo descer, respiro fundo.
-Ótimo, então volta pra sua ótima foda, que eu vou voltar pro meus fones de ouvido!-subo correndo pro meu quarto.
-S/N VOLTA AQUI!-ouço ele tentar me alcançar e tranco a porta do quarto, logo que sento na cama ouço dois socos na porta-Se você não parar de gracinha vou te proibir de se encontrar com seu amiguinho!
-AH PARA DE ME ENCHER E SAI DAQUI EU QUERO DORMIR!
-Tudo bem, más amanha vamos conversar!-ele sai.
Após ter certeza de que ele saiu, abro a primeira gaveta da minha comoda e pego uma caixinha, do diário que ganhei do kook quando começamos o namoro, abro o mesmo e encaro o objeto prateado, com manchas de sangue já secas, havia um tempo que não a usava, respiro fundo e pego a lamina devagar, fecho a caixa e em seguida a gaveta, já segurando a lâmina c força na mão direita, sentindo a mesma sendo cortada, sento na cama e levanto as mangas do meu pijama, encaro as marcas que já estavam começando a cicatrizar e respiro fundo, começo oque eu chamo de "alivio da dor", já sabe como funciona, eu faço cortes aleatórios no braço até não caber mais em um, então faço o mesmo com o outro, dessa vez fiz os cortes um pouco mais profundos, queria sentir o sangue escorrer pelo meu braço...  


>Essa fanfic, foi feita a pedido da minha best, espero que gostem! Aceito a opinião de vcs, ao longo da fic, podem dizer oque falta, se ta bom ou ruim, a opinião dos leitores e muito importante!

E é isso, beijos ^3^


My Little GirlLeia esta história GRATUITAMENTE!