Capítulo 46

16.8K 1.2K 30

Lágrimas começam a cair, enquanto inalo seu perfume, seu cheiro de cigarro de menta nunca muda.

- Emma. Emma. - sua voz, falha e sinto seus lábios húmidos em minha testa. Meus cabelos grudaram em minha testa logo que seus braços rodearam á minha volta. Seus lábios, finalmente completam os meus. De suave á um beijo complexo. Era assim que eu imaginava nosso reencontro.
Suas mãos se manteem firmes, em volta de mim, deixando-me imóvel.

- Como eu desejei isso. Mas temos que ser rapidos.

- Por que não voltou antes? - pergunto, extasiada.

- Emma.. eu não voltei.. - ele diz, sério. - Eu apenas vim lhe ver.

- O que isso não pode ser verdade, sabe o quanto eu te esperei? Sabe o quanto sofri? Eu te amo Matt.

- Emma... é complicado. - seu sorriso diminui enquanto vejo que está falando á verdade.

- Então me diga Matt, o que é complicado?

- Eu só irei voltar, depois de fazer algumas coisas.. - ele olha friamente para o velho que ainda está sentado no balanço. Novamente seus lábios voltam ao meu causando ondas de felicidade em mim. Era profundo e doce.

- Que coisas? Matthew vem comigo, para sua casa. - pergunto, sentindo os olhos novamente ficarem úmidos.

- Prometo que vou voltar. Por você Emma - ele sorri. - Preciso que você faça algumas coisas por mim, enquanto estiver fora... Eu deixei à empresa no seu comando. Também permiti que Gabriella lhe entregasse um cartão, com meus códigos do banco.

- Você falou com ela? - fico confusa.
- Brevemente. Então preciso que compre um lugar para sua mãe e Savannah.

- O que eu não.. Matt, não estou entendendo.

- Não entenda, apenas escute e faça. Preciso que elas fiquem em um lugar melhor, pela segurança.

Que papo era esse? Segurança? Elas? Empresa? Eu não havia compreendido ele, desde o momento que começou a falar. Abracei ele novamente aproveitando o momento que tinha.

- Emma, quando eu voltar. Não ficarei sequer um segundo longe de você! - seus dedos vão até o colar que estava no meu pescoço, roçando minha pele e me deixando arrepiada.

- Matt, não vá - peço. Ele analisa o colar, que havia me dado no dia em que me pedirá em namoro. Sua boca cola na minha, mais um vez e depois de um tempo voltamos a respirar.

- Sinto sua falta - ele diz. - mas tenho que ir. -seus lábios se despedem, deixando um sentimento avassalador.

- Eu estarei lhe esperando.

Vejo o caminhar em direção ao velho que já estava em pé ao lado de um carro, visivelmente preto.

[...]

Depois de vê-lo partir, volto imediatamente para minha casa.

Não consigo dormir, não consigo comer. Estou extremamente feliz, enquanto aguardo a volta do meu amor. Ele voltaria, tinha prometido.
Quando estou quase adormecendo, meu celular vibra em baixo do travesseiro.

Advinha meu jantar?! 😛 Macarronada, queria que você estivesse feito..

Um sorriso, deixa meu rosto mais aliviado, ele havia me mandado mensagem. Eu estava feliz o suficiente, para não entristecer.

Agora? Deveria ter jantado mais cedo. Poderia ter vindo comer aqui, ficaria feliz em preparar uma macarronada.

Vou pensar na proposta. Quem sabe eu apareça por aí. Gabe irá dar à chave do meu apartamento, para você. Acho que você ficaria bem melhor lá.

O que? Então era por isso que ele estava dizendo para comprar algo para minha mãe e Savannah. Será que? Não. Não pense bobagem. Apartamento de Matthew?

Na manhã seguinte, acordo de bom humor. Ajudo mamãe à arrumar á casa e logo em seguida Gabriella aparece. Ela explica o que tenho que fazer, fico atrapalhada apenas ao pensar.

- Gabe isso é novo para mim. - começo a rir.

- Tudo bem vamos com calma.. Você apenas irá assinar papéis, já que Matthew está em uma viajem de ferias.

Matthew havia mentindo para sua irmã, mas eu que não iria contar o que realmente estava acontecendo.. fiz exatamente o que ela disse. Já que ele liberou apenas minha assinatura.

Depois disso, fomos para consultoria de imóveis e Gabriella havia escolhido uma casa perto do Centro para mamãe e Savannah.

- Você parece estressada! Devia relaxar um pouco. - Gabriella fala sorrindo.

- Você sabe que não irei ter dinheiro para pagar Matt depois né?

- Isso ai, não é nem um por cento do que Matt tem no banco. Acho melhor se acostumar, até porque ele lhe deixou um carro.

- O que? - pergunto chocada.

- Deveria se acostumar com os mimos do Matthew, cunhadinha.

Olá pessoal, eu sei fiquei alguns dias sem postar por problemas. Mas voltarei a postar diariamente.
Beijinhos.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora