Companheiros

119 8 2

Capítulo 6

Companheiros

          O resto da viagem passou sem que nenhum acontecimento digno de nota ocorresse. O que era uma coisa boa, já que eu havia quase morrido no mínimo quatro vezes nos últimos três dias. Nós viajamos para leste, saindo da área de Terra Morta e cortando caminho pelas terras selvagens de Célbia, uma das desvantagens de viajar com um grupo de criminosos é ter de evitar ao máximo usar estradas.

          — Além de vocês, quantas pessoas estão na guilda? — perguntei, tentando fazer o tempo passar mais rapidamente.

          — Hum, tem o Sombra, a Tigresa e a Boneca. Três — disse a gêmea com rabo de cavalo, que eu havia decido a começar a chamar de Cavala.

          Por que você teve que contar um número tão pequeno nos dedos?

          — Tenho certeza que você irá se dar muito bem com os outros membros, senhor Brayan. Tigresa tem um ótimo senso de humor e Boneca adora crianças — disse a gêmea com coque, que eu havia decido chamar apenas de Coque.

          — Há, duvido. A Tigresa provavelmente vai transformar ele em uma cobaia para aqueles remédios malucos que ela faz. E aposto que ele vai mijar nas calças assim que ver a Boneca — disse Cavala.

          — Por curiosidade, mas que tipo de pessoas elas são? — perguntei, começando a temer um pouco pela minha integridade física.

          — Duas malucas — disse Cavala, como se fosse uma resposta óbvia.

          — Tigresa é uma alquimista, ela é muito inteligente, bonita e adora piadas. Boneca é uma mulher muito carinhosa e gentil que adora crianças — disse Coque, com um sorriso gentil no rosto.

          — Bem, os biscoitos que a Boneca faz são gostosos — acrescentou Cavala.

          — E o Sombra? Que tipo de pessoa ele é?

          — O tipo que é melhor manter distância. Ele provavelmente cortaria sua garganta se você falasse com ele — disse cavala.

          — Não fale assim, irmã. O senhor Sombra é só um pouco tímido! Aposto que ele e o senhor Brayan se tornaram ótimos amigos! — protestou Coque.

          — Bem, eu sempre suspeitei que Sombra não tivesse os mesmos gostos que um homem comum. Talvez pegue o Brayan e o transforme na namoradinha dele — disse Cavala, com seu sorriso zombeteiro de sempre no rosto.

          Ela estava tentando me irritar, ela só poderia estar tentando me irritar.

          — O-o senhor Sombra e o senhor Brayan? Ne-neste tipo de relação? Ta-talvez... — disse Coque, corando fortemente.

          E você, por favor, pare de imaginar esses tipos de coisas sobre mim.

          — Eles são seus novos companheiros, você não precisa saber de nada além disso. Pergunte a eles quando chegarmos lá se quiser saber mais alguma coisa. E vocês duas, parem de tentar passar a imagem errada para ele — disse Dragão, em seu tom cansado de sempre.

          — Certo — responderam as gêmeas em uníssono.

          Então quer dizer que todas as coisas que elas haviam dito não estavam certas? Bem, não que as gêmeas fossem a fonte de informação mais confiável do mundo, mas por algum motivo isso me deixou um pouco nervoso.

Estrela MortaLeia esta história GRATUITAMENTE!