Capítulo 61

2K 142 15

Alice.

- MÃE?- Grito me levantando, tentando digerir o que ela disse, e a encaro.

- Eu sei que eu fiquei uns tempos afastad...

- UNS TEMPOS?- Grito novamente.- Você ficou 11 anos fora. Tem noção do que é eu não lembrar da sua aparência, do seu cheiro direito? O Adam? Meu Deus.- Passo a mão no rosto.- Eu não sei nem como o Adam vai reagir a isso tudo.

- Alice, me deixa explicar. Eu amo vocês, mas eu não podia ficar.- Ela diz pegando na minha mão.

- Não encosta em mim.- Puxo meu braço.- Você ficou fora por anos, e acha que eu vou te aceitar de volta sem mais nem menos? Se você amasse a gente mesmo, teria ao menos ficado. Ou dado algum sinal de vida, mas não. Invés disso, resolveu aparecer do nada achando que iria te receber com maior carinho? Que tipo de mãe você é?- Pergunto e nessa hora as lágrimas já tomavam conta do meu rosto. E as palavras doem em mim também, mais do que eu imaginava.

- Que que tá acontecendo aqui?- Davi aparece e vê nois duas chorando.

- Eu já disse que eu tive motivos pra isso.- Ela diz tentando me encostar novamente, mas eu me afasto encostando no Davi.

- Vai embora.- Digo soluçando.

- Alice, por favor.

- Vai embora, por favor.- Meu soluço soa mais alto pela sala.

- Ok. Quando quiser conversar, me procura.- Ela deixa um cartão em cima da mesa, limpando as lágrimas de seu rosto e sai pela porta.
     Me viro pro Davi desesperadamente, abraçando ele com força e meus soluços são acalmados pelos seus consolos. Ele é a única pessoa que consegue me acalmar, literalmente. E eu sei que eu também sou a única pessoa que consegue fazer o mesmo com ele.
      Após eu parar de chorar, Davi diz que tem que tomar banho e ir até a empresa do seu pai. Prendo ele no sofá, fingindo estar chorando ainda.

- Amor.- Ele passa a mão pelo meu cabelo.- Eu não quero te deixar assim, mas eu realmente tenho que ir.

- Por favor, amor. Vai amanhã.- Choramingo, fazendo bico e olhando pra ele.

- Para com esse bico.- Ele diz e eu continuo.

- Eu tô triste.- Digo e ele me da um selinho, mordendo minha boca.

- Eu realmente queria ficar, mas eu tenho que ir.- Diz e eu saio do seu colo, me sentando do outro lado do sofá. Ligo a TV e cubro minha cabeça com travesseiro.- Pra que ligou a TV se não tá vendo?- Pergunta, mas eu fico em silêncio. Sinto o corpo dele se aproximar, e ele tira a almofada do meu rosto, me dando um beijo no canto da boca, já que eu virei o rosto.- Para de ser tão mimadinha, daqui algumas horas eu tô de volta.- Diz e eu continuo quieta por uns minutos.- Ok, você venceu, Alice.- Ele senta do meu lado e eu dou um selinho demorado nele. Foi fácil essa.

- Você tem que ficar comigo. Sabe que pode ir a hora que quiser na empresa do seu pai, e não é sempre que a gente tá junto. Sempre tem alguma coisa tentando atrapalhar, e olha a porra que acabou de acontecer. Eu quero meu namorado comigo.- Dou outro selinho nele.- Eu preciso de você aqui comigo, amor.- Digo baixinho e ele tira o cabelo do meu rosto.

- Eu sempre estive, estou e sempre vou estar. Eu não vou te abandonar.- Ele diz me dando um beijo demorado. Ele me pega delicadamente no coloco, subindo as escadas, e uma hora eu quase caio, e damos gargalhadas altas. Quando chegamos finalmente no quarto, ele me deita na cama me fitando por alguns minutos.- Eu te amo.- Diz baixinho no meu ouvido, beija meu pescoço, e devagar tira minha blusa.

- Eu também te amo.- Digo. E assim transamos, como estávamos fazendo muito esses dias.

Gente, era pra esse cap. Ter sido postado ontem, mas o wtt não quis, só de zoa com a minha carinha.

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!