Capítulo 42

19.5K 1.3K 22

Depois de resolvermos, o que fazer ficou combinado que eu ficaria o tempo todo com ela. Eu iria me sentir mais segura em relação á Matt, já que foi ele que teve essa ideia. O fato era que eu iria ficar com ela 24h até resolvermos o que fazer.

- Fala sério! - Karen reclama, iríam dormir na sala, enquanto eu e a garota fantasma, ficaríamos no quarto. Estava um pouco receosa, não era um tipo de convidada que estávamos esperando, tratavasse da ex-noiva e morta, ou, seja la o que for do Matt.

- Poderia ser, eu, Emma e Samara - breve pausa, para rir da piada de Karen. - Na sala e vocês no quarto.

- Tudo bem por mim. - Micael concorda.

- Emma, podemos conversar?

Ando em direção ao quarto, enquanto os três ficavam na sala, Matt me segue até o mesmo. Ele estava pálido, triste e abatido. Fechei á porta para que não tivesse bisbilhoteiros. Então sentei na cama ao seu lado, enquanto ele estava esfregando a testa.

- Eu não esperava por isso.

- Muito menos eu - digo.

- Emma, eu não iria deixá-la na rua. Eu não sou uma pessoa ruim.

- Tudo bem Matt, mas evita qualquer tipo de contato até nós resolvermos isso.

- O pai dela, será que sabe? - ele pergunta, qualquer tipo de raciocínio estava fora do normal.

- Se ele soubesse, estaria vindo atrás de nós! - falo friamente.

- Então trocando de assunto.. - ele sorri, como se todos os problemas tivessem desaparecidos. - Eu preciso fazer uma viagem de negocios daqui duas semanas.. - ele fala, da uma olhada em volta para ver se alguém está por perto. - Precisamos acabar logo com isso.

- Então porque não vamos embora agora? - pergunto.

Eu queria estar muito longe daqui, preferia estar no deserto Saara do que aqui. Engraçado. Minha mãe sempre alertava: fique longe de confusões. O que era um pouco impossível, nesse caso. Estava em uma espécie de armadilha, ao qual um passo em falso era pego.

- Eu tenho um plano. - um sorriso encantador apareceu dos lábios de Karen, enquanto ela se aproximava.

Senhor Willians

Trevor estava certificando-se que estava tudo como o planejado, iríamos invadir á casa ao amanhecer. Pega-los desprevenidos, de modo que não poderiam estar em mão armadas.
- Senhor seu Vinho Branco.

Deliciei o sabor da vitoria, antes mesmo de ter á conquistar.
Todos os momentos em que minha filha estava em meus pensamentos, eu sofria e cobiçava vingança. Eu queria poder cuspir na cara daquele homem, que estragou meus planos e acabou fazendo que minha vida fosse arruinada. Antes de matar eu o faria sofrer.

Karen

N

ão era como se eu fosse à única entediada, naquele lugar. Eu estava tão lunática, que ficava á todo momento olhando para o relógio. Aquela porcaria não movia suas engrenagens. Fala sério, o tempo não passava e para ajudar não tinha nenhum gato para me distrair.

- Vamos jogar truco?

Revirei os olhos, enquanto Greg ficou desentendido, que cara e bocó. Ele era o mais tanso de todos, por sorte nunca tive nenhum afeto por ele. Amizade era a única coisa que teria entre nós. Sempre.

Hunter e Emma estavam conversando, como eu era intrometida caminhei me aproximando, eles estavam falando sobre querer ir embora. Era a única coisa que eu pensava nesses últimos dias. Talvez eu sabia o que fazer :
- Eu tenho um plano.
Eles me olharam, surpresos, como se nossas vidas dependesse disso.

- Que plano? - Matt pergunta colocando seus braços atrás do pescoço.

- E se deixarmos ela ai? E irmos para outro lugar? - Emma sorrio, perplexo Matt fica confuso - aliás ela não é nosso bichinho de estimação.

- Isso seria..

- Seria o que Matthew? - Emma fica irritada, era notável o quanto ela queria a guria bem longe deles.

- Emmanuela Tunner, da para se acalmar. - Matthew retrucou no mesmo tom de voz.

- Fala sério Hunter, pelo que eu sei ela te magoou, pisoteou, humilhou e te usou - seus olhos ficam arregalados. - Por que estas defendendo ela?

- Eu juro que não entendo as mulheres, vocês são tão complicadas. - ele volta para a sala, as mãos como tivesse se rendendo.

- E ai querem jogar truco? - Greg pergunta, com um sorriso nos lábios.

- Lesado - digo.

Emma

Karen teve uma ideia brilhante, que pelo visto Matt não havia gostado muito. Não iríamos estar abandonando á garota se deixássemos ela na cabana, ela estaria bem. Dane-se também o bem estar dela, era isso ou nada. O que custaria tentar?

- Estou com fome. - a garota fantasma geme.

- Você tem duas pernas, que funcionam muito bem. - Karen da de dedo na cara dela - Então porque você não vai pegar algo pra comer e para de ficar perturbando.

- Eu odeio essa garota. - Micael grunhi, isso já era um tipo de piada entre nós. Essa garota era tão mesquinha e frágil o que combinada com suas características físicas.

- Então Matt, á escolha é sua. - Karen diz enquanto se joga no sofá.


Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora