Capítulo Cinco

20.1K 1.6K 356

Olá, minhas babies roqueiras! Cap. 5 saindooo! Espero q gostem, amores.

Ofereço o cap. à linda amiga, Erika Gadu pelo níver semana passada. Que Deus te cubra de bênçãos sempre, querida! Muitas felicidades! Milhões de bjokas em seu coração!

Vai p todas vcs q me acompanham sempre! Meninas, gostaria de pedir que compartilhem o link do livro quem puder. É só clicar no ícone do facebook aí do lado e pronto! Quem puder dar essa força na divulgação eu e os cães sarnentos agradecemos imensamente. 

Vamos conferir mais um cap. desse casal Inflamável?

Apreciem sem moderação. Boa leitura!

Lani

CAPÍTULO CINCO

Elijah

Estamos numa casa de praia isolada para gravar as penúltimas cenas do clip. Acabamos de encenar uma briga que foi muito real porque Sara está de fato, furiosa comigo. Ela me deu um tapa bem real no rosto também. A cadela tem uma pesada. O lado direito do meu rosto está ardendo pra caralho. O desentendimento do casal na encenação se deu por causa de uma vadia pegajosa que o bastardo da ficção acabou fodendo. O diretor quis colocar um pouco de drama e Liam aprovou. É a arte imitando a vida... Sara sai chorando da casa, correndo para a praia e eu a sigo. Nesse momento, as emoções são nossas. Ainda estamos gravando, mas, os olhares e as falas expressam nossos reais sentimentos. Ela, muito puta porque comi a russa e eu, me maldizendo por ter corrido de seu apartamento e voltado para a caça. A equipe não sabe disso e aplaude nosso desempenho. Liam e os caras não vieram, nem a Mel. Somos só eu, ela e a equipe. Sara arranca a saída de praia e entra no mar. Meus olhos se banqueteiam em sua silhueta esguia, sua cinturinha fina, sua bundinha redonda e firme no minúsculo biquíni amarelo que está usando. Me livro do meu shorts e vou atrás dela.

― Ela não significou nada para mim. ― rosno quando a alcanço, puxando-a pelo braço. É uma fala do script, mas, eu a olho com firmeza, deixando-a saber que sou eu, Elijah, falando também.

― Assim como eu. ― rosna de volta, seus olhos ainda cheios de lágrimas. Eu sei que está atuando, mas, isso puxa meu coração de alguma forma. ― se afaste de mim. Você é ruim para mim. ― diz-me baixinho.

A última fala não está no script. Se eu não fosse um bastardo egoísta e louco de tesão por ela, eu a deixaria em paz. Mas, sempre peguei o que eu quis, e o que eu quero agora é ela. Nenhuma outra me satisfaria nesse momento. Eu tentei, no entanto, aqui estou atrás dela de novo. É ela até eu extinguir esse desejo filho da puta que sinto rasgando meu corpo cada vez que estamos perto.

― Eu não posso me afastar. Já tentei, mas, não consigo. ― murmuro, e a pego pela bunda. Ela luta, mas, enrola as pernas ao meu redor porque isso faz parte da cena. E como nas vezes anteriores estou a caminho de tirar vantagem disso.

Levo-nos mar adentro até a água encobrir minha cintura.

― Você precisa parar de me perseguir, droga. Eu não sei fazer essa merda casual, Elijah. ― ela sussurra, a sinceridade e medo gravadas em suas feições. ― eu só tive um homem em toda a minha vida. ― é a primeira vez que se mostra vulnerável para mim.

Uma euforia inexplicável me invade com a sua revelação. Eu já desconfiava que fosse inexperiente e isso só me faz querê-la mais. O homem das cavernas dentro mim gosta de saber que ela não é como as outras. Isso é contraditório pra caralho porque nunca me importei com o histórico sexual das vadias que comi.

― Dois homens, querida. ― murmuro, passeando as mãos pela sua bunda e indo preguiçosamente para as costas. Ela ofega baixinho, seu hálito soprando em minha boca. ― e eu quero isso de novo. É impossível esquecer a sensação do meu pau afundando em sua boceta apertada. ― atormento-a. ― não há como fugir disso, Sara. ― levo uma mão para seus cabelos, entranhando neles e abaixo a outra de volta à carne macia do seu traseiro. Meus dedos afastam a borda da calcinha e deslizo-os pela sua fenda, encontrando e massageando seu buraquinho gostoso. Ela arqueia, sua boceta causando atrito em meu pau. Eu ranjo, puxando seus cabelos com força e esmago minha boca na sua. Sedento. Degustando. Tomando. Exigindo tudo. Querendo a submissão total dessa mulher.

INFLAMÁVEL (DEGUSTAÇÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!