Capítulo 36

21.9K 1.5K 57

 

   No dia seguinte, precisávamos de alguns suprimentos, decidiram que iríamos seguir viagem para o Leste da Inglaterra. Por sorte, Matt havia retirado uma quantia boa de dinheiro na semana passada. O que por grande ironia do destinos, acabamos tendo que usar. Eu e Karen m, descemos do carro rapidamente para o mercado, pegamos comidas de enlatados e muita água.

Quando passávamos pelo caixa, Karen havia pegado uns pacotes de camisinha. Olhei para ela, com um jeito malicioso.

— Por precaução - sorri.

— Melhor irmos.

Quando voltamos para o carro, abriram o porta-malas e enfiamos seis pacotes plásticos cheios de comidas enlatadas. Meu estômago estava reclamando, peguei uma bolacha para levar dentro do carro. Partimos novamente em direção ao destino.

— Vocês compraram cerveja? - Micael pergunta animado, mas balançando á cabeça negativamente.

— Nada de cerveja - fala Karen. Concordo, mas não digo nada.

Mais duas horas de viagens, embora estávamos chegando eu estava super cansada, queria um banho quente para refrescar meu corpo. Matthew estava ainda com sua calça de moletom cinza.

— Nós vamos ficar aonde? - pergunto.

—Tem uma cabana, que bom.. é minha. Faz tempo que não vou lá, ninguém sabe sobre isso então, acaba sendo uma boa idéia" Matt diz.

— Ah ok - digo.

Karen começa á devorar outro pacote de bolacha, Micael pede algumas. Enquanto meu estômago ronca, tento o máximo guarda o que podemos, não sabíamos quando isso iria acabar, era como se estivéssemos sendo caçados.

— Estou precisando de um banho, urgente - eles riam, enquanto matt franze o naris.

— Tem uma Cachoeira lá perto, poderíamos tomar um banho antes de chegarmos - ele fala. Eu fico animada, cachoeira.

Assim feito, chegamos em uma linda cachoeira de água cristalinas. Fiquei maravilhada, apesar de ser em uma mata fechada aquele lugar era incrível. Eles começaram á tirar á roupa, isso me encomodou, era obvio.

— Você não vai vir Emma? - Matt pergunta, mas eu fico um pouco tímida. Sem chance, Micael estava ali.

— Relaxa gata, estamos entre família - Karen sorri e salta exuberante para dentro da água.

— Vou caminhar um pouco - digo enquanto caminho em direção á uma trilha que havia visto. Na boa era séria muito feio eu me despir e ficar nua na frente de outro homem..

O sol estava muito quente, deixando o meu corpo um pouco suado. Levantei a camisa até á metade da barriga, sendo que eu estava com bolinhas de suor pelo corpo. Encostei-me na árvore, para deixar o vento que corria entre as folhas me refrescar.

— A vista daqui é maravilhosa - aquela voz rouca, me deixou extasiada.

Não consegui me resistir ele estava de um jeito irresistível. Mordi meus lábios e avancei, pulei em seu colo e prendi minhas pernas em sua cintura para não deixa-lo sair. Ele anda e bruscamente me joga contra à mesma árvore que antes eu descansava. Beijei seus lábios furiosamente, meus dedos se enroscaram em seus cabelos que não haviam sido penteados.

Sua língua me deixava alterada, seus lábios sintonizavam-se com os meus, como se fossem moldados para completar-se. Suas mãos agarram com forças minhas nadegas, quando percebo ja estou sem camisa e Matt está lambendo meu pescoço. Ele sabia me provocar, de um jeito convidativo, tudo que eu queria nesse momento era que fôssemos somente nós. Quando estou de volta ao chão, suas mãos percorrem as laterais do meu corpo, sinto arrepios que fazem eu querer mais e mais.

Suas mãos se baixaram até minha calça, ajudei ele a tira-la. Minha calcinha foi arrancada, de um jeito agressivo. Ele beijou minha pélvis chegando, cada vez mais perto de onde ele queria. Suspirei com sua respiração me fazendo grunhir.

— Preciso hmm.. sentir seu sabor - suas palavras em um tom sensual, me conduz á um gemido de ansia por seus lábios.

Então ele faz. Ele me devora de um jeito irresistível, fazendo eu revirar meus olhos e gemer alto. Mordo meu lábios, para conter meu grito de prazer. Seus movimentos eram perfeitos.

Sugava.
Mordia.
Lambia.
Intoduzia sua língua.

Agarrei seus cabelos quando começo á gozar, eu estava dilacerada de prazer. Matt sabia o que fazer com à língua, dava de saber disso apenas o beijando. Ele tira sua calça e cueca, deixando seu membro maravilhoso livre. Sua ereção estava alterando, sua mão agarrou á ponta do seu pênis e lubrificou.

— Quero te foder, mas também fazer amor até o dia raiar - suas palavras eram de longes excitantes. Sem piedade ele me penetra de um jeito, agressivo e possessivo, cada estocada era como se novamente estivesse marcando seu território, deixando sua marca..

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora