Capítulo Quatro

16.8K 1.7K 376

Olá, minhas babies! Cap. 4 na área...rsrs. Espero que gostem, amores.

Será que nossa mocinha desbocada vai fazer nosso galinhão safado penar depois do ocorrido? Rsrs.

Meninas, esse Book ganhei de mimo das lindas Melody Olivatti e Gislany Setubal. Fiquei toda boba. Tão bom receber carinho, não é? Obrigada, queridas. O presente de vcs me tocou e emocionou muito. Bjos em seus corações! Brigaduuuuu!

Dedico o cap. a  todas vcs, queridas e persistentes roqueiras que sempre estão comigo. Muito obrigada, suas lindonas!

Boa leitura e como sempre, apreciem sem qualquer moderação...


Lani

CAPÍTULO QUATRO

Sara

Há três dias eu fujo de Elijah como o diabo foge da cruz, o que devo dizer, tem sido uma tarefa fácil, uma vez que ele também parece estar me evitando. Meu orgulho feminino e minhas partes íntimas ainda estão destroçados. Depois de nove meses de seca eu, com certeza fui com muita sede à fonte... Se for sincera, direi que meu coração idiota também está dolorido. Eu nunca assumi isso, nunca ousei verbalizar, mas, uma parte de mim sempre foi deslumbrada demais por Elijah Allen, o indomável e sexy deus da guitarra. Sempre gostei e admirei os caras da banda, mas meus olhos e suspiros eram todos para ele. Apenas para ele. Conhecê-lo tão de perto, ver o tipo de escória que o cara é deveria ter colocado algum sentido em meus devaneios de fã. No entanto, a verdade é que eu o desejei ainda mais. Essa coisa idiota e fantasiosa que nós, garotas, temos de achar que podemos domar um bad boy. Eu gostaria de dizer que não fico repassando cada momento nos braços dele nessas últimas horas, contudo, estaria mentindo. Cada toque, seus lindos olhos verdes presos aos meus, enquanto afundava em mim com força, sem dó, depois lentamente. Minha vagina aperta a cada a vez que penso sobre nosso sexo sujo, suado e enlouquecedor. Sua arrogância e perversão fora do comum me atormentam desde então. Foi gostoso, embriagador, delirante, perfeito como sempre sonhei que seria com ele. Mas, o final... Ah, Deus, o final foi de derrubar quaisquer ilusões tolas. Eu imaginei um final de noite alternativo. Um em que ele me segura em seus braços. Um em que falamos depois. Um em que pudéssemos saber coisas do outro que não sabemos porque nossa relação nunca passou de insultos e uma tensão sexual do caralho que esteve presente desde que nossos olhares se encontraram naquela festa no Brasil. Suspiro, tomando um gole do meu suco. Ele é o que é, Sara. Elijah não pode ser domado. Supere e siga em frente.

― Tia? Você não está ouvindo o que estou falando? ― Chay me olha com censura.

― Oh, meu lindinho, desculpe. ― o olho sentado do meu lado no balcão da cozinha ampla e moderna. Mel está franzindo o cenho me estudando atentamente. Vim até sua casa em Malibu para almoçar com eles. Só tenho que voltar à gravadora às quinze horas para uma reunião com a diretora da Organização para fins sociais que a banda criou há alguns anos. Aproveitei esse horário de almoço estendido. Liam não veio devido à uma reunião com agentes de algumas das bandas que a gravadora está sondando. Uma coisa que já percebi é que ele e os caras ralam de verdade. Não fazem corpo mole porque são astros do rock fodões. Eles estão muito empenhados em fazer da Stone Records uma referência no ramo música. É contagiante vê-los em ação. E claro, é quase impossível manter minha admiração de fã afastada do meu compromisso profissional com eles e a gravadora. Estou trabalhando nisso, no entanto. Eu ainda coro como uma adolescente cada vez que um deles fala comigo. Eu amo a banda, não é segredo para ninguém. Estar perto deles e ainda ganhar para isso é além de gratificante. ― a tia está um pouco distraída. O que estava dizendo?

INFLAMÁVEL (DEGUSTAÇÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!