Capítulo 28

25.1K 1.8K 60


O travesseiro estava com um cheiro forte de amaciante de roupa, aposto que havia alguma mulher naquela casa. O lençol era branco, enquanto á coberta marrom, típica de um hotel barato, estava me esquentando muito bem. Ouvia alguns barulhos vindo de fora do quarto, queria encostar minha cabeça na porta para ouvir melhor, mas certamente Matthew chegaria e começaria á me achar curiosa. Pensei como minha mãe, havia reagido com o fato de eu sair sem ao menos me despedir, mas foi necessário. Encheriam de perguntas, se Dona Katherine descobrisse iria ficar louca comigo, iria ser demitida. Apesar de eu estar namorando seu filho, um marmanjo inconsequente.

Alguns passos se aproximaram da porta, logo um barulho de chave na maçaneta, ele havia me trancado? Quanta confiança ele tinha sobre mim?

— Espero que esteja com fome - ele aparece com uma bandeja de madeira com alguns biscoitos e um copo de suco. Havia mudado de roupa, um perfume avassalador havia tomado o ambiente, sua regata branca mostrava seus músculos emoldurados de tatuagens. Incrivelmente sexy. Uma calça jeans, que não disfarcava nada na braguilha na calça.

*braguilha: parte do zíper, frontal.

— Vai querer? -ele pergunta para mim, encosto-me na cabeceira da cama, logo Matt coloca a bandeja em minhas pernas e se encosta ao lado.

— Aonde estamos? - pergunto olhando para à janela fechada, começo a mordiscar a comida.

— Estamos em um lugar seguro, numa casa com oito homens e uma mulher - sorri e me dá um beijo no rosto. — Não se preocupe, você é mais linda que ela!

— Sério Matt? Estou zangada com você é me vem com uma dessas? - reviro meus olhos enquanto dou um gole no suco maravilhoso.

— Apenas achei que merecia saber, já que logo você vai conhece la.

Término de comer e deito novamente, ele fica ao meu lado me olhando com um sorriso bobo.

— Por que estas feliz? - ele muda para sério, mas não se aguenta e sorri novamente. Como ele ficava lindo com aquela barba.

— Eles são meus amigos, apesar das regras. Me sinto bem aqui - é sincero e se aproxima mais de mim.

Seus lábios encostam aos meus, suspiro antes de me entregar ao beijo que além de selvagem foi demorado, quando acabamos eu estava por cima dele.

— Me desculpe, eu não tinha à intensão de.. - franzo à testa.

— Subir em cima de mim? - arqueia uma sobrancelha e sorri novamente. Quando enfim descemos para á sala, havia um sofá gigantesco bordo, uma televisão de mais ou menos 42 polegadas e três homens sentados assistindo á um canal de luta. Reconheci Greg com sua toca vermelha e um cigarro na boca.

— Gente essa é minha prima Hayle - Prima? O que? Os três se viraram, dei um passo para trás ao ver um moreno com uma cicatriz enorme no rosto. Me deu calafrios, senti a mão de Matt pressionando minhas costas, ele havia avisado que ninguém deveria ter informações verdadeiras.

— Olá pessoal - sorri de uma maneira tão falsa, que o loirinho dos olhos verdes piscou para mim.

— Sua prima é.. gata - o homem que estava segurando uma lata de cerveja falou, Matt riu.

— Ela não é pro bico de vocês. Já estou avisando - ele ameaçou, ficaram sério mas Greg ainda continuava a me olhar.

— Jurava que era sua namorada, menos mal - Greg falou, Matt sorriu, como ele não estava com ciúmes? Espero que à mulher não seja uma...

— Hunter. Que saudade - alta, com seus cabelos loiros e olhos castanhos, uma pele de bebê e sorriso mais branco que propaganda de creme dental. Estava vestindo um shorts curto e uma jaqueta vermelha. Ela pulou em seus braços e o abraçou.

— Brianna, espero que esteja melhor do que á última vez que nos vimos - ela saiu de seu colo enquanto eu pigarreo.

— Quem é essa? - seu sorriso de longe foi mais falso que o meu, controlo-me para não socar seu lindo rosto de mármore.

— Essa é minha prima Hayle - ela me abraça desprevenida, vejo o loirinho revirar os olhos.

— Seja bem vinda na minha casa. Com certeza seu primo ja falou de mim para você então, quero conhecê-la também - que vadia, não ele não me falou nada de você. Mas com certeza irá falar muito, quando eu começar o questionário. Fiz que sim com à cabeça, apenas sorri. Senti que Matt estava desconfortável.

— Venha vou te mostrar o banheiro para tomar uma ducha - Matt sorri e me puxa pela mão.

— Se quiser eu mesmo posso mostrar - um dos caras fala, mas não vejo quem.

— Que porra aconteceu agora? - fico chocada por Matt não ter me antecipado nada do que poderia acontecer.

—Olha Brianna ela é legal, então tenha calma. Só que ela as vezes exagera.

— Por que raios ninguém pode saber que eu sou sua namorada? - Interrompo.

— Se alguém souber, pode cair em bocas de gente erradas e se quiserem me chantagear.. sabem de você.

— Eu não acredito que vou ter que aguentar uma mulher dando em cima de você - digo rígida, enquanto ele anda de um lado para o outro no banheiro.

— Desculpe, mas eu tive que vim e isso terá consequências - ele parece um pouco impaciente. — Se quiser pode ir embora.. - sua afeição fica triste.

— Estou com você Matt - entrego então aos dias mais descartáveis da minha vida.

— Se alguém der em cima de você, vê se não seja tão malvada ou louca. Eles não muito confiáveis. Mas são legais - eu não estava entendendo porcaria nenhuma então, o que mais poderia ter de errado?

— Mais alguma coisa? - pergunto esperando que esteja ao fim.

Ele nega.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora