Capítulo 25

26.5K 1.9K 85

— Sou á irmã gêmea de Matt, á única -  sua voz está em perfeita sintonia com sua aparência tão perfeita.

— Eu sou Emmanuela - digo estendendo a mão, mas ela me puxa e da um abraço confortável.

— Espero que meu irmão esteja cuidando de você, se não vou ter que conversar com ele - se afasta, enquanto fala sem parar.

— Está sim - firmo.

— Bem, acho que você não quer ficar aqui muito tempo não é? O que acha de darmos uma volta aqui por perto, tem uma lojas incríveis de sexshop... e..

— Não nós não..- fico vermelha, pior que um tomate, ela pensou que nós já estávamos transando? Que tipo de doida ela é? Acabei rindo depois de deixar ela sem graça.

— Oh! Me desculpe, eu não sabia.. - ela fica corada.

— Ah mais uma hora ou outra vão transar - Dona Katherine fala, num tom super calmo. Mas quem não estava calma aqui era eu, que raios de conversa era essa.

— Então vamos ou não? - Gabe pergunta com um sorriso, ajeita sua bolsa e agarra meu braço antes mesmo de eu responder. O que Matthew pensaria disso?

— Aonde vamos? - Katherine pergunta, mas Gabe fecha a cara.

— Mamãe, só vamos eu e a Emmanuela! -  Gabe diz olhando para Katherine que está com um chupão no pescoço.. O que? Um chupão no pescoço? Minha sogra? Se é que eu ja podia chama-lá assim. Que família doida era essa?

— Volte em uma hora - responde dona Katherine, dá meia volta e sai caminhando até o elevador.

— Não liga para minha mãe, ela é um pouco intrometida. Mas eu não gosto disso, não muito. - enquanto ela falava, eu apenas ia concordando..

— Uma vez quando eu namorava, levei o garoto para nossa casa, minha mãe ficava perguntando sobre a vida dele, perguntou se ele tinha cachorro ou gato, se ele gostava de ir para á aula.. essas coisas desinteressantes mas que nossos pais parecem adorar- viramos á esquina e entramos dentro de uma lanchonete chique.

— Quando papai, vai nas agência mamãe vai atrás, como um carrapato, ela é tão preocupada com ele que cada passo ela segue. Já nós colocamos um basta nisso, é chato eu sei mais se não tivéssemos brigado com ela estaríamos um desastre- ela balança a cabeça como se tivesse estressada.

— Bom eu nunca levei um cara para dentro de casa, isso é novo para mim e para minha família. Minha irmã caçula tem câncer e isso faz eu ser um pouco cautelosa com quem eu quero por perto. Meu pai se separou da minha mãe quando descobriu que Savannah minha irmã estava doente.

— Sua irmã está bem? - ela pergunta assustada.

— Está sim, graças á Matt ela pode fazer o tratamento.. e ele é atencioso demais com ela - digo enquanto sentamos em uma mesa de madeira rústica. O ambiente era antigo, mas era muito agradável e de certa forma me senti confortável.

— Aquele bobo sempre foi assim, ele é muito apegado á crianças. Agora que você é namorada dele vai ter que se acostumar - ela ri. — Quando nós éramos crianças papai ensinou Matt á cuidar de mim. Acho que é por isso que ele é tão protetor..

— Boa tarde senhoritas o que gostariam de pedir? - um jovem albino e loiro perguntou, enquanto segurava um caderninho e sua caneta Bic.

— Duas taças de Milkshake de morango, com baunilha - Gabe fala e logo o despensa.

— Espero que Matt esteja melhor de suas crises.. - sua voz falha ao tocar no assunto.

— Ele está melhor, sempre fico com ele para não deixá-lo sozinho..

— Ele está tomando os remédios? - ela fica séria.

— Está, sendo que eu nem preciso forçar. Ele toma sozinho - digo orgulhosa, como se tivesse progredindo.

— Matthew é uma pessoa boa, temos que ter paciência até tudo voltar ao normal.

Depois de tomarmos á bebida, voltamos para o hotel e fiquei aliviada ao ver Matt, Gabe me contou muitas coisas interessantes sobre ela enquanto íamos para o aeroporto. Ela era um pouco péssima em piada, mas era engraçada...

***

— Você está bem? - Matt pergunta para mim, enquanto fico tonta antes de entrar no avião.

— Se quiser tenho alguns remédios aqui.. - ouço Gabriela dizer.

— Está tudo bem - minto. Me despeço mais uma vez de dona Katherine e Gabriela, logo depois já embarcamos para voltar.

— Não liga para Gabe ela fala demais -  ele diz rindo de sua irmã, sinceramente os dois tinham o que uma richa?

— Gostei dela, na verdade gostei até demais - tento ser simpática, Matt estava se jogando na poltrona, enquanto eu fivelava o sinto.

— Não vai virar lésbica né?

— O que? Não... Matthew!! - taquei uma almofada que estava do lado em cima dele, logo depois ele colocou em baixo da cabeça.

— Sei..- seu olhar malicioso estava me irritando.

— Da para parar?! - digo irritada.

— Com o que? - ele levanta uma sobrancelha.

— Com isso ai - eu estendo á mão e aponto para seu rosto. Ele começa á rir e faz mil caretas possíveis.

— Eu gostei tanto de ficar na sua casa, com a sua.. Família - ele me surpreende, acabo sorrindo de felicidade.

— Elas também gostaram de você!

— Se você querer... bem.. nós poderíamos levar elas para ficar uns dias lá em casa..

— Matt isso seria perfeito! - talvez eu tenha surtado.. — Elas nunca ficaram em um lugar tão chique! Tem noção do quanto Savannah irá gostar da piscina, dos quartos até daquele quintal gigante.

— Será? - ele pergunta com um olhar inocente.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora