Capítulo 24

30.1K 2K 120

A mulher da foto é a Gabe.

Subi á escada que ligava á porta do avião ao chão. Eu estava um pouco nervosa, Matt tentou me acalmar, mas não deu certo. Matthew havia me pedido todos os documentos necessários, por sorte eu tinha. Minha mãe ficou animada com tudo isso, pediu para eu registrar todo o momento.

— Pode sentar naquela poltrona ali - Matt diz e aponta para uma poltrona branca perto da janela. Fiz o que ele disse e coloquei o sinto, por precaução.

— Tem como fecha essa janela? - perguntei tentando não olhar muito para fora. Com facilidade ele puxa uma cordinha que acaba tapando o vidro. O piloto avisou que iria decolar, então agarrei o apoio de braço que havia na poltrona, quase infiquei as unhas naquele estofado.

Uma sensação de agonia crescia dentro de mim, comecei a ficar sem ar enquanto Matthew estava parado atrás do piloto á conversar. Como ele conseguia?

Meus sapatos pareciam estar apertados, parecia que minha blusa estava me degolando, que sensação estranha era essa? Um frio na barriga me deu vontade de gritar, se Matt me visse agora iria rir de mim, por sorte ele me deu esse momento de privac..

— Que cara é essa? - o tom de sarcasmo na sua voz me deixou pior ainda, arregalou meus olhos e tentei relaxar por alguns milésimos de segundos.

— Nunca andei de avião - confessei enquanto ele se ajeitava na poltrona da minha frente.

— Vai ter que se acostumar - debocha ele mais uma vez.. — Emma se tirar suas unhas do descanso de braço, você ficará melhor.

Não me senti melhor coisa nenhuma, já ele estava jogado em cima da poltrona, bem relaxado. Parecia não se preocupar com o fato de estar á kilometros do chão.

— Quer tomar alguma coisa?- pergunta.

— Eu só quero sentir o chão novamente - sinnto meu estômago revirar, o que estava acontecendo comigo? Que mico.

— Tenha calma - fala. Devagar ele solta meu sinto, me puxa para perto dele e faz eu sentar em seu colo. — Você ta gelada.

— Você ta quente - digo sem pensar em besteira.

— Eu sou quente - sua sobrancelha é erguida e o sorriso maligno volta á me distrair.

— Você é bobo, isso sim - ele parece um pouco irritado, mas não tanto. Ele afaga minha cabeça e beija o topo da minha testa para me tranquilizar.

Quando acordei de um breve sono, ele estava comigo em seu colo descendo as escadas do avião, fiquei alegre ao ver chão novamente e quase pulei de seu colo. Mas.. acabei vomitando no chão.

— Emma você está bem? - preocupado ele pega um lenço de sua jaqueta e me oferece, limpo a boca para tirar qualquer sujeira ou baba, talvez até resto de comida.

— Acho que fiquei nervosa demais - sorri, mas fecho á boca caso esteja com bafo. — Preciso de uma bala - digo tapando á boca com minha mão.

***

Sua mãe estava deslumbrante, enquanto íamos para um hotel, o carro que foi nos buscar era uma EcoSport, um pouco simples para essa família. Fico maravilhada ao ver o enorme hotel, que de frente á cinco estrelas em néon vermelho. Deve ser um hotel caríssimos, eu deveria trabalhar a vida inteira para passar uma noite em um desses.

— Eu adoro esse Hotel! - Dona Kath diz ao ver eu com olhos brilhando.

— Palace Royal Hotel - Matthew com seu abto de corrigir as pessoas.

— É deslumbrante - foi á única palavra que me veio na cabeça.

— Eu sei, obrigado - Matthew diz com um olhar satisfatório.

— Não você, o hotel - reviro os olhos, para o quão Matthew é tão convencido.

— Por isso mesmo, quem você acha que é dono? - ele pergunta, mas não se aguenta.. - Sou eu, então o que achas?

— Fascinante - fico perplexa com à nova informação que vinha de Matthew, dona Katherine parecia orgulhosa pela conquista do filho.

— Irei somente assinar alguns papéis, depois já voltamos para casa - o modo em que ele falou casa, parecia estar se referindo á nossa casa, o qual seria um pouco surreal.

— O que acha de conhecer o hotel comigo? - Dona Katherine pergunta, mas fico um pouco receosa.

— Mas dona Katherine.. Isso seria possível? - pergunto tentando esconder o sorriso.

— Claro, aliás eu sou sua sogra agora, não precisa de tanto rótulos - o sorriso de Katherine era muito bonito, sua pele lisa me deixava com inveja seus olhos castanhos verdeados eram tão iluminados que era de se apaixonar.

— Obrigada.

Ela me mostrou os quartos: dos mais básicos até os mais luxuosos. Me mostrou o restaurante, á lavanderia o escritório, os estacionamentos o Heliponto, as funcionárias que dizia serem fuxiqueiras.. e me avisou para cuidar com o que falo perto delas.. por último me mostrou um Spa, que sinceramente se pudesse ficaria ali á vida inteira. Por fim, ganhei um cartão de hospedagem que não precisaria pagar. Mas não sei dá onde eu iria vir para Espanha? Se dependesse de mim somente de carro.

— Mamãe! - uma baixinha de cabelos espetados sai correndo para abraçar Dona Katherine, mas logo reconheço das fotos.. Gabriela.

— Filha! Como você sabia, que estávamos aqui? - ela pergunta surpresa.

— Papai me contou, então eu vim para ver vocês! - ela diz enquanto afasta o abraço, mas logo olha para mim com a expressão chocada.. — Ai meu Deus você é á namorada do meu irmão? Até que enfim, arrumou alguma garota bonita.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora