Chapter 36: Como a Bela e a Fera

4.9K 551 106

Sean

Não consigo parar.

Seus doces lábios me saciam cada vez mais, tornando-me escravo do desejo. Tê-la quase nua em minha cama me agrada mais do que eu gostaria de dizer. Quando a trouxe não pensei duas vezes, coloca-la em outra cama que não fosse a minha estava fora de questão. Confesso que possuo todos os seus documentos na empresa, tenho seu endereço completo e até telefones para contato, no entanto nem me preocupei em procurar. Não poderia perder a chance de tê-la só para mim. Talvez seja um pensamento um tanto doentio, já que eu praticamente a sequestrei, porém não pretendo fazer nada que ela não queira. Sou apenas um tolo que espera ganhar algum agrado, mesmo que a única coisa que eu ganhe seja ter seu perfume em meus lençóis.

Quando senti suas suaves e pequenas mãos massageando e acariciando meu corpo quase fechei meus olhos para que a sensação fosse armazenada em minha memória, mas não pude, pois seus tímidos movimentos eram ao mesmo tempo tão doces e afoitos que despertaram a paixão em mim. Não pensei duas vezes e em poucos segundos estava me jogando em cima dela sem nenhum pudor ou hesitação.

Depois disso perdi os sentidos.

Ter Emma finalmente em meus braços despertou o pior de mim. Apertei todo seu corpo em movimentos ferozes e descontrolados. Nesse momento ela era minha fonte e eu estava absolutamente sedento por mais, muito mais dela. Nossas línguas se conectam em movimentos leves e sincronizados, e cada vez mais sinto ela mais entregue a mim. Suas curvas me excitam a um nível absoluto, trazendo o homem das cavernas à tona. Aperto seu corpo cada vez mais contra o meu e começo a friccionar, em movimentos progressivamente mais fortes, meu corpo sobre o dela. Como resposta ouço um leve suspiro de prazer de Emma e isso faz com que meus movimentos fiquem mais fortes e intensos. Só queria me afundar, me aterrar nela, nos tornando um só. Solto seus lábios apenas para atacar seu pescoço. Beijo e mordisco todo o caminho, porém no momento em que alcanço meu objetivo ouço um ruído de dor.

Não foi um gemido de prazer e sim uma lamúria.

Sua queixa faz com que eu desperte e perceba o que estava fazendo. Eu a trouxe para casa para descansar depois de ser atacada por Daniel – coisa que só aconteceu porque eu deixei que acontecesse – e agora estou fazendo o mesmo, atacando-a.

Para piorar tudo a machuquei.

Eu sou um animal.

Largo ela bruscamente quando me levanto, pois estava a agarrando muito forte, igual a um maluco. Onde eu estava com a cabeça?

Ela precisa descansar, precisa de cuidados e o que eu fiz? A ataquei feito um tarado, um homem das cavernas. Viro-me de costas já que não consigo encara-la. Ainda estou excitado, e como, mas preciso me acalmar. Mexo meus cabelos rapidamente buscando colocar as ideias em ordem para pensar racionalmente. Tento dizer algo enquanto, mas nada me vem à cabeça. Desisto e me viro de encontro a aqueles belos olhos.

E a visão que tenho é tão deliciosa que me dói. Emma está uma completa bagunça, seus cabelos estão desordenados, seu rosto amassado e seus lábios estão vermelhos por conta de nossos beijos. Contudo o que mais me fere é ver os hematomas que aquele monstro deixou em seu delicado pescoço.

Como pude deixar isso acontecer?

Vergonha e desgosto me preenchem por inteiro.

- Me perdoe...– me desculpo baixo. Esse pedido parece ser tão inútil, pois tenho que me desculpar por tanta coisa...

E como um completo fracassado me retiro deixando-a sozinha.

-

Emma

Sempre sua Luce  (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!