Capítulo 16

29.2K 2.1K 46


— Você é jovem para estar fazendo isso - ele diz sobre o fato de eu ter que trabalhar tanto.

— Acho que sou, sim.

Eu teria gostado de ter uma vida fácil, ser alguém da alta sociedade. Mas eu nem sei o que é isso. Ele me deu um sorriso, que me fez corar.

— Moda então? - pergunto referindo-se a sua empresa. — Você deve conhecer os melhores estilistas do mundo.

— Conheço. Nós investimos muito nas tendências.

— Você deve conhecer várias modelos famosas - digo admirada.

— Na verdade a maioria já não me satisfazem. Já peguei a maior parte - foi como se alguém tivesse me dado um soco no estômago.

Eu não podia cobrar nada dele, ele enfatizou a palavra peguei, mas nada era surpresa para mim. Recomponha-se disse a mim mesma, para que não me visse no meu momento ciúme.

— Isso é constrangedor -

— O que?

— Você tem tudo na sua mão, deve ser fácil isso para você.

— Esse é o motivo de merda de eu não ter achado ninguém que me quisesse de verdade.

— Entendo.

Dormi até tarde na manhã seguinte, estava tão esgotada na noite passada que deixei eles conversando e fui dormir. Chequei o relógio e estava na hora de levantar, tomei cuidado para não acordar Matt. Fiz silêncio na cozinha, passei café e gritei uns ovos. Enquanto eu devorada meu café Savannah surgiu no corredor com seus olhos sujos.

— Bom dia meu amor - digo abrindo meus braços, para recebe-la.

— Bom dia - falou, olhando para os ovos na mesa.

— Está tudo bem?

— Está Emma, mas eu queria poder acordar todos os dias e ver você sorrindo - sua voz está baixa, ela senta no meu colo.

— Mas você tem..! - óbvio que tem, eu apenas estou trabalhando para ela poder ter seu tratamento.

— Eu tenho medo do apagão.. - ela começa chorar.

— Apagão? - pergunto desentendida.

— Eu.. não.. quero morrer!

O que? Morrer.

— Não, você não vai morrer! - digo parecendo ser forte.

— Espero que sim, não quero ficar sozinha no escuro.

Eu estava terrivelmente abalada, controlei a respiração para não parecer desesperada. Ergui o queixo e encarei Savannah que secava seus pequenos olhos..

— Você é forte, sempre me surpreendeu eu pensava que você não iria aguentar não ter a presença do nosso pai, mas você aguentou. Pensei que o câncer iria lhe deixar fraca, só que és mais forte que eu.

— Obrigada, Emma - ela sorri. — Eu te amo.

— Você é minha vida - completo.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora