Capítulo 55.

2.2K 161 15

Meses depois..

   Aconteceram várias coisas desde o ano passado. Eu terminei com o Davi, pois não estava aguentando mais como ele estava me tratando. Estava diferente, cheio de segredos, ficava no celular o tempo todo, e só falava comigo quando eu virava o rosto dele. Ele "chorou" praticamente na minha frente, implorando pra eu não terminar. Mas já era tarde, já tinha avisado duas vezes sobre isso. Mas sabe o que aconteceu? Exatamente nada. O mais ruim foi que eu sempre me dei por inteira nesse namoro (não que ele também não tenha se dado), mas eu sei que fiz o melhor que pude. E se não deu, realmente não deu. Não posso negar de que não paro de pensar nele desde que terminamos, nem de que não consegui ficar com ninguém até hoje. Não é fácil tentar esquecer alguém que você ama, ou eu acho que amo, ou só gosto, sei lá.
    Enfim, estou me arrumando pra ir a uma festa que a Bia me obrigou a ir. Não estou muito bem pra festa hoje, principalmente por que estou de tpm, mau-humor ta foda. Me arrumo, coloco minha roupa:

  Um salto, pego minha bolsinha com meu celular e meu fone (nunca se sabe quando se tem música ruim

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

  Um salto, pego minha bolsinha com meu celular e meu fone (nunca se sabe quando se tem música ruim. Ligo pra Bia que já podia me buscar, e ela disse que rolou um imprevisto, e não vai poder vir me buscar agora, mas que vai mandar alguém vir. Concordo, e abro a porta, me sentando na escada esperando alguém aparecer. Tem um montinho de pessoas jogando vôlei na praia, e isso me faz lembrar o quanto tempo não prático esportes, preciso praticar.
       Fico mexendo no snapchat até um carro parecer, e parar do lado da minha escada. Identifico ser o carro da Bia, e desço as escadas. Abro a porta e entro, fechando-a e colocando o cinto.

- Achei que não ia poder vir mes..- Paro de falar quando olho pra pessoa.

- Ela não pode mesmo vir.- Davi responde.

- E ela te mandou?- Pergunto cruzando os braços.

- É.- Levanta uma das sombracelhas.- Por que? Acha que eu me intrometi por que quis? Você ia ter que ir apé. Queria só ver.- Responde pisando no acelerador.

- Idai.- Falo.

- Coloca o cinto.- Fala e eu coloco.

- E se eu quiser ir apé?- Pergunto séria e ele freia o carro bruscamente, fazendo o carro balançar. Me encara com uma cara séria, e porraaa, ele ta incrivelmente lindo.

- Quer ir?- Pergunta.

- Agora que eu já tô aqui, não.- Respondo olhando pra frente, mas percebo ele sorrir e olhar pra frente, tentando esconder o sorriso. Começa a dirigir novamente.

- Como está o Adam?

- Bem..- Respondo olhando pra ele.- Namorando.

- É, uns terminam, outros começam..- Fala olhando pra frente.

- É.- Viro o rosto. Para o sinal, e ele continua olhando pra frente e passando a mão na barba. HELP-ME, SOCORRO. Olho pra ele por um tempo (sinal demorado) e ele me encara de volta. Desvio meu olhar pro celular, com a mensagem que acabou de chegar.

" Médico da visão lá.

  Eai loka, ta afim de ir pra praia agora?? Ta mó tédio aqui, e a gente não se vê tem 2 dias. Muito tempo pra ficar sem alguém que me faz tão bem! Sz." - Sorrio lendo a mensagem, e o Davi percebe. O sinal abre, e o Davi acelera com o carro.

" Alice no País das Maravilhas. (Sim, eu uso o apelido que o Davi me deu, no meu whatsapp)

  Ain, bem que eu queria :(, mas me obrigaram a ir para um show. Socorro." Respondo e o Davi para o carro, em seguida tira a chave e abre a porta. Saio do carro também, e subo na calçada junto com ele. Ele fica me olhando parado e eu pergunto.

- Que?

- To esperando você ligar pra Beatriz.- Diz como se fosse óbvio.

- Você não sabe aonde é?- Pergunto de boca aberta. Não acredito que a Bia me deixou sozinha, com meu EX NAMORADO (Grifado e com caps look pra entender a gravidade), e ele não sabe nem aonde eles estão. Ótimo, melhor impossível.

- A gente ja ta no lugar, só falta achar ela.- Responde sarcástico e eu reviro os olhos.

- Sério?

- Não.- Novamente, e ignoro. Ligo pra Bia e ela não me atende. 2, 3, 4, 5 e nada, todas na caixa postal.- Não acha melhor irmos procurar ela?

- Aqui? É muita gente, não dá.

- Não precisa ser agora. Cada um curte, bebe, faz o que quiser, uma hora se encontra por ai.- Fala.

- Pode ser então.- Respondo encarando as garotas que quase comem o Davi com o olho. Ele pega na minha mão, eu olho pra ele, e imediatamente ele solta.

- Desculpa, foi impulso.

- Tudo bem.- Sorrio.

- Vem, tem um mini-barzinho ali.- Aponta.

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!