Capítulo 10

28.8K 2.2K 102

— O que? - quase gaguejo, mas por sorte consigo me controlar. Ele começa a chegar perto de mim. Eu começo a ficar nervosa. Não interrompo quando ele me puxa para seus braços, sua respiração está calma e o brilho no olhar está muito visível. Logo o mesmo encostas seus lábios nos meus, permito passagem mas logo começa a rir de um jeito irritante.

— Que foi? - pergunto, sem entender.

— Tudo como eu imaginava, você é tão fácil garota - ele ri, começa a me olhar de um jeito humilhante.

— Como é que é? - tento não mata-lo.

— Você não vê? Só porque eu dei um pouco de atenção, você está aí toda caidinha por mim - ele ri e abre a porta. — Se toca garota, você não passa de uma empregada.

O que? Será que é o mesmo Matt? Por que isso agora? Não quero mais ter que ouvir baboseiras, esse idiota metido e riquinho.

— Você é um idiota - cuspo essas palavras já com lágrimas nos olhos.

Corro para meu quarto, mas percebo que não parece nada com meu quarto. Não era como se eu me sentisse confortável. Tento não ligar, mas parece impossível. Como um cara pode ser tão idiota, porque mulheres sente algo por homem assim? Coloco um vestido e amarro meu cabelo.

- Emma? Desculpa abre essa porta - a voz de Matt tira minha concentração.

- Dane-se - grito, tento sai pela sacada e me dou bem.

- Você sabe o quanto isso é exagero? - escuto ele gritar de longe. Saiu pelo portão principal o qual o guarda não estava presente.

Preciso de um tempo para me acalmar, eu não posso desistir por Savannah, mas que homem chato. Quando eu estava atravessando a rua me deparo com o garoto loiro de olhos azuis, como é mesmo o nome... Breyner.. Bruno... Bernardo isso, o da festa da prima de Matt.

- Ei você! - ele me chama quando eu tento disfarçar.

- Oi - sorri de um jeito falso.

- Aonde está indo? - ele me pergunta intrigado.

- Estou indo na sorveteria.. - digo colocando uma mexa de cabelo atrás da orelha.

- Acho que vou também - ele sorri e passa o braço no meu pescoço e começa a andar. - Matt te irritou né?

- Você lê mentes? - digo e ele acaba rindo.

Ele entra e vai no buffet de sorvete, pega um potinho e analisa.

- Vamos dizer que Matthew sempre foi assim desde... bom ele é assim.

- Isso é desgastante.. - completo. Pego sorvete de vário sabores e depois de pagar sento em uma cadeira logo Bernado me acompanha.

- Ele costumava ser mais legal quando Sofhia era viva.. - viva? O que? Mas ela havia traído ele.

- Sofhia morreu? - pergunto, enquanto ele coloca uma colherada de sabor maracujá na boca.

- Claro, quando ela foi atrás dele, bem... ela caiu da ponte.. e.. logo depois de uns dias ele tentou se matar no mesmo lugar.. - ele balança a cabeça, como se tivesse falando besteira..

Por que ele havia mentido para mim?

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora