Capítulo 25.1

1K 130 47

Christopher e Ramona continuavam exercendo o seu trabalho ininterruptamente, mas o caso Ceifador de Anjos parecia ter ficado no passado, pois a condenação de Giovani pela morte de Janice e Adelle satisfez grande parte da população, que não o viam como um simples imitador, mas como o assassino de todas as outras mulheres. Obviamente, os detetives pensavam e sabiam ser bem diferente, mas se passaram tantos meses sem a aparição de um novo caso e depois de tantas mortes desenfreadas, que chegaram a acreditar que temporariamente o Ceifador de Anjos tinha saciado os seus instintos, de forma que se manteria quieto por muito tempo, quem sabe, ele nunca voltasse a atacar.

Vincent estava na cozinha preparando o jantar, quando Donna desceu as escadas e atravessou a sala abruptamente gritando pelo nome do marido, que parou o que estava fazendo para ir ao seu encontro.

— O que houve, Donna? — perguntou ele preocupado com a gritaria da esposa.

— Vince, estou grávida! Estou grávida amor, nós conseguimos! — falou eufórica.

— Calma Donna, como tem tanta certeza? Precisa fazer um exame — observou ele.

— Fiz teste de farmácia Vince, deu positivo — explicou ela, mais calma.

— Amor, não pode confiar cem por cento em um teste de farmácia — explicou ele com calma.

— Foram seis — argumentou ela, abrindo a mão onde estavam seis tiras finas, acusando a gestação. — Todos deram positivo!

— Amor, o que quero dizer é que o método mais confiável e definitivo para diagnosticar uma gestação é a dosagem sanguínea do hCG — falou, envolvendo-a com os braços.

— Vince, quer me desanimar?

— Não Donna, mas não quero que crie expectativas com algo incerto, apenas teremos certeza depois do exame de sangue. Distúrbios na produção de hCG é algo normal, pode acontecer com qualquer mulher amor, por isso, você precisa fazer um exame de sangue. Vamos fazer assim, amanhã vamos juntos para a clínica e vamos torcer juntos que o resultado confirme sua gravidez. Está bem? — Sorriu.

— Está bem amor. Sabe que não vou conseguir dormir até amanhã, não sabe!?

— Sei — falou rindo da esposa. — E você sabe que não quero que você se decepcione ou que sofra por isso, não sabe? De qualquer forma, vou te fazer companhia acordado.

Embora tivesse certeza da gestação, Donna fez o exame de sangue, acompanhado por seu marido que a todo tempo tentava conter a ansiedade dela. Donna se sentiu a mulher mais feliz do mundo ao confirmar que estava grávida, não havia mais dúvidas para ela e seu marido. Vincent ficou imensamente feliz com o resultado.

A certeza de que seria pai o entusiasmou, sua família iria aumentar! Vince não conseguia imaginar nada melhor que isso, precisavam comemorar.

As primeiras pessoas para quem Donna fez questão de contar foi para seu irmão e cunhada, que depois de saberem das intenções dela de engravidar, ficaram no seu pé questionando para quando era a vinda de seu sobrinho ou sobrinha, coisa que eles queriam muito.

Para os demais amigos, a boa notícia se manteve em segredo, de forma que foi dada pelo casal somente em um almoço realizado na sua casa, para o qual compareceram Pamela, Alex e Olivia, que foi a convidada especial de Donna. O convite foi estendido a Christopher, mas ele não compareceu, pois precisou trabalhar nesse dia, o que Vincent lamentou profundamente.

Vince realmente queria essa aproximação, quem sabe podiam ser bons amigos. A oportunidade de conhecer e até de vir a estreitar laços com o detetive responsável por sua captura, que nos últimos anos o procurava, era demasiado excitante.

O Ceifador de Anjos: A Coleção de FetosLeia esta história GRATUITAMENTE!