Capítulo 25

1K 144 20

Como previsto por Donna, os dias pareciam esticar, de tão lentos que passavam, enquanto ela manteve a sua rotina, indo dar aulas pela manhã e retornando para a casa no horário de almoço. Não tinha vontade alguma de sair para nenhum outro lugar.

Pamela sempre ia lhe fazer companhia, levava consigo Mike e Brendon, que alegravam muito a professora. Para Donna, a presença dos meninos era a melhor forma de passar o tempo.

Ela ficava sempre ansiosa para o anoitecer, sempre esperando o contato de Vince. Nesse período, o biomédico avisou a esposa que estavam com problemas no sinal, de forma que poderiam não conseguir se falar no horário marcado, mas que ele ligaria o mais rápido que pudesse. Isso já tinha acontecido quatro vezes, mas depois da espera frustrada de Donna, logo ele ligava.

O seu trabalho em Chade estava se desenvolvendo muito bem, mas Vincent garantia que não via a hora de retornar para Los Angeles, mais especificamente, para os braços de Donna.

Ver o marido na tela do monitor de seu notebook, sempre tão lindo, assim como ouvir a sua voz, dava forças para que ela suportasse a saudade. Vincent parecia estar ainda mais bonito do que nunca, do jeito que Donna tanto gostava. O hospital de Chade não era nada exigente com seus biomédicos, permitindo-lhes um visual mais despojado, assim, Vince mantinha a barba sempre por fazer e os cabelos espatifados, o que sua esposa achava muito atraente.

A verdade é que passar por essa fase estava sendo mais difícil do que ela imaginou que seria, pois Adelle também lhe fazia falta, a amiga saberia como fazer passar o tempo da melhor forma possível e com muita alegria.

Pamela incentivou a amiga a sair, mas ela não a ouviu. Vincent também insistiu, mas apenas a convenceu quando se mostrou muito triste e preocupado com ela, o que fez com que Donna prometesse que convidaria Olivia para um almoço no dia seguinte.

Desde esse dia, Donna e Olivia se viam com mais frequência. A professora até foi em sua casa, enquanto o marido da amiga trabalhava. Olivia também retribuiu a visita.

Chegaram até a sair pelos parques de Los Angeles para que pudessem fotografar, uma forma de Olivia matar a saudade da carreira que deixou para trás, quando escolheu cuidar apenas da sua família, ao mesmo tempo em que ensinava Donna sobre melhores ângulos e como usar a luz a seu favor para uma boa fotografia. As duas se divertiram muito nesses passeios, pois encontravam nesses momentos um meio de esquecer a dor recente, os obstáculos com os quais tiveram que lidar e os problemas que podiam vir pela frente.

Olivia e Donna descobriram ter muito em comum, embora o assunto preferido de ambas fosse a futura gestação. Ambas sonhavam com esse momento, acreditavam que realizariam esse sonho ao mesmo tempo, pois segundo o médico, ia ser exatamente assim.

Com a aproximação cada vez maior por parte da professora e da ex-fotógrafa, os dias ficaram mais leves e passaram mais rapidamente. Assim, passou um mês e mais outro, logo faltavam menos de trinta dias para o retorno de Vincent.

Dias em que a ansiedade de Donna triplicou. Ela acompanhava animada a passagem de cada um desses dias, até que finalmente o grande dia chegou.

Donna esperava impaciente no aeroporto, o voo de Vince já tinha chegado, então a qualquer momento ele iria apontar no meio daquela multidão.

Não demorou e ela viu Vincent acompanhado pela equipe, todos estavam muito diferentes de quando partiram. Todos os homens estavam com barba, Jhoe estava até com o cabelo mais comprido, usando um pequeno rabo de cavalo, as biomédicas também estavam vestidas de forma mais despojada, seus cabelos aparentemente foram presos às pressas, pois não estavam penteados.

O Ceifador de Anjos: A Coleção de FetosLeia esta história GRATUITAMENTE!