Capítulo 24.1

979 128 44

 Enquanto para Donna, em Los Angeles, eram dez horas da noite, para Vincent em Chade, já eram seis horas da manhã de terça. Para eles, o momento perfeito para se falar.

Donna estava deitada na cama, tentando achar as palavras que ia usar para contar o que aconteceu para o marido, quando ouviu o toque do convite para uma conversa de vídeo, vindo do seu notebook, puxou ele para mais perto e aceitou a chamada de Vincent.

— Oi, amor — ele falou enquanto sorriu, um sorriso lindo.

— Oi, meu amor — ela falou tentando parecer normal.

— Donna, o que houve? — perguntou, preocupado ao perceber a expressão de tristeza da esposa.

— Vince, é que... — Ela não conseguiu prosseguir com as palavras.

— Donna, meu amor, também estou com saudades, vamos passar por isso juntos. Não gosto de ver você assim!

— Não é isso, amor...

— Então, o que é? — perguntou ele, aparentando mais preocupação.

— Vince, você precisa ser muito forte, tenho algo horrível para te contar!

— O que aconteceu Donna, fale logo, por favor.

— Adelle morreu, Vince, ela foi assassinada, por isso não foi ao aeroporto se despedir! — falou entre lágrimas

Vincent não falou nada, mas sua expressão mudou, não estava mais feliz, parecia assustado.

— Eu sinto muito, amor, eu sinto tanto, queria você aqui... eu... me desculpa, amor! — disse Donna cobrindo o rosto com as mãos.

— Donna, eu quem sinto por não estar contigo. Eu lamento amor, vou falar com Randall para retornar à Los Angeles no máximo amanhã, não posso deixar você passar por isso sozinha — falou, se culpando, com expressão triste.

— Não, amor! — falou Donna rápido, limpando o rosto. — Quero você aqui, mas não assim. Fique em Chade o tempo combinado, vou ficar bem amor.

— Como, Donna, eu te deixei sozinha. Me perdoa amor?

— A culpa não é sua Vince, pare com isso!

— Se der certo, volto entre hoje e amanhã, Donna. Tenho certeza que terei outra oportunidade de traba...

— Não — interrompeu ela rápido. — Não venha, não estou sozinha, tenho Pamela e Alex, eles se preocupam comigo. Meu irmão e minha cunhada também me ligaram para saber como estou, qualquer coisa, disseram que virão ficar uns dias comigo. Não se preocupe amor.

— prometeu que vai ficar bem, Donna?

— Prometo.

— Eu realmente lamento não estar contigo, amor.

— Eu sei Vince, mas fique tranquilo, vamos superar isso. E tem mais uma coisa...

— O que é?

— Vou ter que depor... vai ser amanhã, depois do enterro. Pamela e Alex vão também.

— Entendo. Pelo menos não vai ficar sozinha. A polícia tem algum suspeito?

— O idiota do Giovani, certeza que foi ele, matou a Ade e a Janice — contou ela.

— Aquele canalha! — ele falou com raiva.

— Vi na TV que o prenderam — comentou Donna.

— Espero que apodreça na prisão!

Ramona conduziu a investigação sem a presença de Christopher, mas teve ajuda dos detetives Timothy e Ralph, assim, fecharam a noite com o depoimento dado por Giovani Fowler, depois de sua prisão.

O Ceifador de Anjos: A Coleção de FetosLeia esta história GRATUITAMENTE!