Capítulo 24

925 139 51

Segunda-feira começou terrível para Christopher e Ramona, tão cedo e já haviam sido informados de um novo ataque do Ceifador de Anjos, mas dessa vez, a vítima era uma promotora de justiça.

Ter um dos seus como alvo de um assassino em série não soava nada bom. O Ceifador não parecia temer nada nem ninguém, como se pudesse matar quem quisesse a seu bel prazer, certo de que não seria punido.

Fora o fato da vítima integrar o quadro de funcionários da Lei de Los Angeles, o que chamou a atenção foi que ao serem informados sobre a identificação da vítima, perceberam que já a conheciam, de um outro caso que aparentava ser do Ceifador.

Os detetives identificaram o corpo da promotora de justiça, Adelle Potts Mercer, trinta anos, solteira e grávida. Sabiam que ela foi namorada de um suspeito de assassinato, o advogado Giovani Fowler, o que significava que ele, novamente entrou no radar da polícia.

Christopher e Ramona se depararam com o corpo de Adelle já coberto, pois Ladonna já tinha a examinado superficialmente, logo, ela seria levada para o necrotério, para que a legista realizasse a autópsia.

O detetive descobriu o cadáver, se deparando com uma expressão de terror e dor em uma face que já dava sinais da decomposição, em meio a uma poça de sangue seco.

Christopher identificou a marca na coxa, o ventre cortado e a perfuração na virilha. Parecia mesmo obra do Ceifador.

— Ela teve a perna fraturada — disse, desviando o olhar da legista para a escada. — Ela sofreu um tombo feio aqui.

— Ele devia estar atrás dela, quando a coitada se desequilibrou — observou Ramona.

— Significa que ele a atacou lá encima — constatou Christopher.

— Isso mesmo detetives, no quarto do bebê, tem um abajur quebrado lá — falou a legista em um lamento.

— Vamos subir para ver — informou o detetive. — Mesmo modus operandi? — perguntou antes de sair.

— Sim, exceto pela perna, nenhuma novidade aqui, a não ser que a autópsia me surpreenda com algo que nos leve até o assassino, o que francamente, não acredito!

— Agradeço o otimismo, Ladonna — ironizou Christopher.

— Não precisa, tenho prazer em ajudar! — respondeu ela de forma ainda mais irônica.

Os detetives chegam a um quarto grande, todo branco e decorado com bichinhos. O abajur citado pela legista já tinha sido recolhido pela perícia para análise, de forma que não havia sinal de luta naquele cômodo. Entenderam que a vítima conseguiu se desvencilhar e fugir, mas lamentavelmente, rolou escada abaixo.

— Estava tudo preparado para a chegada do bebê — comentou Christopher entrando atrás de Ramona.

— Para os bebês — retrucou Ramona apontando para outro berço do outro lado do quarto.

— Eram gêmeos! — constatou ele em um lamento.

— Qual o problema desse cara!? — indagou Ramona revoltada. — Ainda não consigo entender como ele escolhe as vítimas, não faz sentido!

— Também não entendo, esse desgraçado está brincando conosco!

— Christopher, acha que ele invadiu a casa e a surpreendeu aqui no quarto ou a vítima o trouxe até aqui? — perguntou a detetive, pensativa.

— Precisamos descobrir, assim como quem era o pai dos gêmeos — respondeu ele.

— Não será o Giovani? — perguntou Ramona.

O Ceifador de Anjos: A Coleção de FetosLeia esta história GRATUITAMENTE!