Capítulo 23

1K 139 30

Embora a investigação dos assassinatos do caso Ceifador de Anjos não caminhasse, os detetives comemoravam o fato de terem, ao menos, descoberto o nome da moradora de rua, pois através do seu DNA a identificaram no sistema como Jessica Allen, a mulher que enquanto criança, esteve em setes lares adotivos e ao que parecia, havia fugido do último, ainda novinha, desde então, não houve mais registros sobre ela. Significava que apesar de viver na rua, a mendiga não se metia em confusões ou então, fugia antes de ser pega.

Ramona e Christopher, torciam para que ela tivesse mantido algum contato com uma dessas famílias, quem sabe soubessem de algo que pudesse colaborar com a investigação. Foram atrás de todas as sete, conheceram os muitos pais, mães e irmãos que a pobre mulher teve durante sua infância e adolescência. Algumas dessas pessoas, não puderam encontrar, pois ou tinham falecido ou mudado de Los Angeles, mas todos aqueles com quem falaram, em nada puderam ajudar.

Os resultados da autópsia e da perícia também não contribuíram com o trabalho dos detetives. Na noite em que ela morreu, ninguém ouviu um grito nem sequer ou viu qualquer movimento suspeito naquele beco.

Os locais vasculhados pelos detetives, onde sabiam que a moradora de rua marcava presença, assim como os depoimentos de outros mendigos que a conheciam, também não apontava, para Christopher e Ramona, qualquer direção para seguirem. O assassino parecia pensar em tudo ou tinha demasiada sorte.

Jessica Allen era apenas mais uma vítima do Ceifador de Anjos, que assim como as demais, não deixou qualquer pista, mas que, por algum motivo, ele deu a ela uma morte menos sofrida. Não conseguiam imaginar o porquê, descobririam isso apenas se um dia encontrassem esse psicopata e somente se ele quisesse falar.

Os meses passaram rapidamente, para a infelicidade de Donna, para as felizes expectativas de Adelle e para a tão esperada data de embarque de Vincent para Chade.

Donna se mostrava animada, embora já sentisse antecipadamente a falta do marido. Tentava acreditar que seis meses passariam logo, que depois disso poderia engravidar e seriam uma família unida e feliz.

Adelle comemorava o quarto mês de gestação, logo faria mais um ultrassom para tentar identificar o sexo dos bebês ou pelo menos de um deles. Se sentia muito feliz e rumo a uma grande realização, a maternidade. No trabalho, graças ao seu profissionalismo e sua dedicação, tudo ia bem.

Vincent, por sua vez, comemorava o fato dele e de sua competente equipe terem chegado aos resultados desejados em tão pouco tempo, embora com muito esforço. Tudo estava pronto para sua viagem, que aconteceria no próximo domingo durante a tarde.

Assim, seus compromissos para antes do embarque já estavam definidos, no sábado, Donna faria um almoço em sua despedida, para o qual convidaram Ade, Pam, Alex e os filhos do casal, que confirmaram presença prontamente.

Para o domingo, no período da manhã, ele e a esposa iriam para a igreja, onde Vince queria se despedir de alguns amigos queridos e que gostavam muito dele também. Depois, almoçaria com a esposa em um restaurante elegante, pegariam as malas em casa e iriam juntos para o aeroporto.

Adelle chegou cedo, usava um vestido leve, apropriado para sua gestação, mostrando a pequena barriga que já apontava. Ade abraçou o amigo assim que ele lhe abriu a porta. Ela estava feliz pela conquista profissional de Vince, mas também já sentia sua falta, pois desde muitos anos nunca ficaram tanto tempo longe um do outro.

Ade correu para a cozinha cumprimentar a amiga, que ficou responsável por fazer um almoço especial para o marido, como um presente de despedida. No entanto, Donna estava distraída e atrapalhada. Embora caprichasse em tudo que fazia e cozinhasse tão bem quanto Vincent, não conseguia se concentrar nos seus afazeres, afinal, seu amor viajaria no dia seguinte e isso já fazia doer seu coração.

O Ceifador de Anjos: A Coleção de FetosLeia esta história GRATUITAMENTE!