bem a tempo

720 108 7

Se o tempo estivesse certo, eu teria te conhecido no primeiro dia. Eu ia tirar sarro das suas roupas, e você reclamaria da fumaça do meu cigarro. Eu a sopraria para longe de você, mas isso não seria suficiente, e você me lançaria aquele olhar enfezado que permaneceria até eu atirar o filtro para longe. E conversaríamos sobre coisas da vida, e não sobre pessoas da vida. Eu não teria uma história triste para contar, e você não estaria começando um romance. Você pediria meu telefone, e eu passaria o dia seguinte inteirinho implorando mentalmente por uma mensagem. E no final do dia, ela chegaria:

"Ontem foi divertido."

E sairíamos de novo. Só nós dois, dessa vez. Escolheríamos o pior restaurante a um preço abusivo, e desistiríamos de comer para ficar bebendo cerveja preta um um bar qualquer. Eu te faria rir pela primeira vez.

Na volta, eu dançaria escada acima, até voltar para o meu apartamento, onde martelaria as teclas na frente dessa tela, contando a mim mesma o quão maravilhoso você é. No dia seguinte, ignoraríamos nossos compromissos e passaríamos o dia todo nos falando, e fazendo comentários sobre o beijo que deveria ter acontecido. E você me chamaria para sair de novo no fim de semana, só que apareceria na porta da minha casa naquele mesmo dia para coletar o tal beijo, já que nem um minuto a mais deveria ser perdido com uma espera indesejada.

E nos beijaríamos sem medo, sem dívidas, sem timidez, sem terminar achando errado, sujo, fora de hora.

Mas isso é se o tempo estivesse certo.

E eu te conheci bem depois.

Eu, NósLeia esta história GRATUITAMENTE!