›» Capítulo 16 «‹

1.3K 112 103

Sentado na mesa do refeitório, conseguia ver todas as pessoas passando ao redor da nossa mesa e nos olhando como se fôssemos uma nova espécie de um animal desconhecido. Era assim que eu me sentia. Com tantos olhares em cima da nossa mesa, eu sou o mais atingido. Foi nesse momento que percebi que ficar de vela pode ser mais ruim do que imaginei.

Nesses dias atrás, estávamos tão separados que não imaginei a possibilidade de sentarmos juntos novamente. Quando digo isso, é incluso o David e o Gary, seguido de Bailey e Amber. E eu? Eu sobro. Se Andrea pelo menos estivesse aqui, iria conseguir me distrair. Mas ela não está, sempre some. E como ela faz falta nessas horas. Na verdade, em todas as horas do dia.

Seu humor carismático com certeza quebraria o silêncio pesado que forma ao nosso redor já que cada um está em seu mundo fechado. David e Bailey trocam olhares e poucas carícias, enquanto isso Amber e Gary só precisam ir até uma cama para o show começar. E eu e minha batata frita, que por sinal está muito boa.

— Cadê a Andie para fazer companhia para o Benzinho? — Amber diz gargalhando. Idiota. Apenas ignoro e olho para um ponto fixo, torcendo para que esse sinal bata logo.

— Quem diria, hein, Ben? Você e a hula hula... Pensei que fosse lerdo, mas já saquei que não — David diz, entrando na mesma onda que a Amber. — Fala para nós, Ben, já rolou o beijo?

— Isso interessa? — pergunto com um sorriso de lado, tentando descontrair. Não sei se Andrea disse para alguém, mas a minha aposta é não. Porém, eles não são lerdos, e eu sou trouxa o suficiente para deixar estampado na minha testa o quão bom é o beijo dela. Caramba, eu preciso repetir aquilo! Necessito da calma dela sobre mim enquanto me beija e passa suas mãos pelos meus cabelos. Eu estou delirando, literalmente!

Quando vejo uma garota loira vindo em nossa direção, já sei que aquilo não vai acabar nada bem. Lea anda como se fosse superior, e bem no fundo vejo traços de uma antiga — ou nem tanto assim — Bailey. Olho ao meu redor e percebo que sou o único que está relaxado, mas sei que não deveria. Na verdade, a Amber também está de boa, provavelmente não entendendo nada do que se passa. Sei que se a Lea falar merda para a Bailey, as duas vão se desentender e haja braços de um ser chamado David para separá-las.

— E aí, grávida do ano, já descobriu quem é o pai? — Lea pergunta apontando para mim e David. — Ou você vai esperar a criança nascer para fazer o teste de DNA? Quer dizer, do jeito que você é, capaz de que nem seja um desses dois.

A risada da Lea ecoa pelo refeitório enquanto um silêncio se forma em nossa mesa. Se antes as pessoas já nos olhavam como se fôssemos outra espécie de animal, agora não é nem um pouco diferente. Parecíamos ET's.

— Diferente de você, não me rebaixaria nesse nível — Bailey diz se levantando, deixando o David em alerta. — Além disso, querida Lea, muitas pessoas podem me achar nojenta, mas nada vai ser comparado ao que eles pensam de você.

— Desde quando você liga para eles? — Lea pergunta. Sinto uma raiva subindo pela sua pele e chegando até a sua cabeça, e isso não vai acabar bem. Ela se aproxima de Bailey, deixando o David preocupado a ponto de passar a mão em sua cintura. — Olha só, o bobo apaixonado te protegendo!

— Para de tanta infantilidade e me fala o que você quer — Bailey diz dando um passo para frente a ponto que fique perto o suficiente de seu rosto. Elas estavam se fuzilando com os olhos. — Acho que você não tem nada para falar, não é mesmo? Você só quer acabar comigo por nunca ter conseguido o que eu conquistei. Fique sabendo que continuará sem ter.

— Eu vou acabar com você, Bailey! — Lea diz e avança em sua direção, pegando seu cabelo moreno e puxando com toda a força que tirou do útero, jogando-a no banco que antes estava sentada. Bailey se recompõe a ponto de se levantar e ir atrás da Lea, batendo em seu rosto com a palma da mão. Aquilo deve ter doído pra caramba. A partir daí, só consigo ouvir gritos vindo de todas as pessoas, e a maioria pediam mais enquanto gravavam com o celular a briga.

Além do MarWhere stories live. Discover now