NOAH

Meu cérebro ainda não conseguia raciocinar apropriadamente. O que estava acontecendo? Que loucura é essa? É um pesadelo. Só pode ser isso.

-Te fiz uma pergunta, Noah -Luna me cobra sem um pingo de paciência. Ela disse algo?

-Desculpe, eu não ouvi -e é verdade. Parece que tudo está abafado e não consigo me concentrar. Minha mente dá voltas e voltas. Luna respira fundo e me encara.

-Eu perguntei como é que você namorou uma louca que provavelmente está querendo me matar! -ela então começa a andar de um lado para outro, completamente inquieta.

-É uma longa história, Luna -fecho os olhos, sentindo uma dor de cabeça se aproximando com força total. Meu Deus, se isso é um pesadelo, eu quero acordar.

-Então comece logo a falar, Noah. Por que a gente não sai desse quarto enquanto você não me contar essa história direito. Eu realmente não estou com pressa- levanta a sobrancelha atrevida que tanto gosto, mas que agora me estressa um pouco mais.

-O nome dela é Susan -começo a contar, mesmo contra minha vontade. -Eu a conheci em Londres, onde fui terminar minha faculdade. Ela cursava Gestão Empresarial, assim como eu. Nos demos bem logo de cara, pois ambos carregávamos um peso enorme nas costas: um dia assumiríamos a empresa de nossos pais e teríamos um império para governar -faço uma pausa para respirar fundo e escolher minhas próximas palavras.

-Continue, Noah -Luna pede atenta.

-Susan era inteligente, sempre foi. Conversar com ela era fácil e não havia muitos brasileiros por lá. Mesmo sabendo falar inglês, eu não me sentia muito à vontade conversando com aqueles britânicos metidos a besta. Susan parecia se sentir do mesmo jeito e nos aproximamos muito em questão de dias. Ela é filha de um milionário brasileiro e sempre teve do bom e do melhor. Usava somente roupas caras e a maquiagem sempre estava impecável. Mesmo demonstrando certa futilidade, começamos a nutrir um sentimento a mais pelo outro. Eu estava morando e estudando sozinho num país desconhecido e quando vi, estávamos namorando -dou de ombros. -Eu gostava da companhia dela e nos divertíamos bastante juntos.

-O que aconteceu, então?

-Como eu disse, Susan sempre teve tudo o que desejava. Sua mãe não conseguiu mais engravidar, então era filha única. O pai fazia todas as suas vontades, não importa o quão idiota elas fossem. O que eles não viam, é que estragaram Susan completamente e o dano era irreparável. Acho que ninguém imaginava que ela seria capaz de fazer o que fez -sinto um frio na espinha ao lembrar.

-O que foi que ela fez, Noah? -Luna tenta esconder o medo em sua voz, mas falha.

-Certo semestre foi passado um trabalho individual pra sala. Valia quase 70% de nossas médias, então todos começaram a se esforçar e a trabalhar como loucos. O professor nos avaliava a cada aula e nos dizia se precisávamos aprimorar algo e coisas do tipo. Foi quando uma aluna, Rose, começou a se destacar. Ela fazia o tipo "garota estranha, mas extremamente inteligente", sabe? O problema é que Susan não conseguia aceitar o fato de alguém estar sendo melhor do que ela e sabotou a garota.

-Sabotou? -Luna franze a testa. -Como assim?

-Não sei como, mas Susan conseguiu arranjar drogas pesadas e as colocou na bolsa de Rose -Luna arregala os olhos, chocada.-No mesmo dia, ela mandou uma carta anônima ao diretor da faculdade, dizendo que Rose contrabandeava substâncias ilícitas e que as vendia a outros alunos da faculdade.
-Meu Deus do céu. E aí?

-Obviamente o diretor precisava averiguar se aquilo era verdade ou não, então foi até minha sala e pediu para revistar a bolsa da pobre coitada. Rose se assustou com o pedido, mas não negou e abriu a mala sobre a mesa. Não havia nada no zíper principal, afinal Susan não era burra e sabia que Rose encontraria as drogas ali rapidamente. Mas, saquinhos e mais saquinhos foram encontrados nos bolsos laterais e Rose foi expulsa na hora. Todos ficaram espantados e horrorizados com aquilo, menos Susan, que sorria disfarçadamente. Quando vi a expressão maldosa em seu rosto, estranhei, mas não falei nada na hora. Esperei as aulas do dia acabarem e a confrontei. Não precisei pressionar muito, Susan me disse toda a verdade minutos depois.

A Paixão Acontece - Trilogia SchneiderLeia esta história GRATUITAMENTE!