Diálogo #2 - Exercício para diálogos

3K 377 86


Nadia Kalman (escritora americana) propõe três exercícios para dar naturalidade aos seus diálogos. Deixo o vídeo na parte multimídia, mas realço os pontos principais para quem não fala inglês.

Espionagem: Ouvir a conversa de pessoas reais e anotá-las. Num ônibus, num bar, na escola, em qualquer lugar. O importante é que a conversa seja interessante. Obviamente, você não vai usá-la diretamente nas suas histórias. Mas o processo te ajuda a entender as diferenças individuais de comportamento e escolha de palavras.

Imagine os seus personagens: em lugares convencionais, fazendo coisas comuns. O seu herói dormiria no banco do ônibus, escutaria música ou puxaria uma conversa? Como ele atende o telefone? E se ele tivesse uma criação diferente, o que ele diria a uma velhinha pedindo ajuda no caixa eletrônico. Essas simulações te ajudam a conhecer melhor o personagem e descobrir como este se expressa.

Fale alto: Sozinho, recite as falas de seus personagens para testar a naturalidade e fluência delas. Poetas tem o costume de recitar para si as poesias que fazem. É importante que você faça isso pelo menos nos diálogos.

Dicas:

- Quando falamos, alguns tendem a ser informais. Então seja breve e simples nos diálogos.

- Evite caracterizar o diálogo. Exemplo: "- Seu dinheiro ou sua vida! – diz ameaçadoramente.". Perceba que a ameaça já está inclusa no diálogo, então não seja redundante e corte "ameaçadoramente".

***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.

GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora