Capitulo Sessenta e Seis

51.7K 3.7K 272

Musica Tema: Me odeie (Charlie Brown Jr.)

Daniel

Observei Emily dormir, enquanto me balançava em uma cadeira que ficava no canto do quarto. Franzi o cenho vendo ela se encolher entre as cobertas, pois lá fora sol era forte.

Permaneci atento a seus gestos e quando ela tentou se encolher ainda mais eu me levantei, pondo delicadamente minha mão sobre sua testa, que era quase completamente coberta pelos cabelos.

Senti o quão quente ela estava e corri para a cozinha, procurando algum remédio ou algo que fizesse baixar sua febre.

–O que houve Daniel? Quer destruir a casa? –Perguntou Math surgindo na porta com um semblante confuso.

–Emily está com febre e algo me diz que a temperatura só tende a aumentar! –Disse frustrado por não encontrar nada ali.

Olhei para a porta não encontrando Math lá.

Puxei um pano junto de uma bacia, enchendo-a com agua, deveria servir enquanto eu ia comprar algum remédio.

–Daniel! –Jennifer me parou. –Eu quero te pedir desculpas... –

–Péssima hora para se arrepender Jennifer. –Disse passando por ela, enquanto equilibrava a bacia com agua em minha mão.

Abri a porta do quarto, encontrando um Math desesperado tentando acordar Emily.

–Acorda Em's. –Ele suplicou puxando a coberta para longe dela.

–Por quê? –Ela sussurrou batendo os dentes como se fosse o dia mais frio do ano, sendo que era o mais quente em tempos.

–Só abre os olhos Emy! –Pediu e ela abriu com certa dificuldade se encolhendo ainda mais.

–Eu fui uma boa garota, pode me devolver a coberta? –Ela perguntou e eu neguei, mergulhando o pano na água.

–Não dessa vez. –Disse sentando-me ao seu lado enquanto passava o pano com cuidado em seu rosto. –Continua fazendo isso enquanto eu vou buscar algum remédio. –Resmunguei entregando o pano a Math. –Não a deixe dormir ou entregue a coberta a ela novamente. –Disse antes de fechar a porta atrás de mim.

Dei um longo suspiro e corri para a escada.

–Daniel você viu Math? –Perguntou uma Carolayne sonolenta.

–Você vem comigo e você também! –Disse puxando Carolayne e Gui que se preparava para dar uma colherada em seu pudim.

–Sabe quanto tempo levei para fazer esse pudim? –Perguntou incrédulo.

–Aposto que muito menos do que vou levar para comer! –Disse Luke pegando o pudim da mão de Gui.

–Luke, sobe com Math e não deixa Emily dormir, mesmo que ela faça biquinho ou carinha de gato de botas eu volto logo com o remédio. –Disse puxando Carol e Gui para fora.

–Qual o problema com Emily? –Gui perguntou.

–É uma ótima pergunta e eu só por um acaso não sei responder! –Murmurei entrando no carro. –Em um momento ela estava dormindo e então no outro eu percebi que sua temperatura não estava normal. –

–Efeito da anemia? –Carolayne perguntou preocupada.

–Não acredito que seja isso, não agora que ela tem tomado os remédios corretamente. –Disse e me virei para Gui que parecia culpado.

–O que você fez Guilherme? –Perguntei.

–Eu não tive culpa, a garota parece um aspirador, engole tudo que é comestivelmente delicioso, não tive como evitar! –Disse e me olhou. –Eu falei que ela não devia tomar sorvete com calda de chocolate, mas você a conhece e também estava delicioso, não pensei que iria ter algum efeito colateral, afinal eu comi e estou ótimo. –

S.O.S Internato: A Marrenta tá na área!!!-EM REVISÃO ||LIVRO ÚNICO||Leia esta história GRATUITAMENTE!