Eu subia as escadas da estação de metrô com algo em meus braços, algo não, alguém. Eu estava a caminho da mansão de YoonGi.

Andei por mais alguns metros até conseguir ver a gigantesca instalação bem ornamentada, sorri e me aproximei do porteiro que me deixou passar rapidamente.

Agradeci e segui caminho pelo jardim que não mais tinha rosas brancas como a predominância, e sim tulipas alvas. Me aproximei da porta de entrada da mansão e ajeitei o ser em meus braços, enrolado em uma trouxinha azulada.

Toquei a campainha no mesmo momento ele miou baixo me fazendo sorrir e parar de prestar atenção na mansão para acariciar sua pelagem cinzenta.

Ouvi passos vindos de dentro da residência e alguns segundos depois a porta foi aberta, meus olhos encontraram um YoonGi recém acordado e com um olhar baixo.

— Desde quando você abre a porta? - Perguntei e ele coçou os olhos bocejando.

— Eu sabia que era você. - Ele falou e se espreguiçou ajeitando a blusa branca que vestia. — Hm, o que é isso nos seus braços?

Ele apontou para a trouxinha enquanto eu entrava no salão principal da mansão. Me virei para YoonGi e descobri a cabeça do filhote resultando em um miado fino.

— U-Um gato?! - Ele perguntou surpreso.

— Ele estava na rua, abandonado. - Respondi sorrindo boba para o filhote que brincava com o meu indicador.

— Por que você trouxe ele aqui?!

— Ele é seu, YoonGi. - Eu falei e ele arregalou os olhos dando um passo pra trás.

— O que? Eu nem sei cuidar de mim mesmo, como acha que vou cuidar de um gato!? - Ele proferiu fazendo um sinal de negação com a cabeça.

Antes que eu pudesse choramingar e implorar para que YoonGi ficasse com o gatinho, a voz de Yuna e seu semblante pequeno invade a sala:

— Sae, é você?! - Ela se aproxima e eu sorrio a ela como cumprimento. — O que é isso no seu colo?

YoonGi colocou uma das mãos sobre o rosto e eu abaixei para que a menina pudesse ver o filhotinho em meus braços, Yuna sorriu animada e acariciou o pelo do gatinho.

— Ele precisa de um lar, eu o achei ontem na rua. - Informei amolecendo o coração de ambos os irmãos.

Yuna se virou para YoonGi e agarrou na barra da blusa do irmão dizendo:

— Vamos ficar com ele! Por favor, por favor, por favooor!

YoonGi bufou enquanto via a irmã implorar para que eles abrigassem o filhotinho. O mais velho finalmente assentiu e Yuna comemorou voltando sua atenção para o gatinho.

— Obrigada, YoonGi. - Agradeci e ele suspirou revirando os olhos. Fiquei em pé novamente e deixei um beijo na bochecha dele.

— Você é chantagista. - Ele acusou e eu ri baixo negando com a cabeça.

— Eu sei que no fundo desse coração de pedra, você quer manter esse filhote, YoonGi. - Eu disse e ele cruzou os braços. — Não me engane, sr. orgulho.

Naquela tarde, eu e YoonGi acabamos por sair a procura do PetMilk adequado para o filhote enquanto o mesmo ficava sob os cuidados de Yuna e Martha.

Estávamos no terceiro pet shop e ainda sem sucesso, YoonGi grunhiu estalando os dedos e reclamando sobre o quanto nos já havíamos procurado.

— Ya... já procuramos em todos os cantos, por que é tão difícil achar isso? Não podemos simplesmente dar leite para o gato? - Ele perguntou impaciente enquanto eu examinava as prateleiras da área dos gatos no pet shop.

— Não, não é adequado YoonGi, é como dar leite normal á bebês recém nascidos. - Expliquei ainda focada nas prateleiras.

— Mas... não é isso que eles bebem? - YoonGi perguntou e eu me virei indignada com a pergunta.

— Claro que não! Eles bebem leite materno até os seis meses!

— Você fala como se eu devesse saber disso! Eu não sou pai. - Ele afirmou revirando os olhos e eu grunhi.

— Você será um pai horrível. - Falei e ele riu fraco abraçando-me por trás.

— Posso te surpreender, quer ter meus filhos, SaeJin? - YoonGi perguntou baixo e eu grunhi me afastando dele, causando nele uma crise de risos.

— Você é louco. - Eu falei rindo baixo e finalmente encontrei o bendito PetMilk que nos procurávamos. — Encontrei!

YoonGi agradeceu aos céus e eu peguei duas latas colocando-as dentro da cestinha em meus braços, peguei uma mamadeira para filhotes e durante o caminho até o caixa, eu senti YoonGi segurar meu pulso. Me virei e ele disse:

— Obrigado, por me fazer rir em momentos como esse.

Sorri fraco e beijei a pontinha de seu nariz fazendo um pequeno sorriso crescer em seus lábios.

— Na alegria e na tristeza, não é mesmo? - Citei.

— Nem casamos ainda, santinha.

— Não precisamos casar para jurar votos um ao outro. - Eu o vi sorrir e soquei seu braço de leve. — Vamos logo, Martha disse que estaria fazendo chocolate quente pra nós quando voltássemos.

Voltamos para casa e encontramos o filhotinho dentro de uma caixa de papelão forrada com vários panos. YoonGi pegou o filhote enquanto eu ia até a cozinha para fazer o leite. Encontrei Martha preparando nosso chocolate quente e a cumprimentei.

Misturei os ingredientes e coloquei a mamadeira no microondas, enquanto esperava o líquido esquentar.

— Você realmente mudou ele, SaeJin. - Martha comentou enquanto esquentava o leite no fogão, mirei meus olhos para onde ela estava olhando e pude ver, por uma fresta da porta da cozinha, YoonGi ninar o filhote em seus braços enquanto andava de um lado para o outro.

— Ele foi quem me mudou, Martha. - Disse e sorri boba, tirei a mamadeira do microondas sentindo se a temperatura estava boa e percebi que estava.

Voltei para o quarto e encontrei YoonGi e Yuna sobre a cama de casal do mais velho, o filhote estava na frente dos dois, enrolado em algumas mantas.

Depois de algumas árduas tentativas, eu finalmente consegui que o filhote bebesse o leite da mamadeira. YoonGi fitava o filhote enquanto o pequeno bebia o leite.

— Quer dar à ele? - Perguntei e YoonGi voltou a realidade voltando seus olhos para mim.

— Hm? O que? - Ele perguntou desentendido.

— A mamadeira, Min YoonGi. - Falei e ele negou rapidamente com a cabeça.

— Eu vou fazer algo de errado. - Eu ri e peguei a mão de YoonGi com a minha livre e a coloquei na mamadeira, pus a minha mão direita sobre a dele, que segurava o recipiente e ele me olhou preocupado. — Viu? Está indo muito bem.

— O Gi já pode virar um appa. - Yuna comentou rindo, eu ri junto com ela e afastei minha mão da de YoonGi enquanto ele fazia o trabalho sozinho.

— Você acha? Ele seria um irresponsável. - Me sentei ao lado de Yuna e ela riu outra vez.

— Tipo aqueles pais que esquecem os filhos no super mercado? - Yuna disse e eu assenti rindo das palavras da pequena garotinha.

— Vocês duas, parem de falar mal de mim, eu estou aqui. - Ele reclamou ainda concentrado no gatinho.

Ambas rimos e dissemos:

— Nos sabemos, Min YoonGi.

DIAMOND 》 SugaLeia esta história GRATUITAMENTE!